Brasileirão Série A

Palmeiras venceu o Corinthians na força e coragem dos Crias da Academia

Abel Ferreira confiou nos garotos e obteve uma vitória para referendar os garotos do elenco

Um trabalho de categoria de base muitas vezes é considerado bom quando revela craques. Mas a maneira mais correta de fazer tal análise é em cima da qualidade geral dos jogadores formados. E o Palmeiras que venceu o Corinthians por 2 a 0 nesta segunda-feira (1º), pelo Campeonato Brasileiro, comprovou isso.

Sim, Estêvão, que é jogador de primeira prateleira foi bem no Derby. Mas foram Naves, Fabinho, Jhon Jhon, Vanderlan, Garcia e Vitor Reis, autor do segundo gol, que sustentaram o corajoso e desfalcado time que segurou e bateu o arquirrival no Allianz Parque – mesmo quando o time ficou com um a menos.

No apito final, nada menos que nove jogadores formados no clube tinham passado pelo jogo. Todos os quatro atletas que entraram ao longo da partida eram Crias da Academia.

Abel Ferreira deu mais uma mostra de que seus discursos não são vazios. Que ele de fato confia nos garotos. E o Palmeiras, que até outro dia era alvo de chacota por não ter Copinha, mostrou que também na formação de atletas, vive momento muito superior ao do rival, de quem não perde há oito partidas, desde 2021.

Surpresa na zaga

Vitor Reis, autor do segundo gol, não tinha nem 30 minutos como jogador profissional, formou dupla de zaga titular com Naves, no lugar de Murilo.

Na frente deles, protegendo a cabeça da área, estava Fabinho. O tripé de defesa tinha, portanto, seis dos pés mais jovens do elenco.

Ainda no 1º tempo, Zé Rafael sentiu dores na coxa esquerda, e Abel simplesmente colocou Jhon Jhon. O camisa 40 não tinha nem dez minutos jogados no atual Campeonato Brasileiro.

Gol no começo do 2º tempo

Raphael Veiga também brilhava. Perigoso desde o primeiro tempo, quando o Palmeiras já havia sido melhor, o camisa 23 destravou o jogo com uma falta cobrada rasteira da entrada da área, logo aos 8 do 2º.

Veiga bateu de esquerda, no canto direito do goleiro, pelo meio da barreira. Fabinho ainda desviou sem querer, de cabeça, ajoelhado. A bola bateu no pé da trave e correu até o outro lado do gol.

Quatro minutos depois, foi a vez de Vitor Reis se antecipar no primeiro pau, num gol típico do Palmeiras contra o Corinthians nos últimos anos. Quem bateu o escanteio também foi Raphael Veiga.

Um a menos, mas organizado

O Corinthians, com os dois gols em sequência, ficou desnorteado. O Palmeiras, de repente, tinha uma janela para, se quisesse, golear. Mas Veiga acabou complicando o jogo.

Após Garro intimar e colocar o dedo na cara de Estêvão, o camisa 23 veio correndo e deu uma trombada nas costas do argentino. Levou um cartão vermelho direto justo. E o Palmeiras acabou passando os minutos finais se defendendo.

Houve recuo, mas não houve pressão nem desorganização. Parecia até que o Palmeiras era quem tinha um a mais. Muito na inteligência dos garotos. No apito final, Reis, Naves, Vanderlan, Garcia e Jhon Jhon, heroicos, comemoraram mais uma vitória sobre o rival do Parque São Jorge.

Foto de Diego Iwata Lima

Diego Iwata LimaSetorista

Jornalista formado pela Faculdade Cásper Líbero, Diego cursou também psicologia, além de extensões em cinema, economia e marketing. Iniciou sua carreira na Gazeta Mercantil, em 2000, depois passou a comandar parte do departamento de comunicação da Warner Bros, no Brasil, em 2003. Passou por Diário de S. Paulo, Folha de S. Paulo, ESPN, UOL e agências de comunicação. Cobriu as Copas de 2010, 2014 e 2018, além do Super Bowl 50. Está na Trivela desde 2023.
Botão Voltar ao topo