Campeonato Brasileiro

O golaço de Hernanes, que concluiu o baile sobre o Botafogo, reitera como tudo anda ótimo ao São Paulo

O São Paulo anda em estado de graça. Tudo parece conspirar a favor dos tricolores, e não seria diferente no duelo contra o afundado Botafogo, em compromisso atrasado pelo Campeonato Brasileiro. Os são-paulinos precisaram de apenas um tempo para determinar a vitória, abrindo três gols de vantagem antes do intervalo, sob a inspiração de Brenner e Luciano. A pintura da noite, contudo, ficaria para os minutos finais. Hernanes acertou um míssil de fora da área, para fechar o placar em 4 a 0. Relembrou seus melhores momentos no Morumbi, que também suscitam lembranças tão boas à torcida. Memórias que parecem se tornar outra vez o presente, com a ampla vantagem na liderança do Brasileirão, agora estabelecida em sete pontos sobre o segundo colocado.

A partida pendeu com facilidade ao São Paulo desde o início. E depois de algumas chances, o primeiro gol veio aos nove, a partir de uma ótima troca de passes. Luciano esticou para Gabriel Sara na linha de fundo e o meia cruzou na medida para Brenner completar de cabeça na pequena área. O bombardeio se mantinha, com Cavalieri fazendo grande defesa em cabeçada de Arboleda e Brenner carimbando a trave no rebote. E o baile logo desembocaria no segundo tento aos 26, num contra-ataque azeitado por Luciano para Brenner fuzilar. Os são-paulinos sobravam, especialmente pelo bom toque de bola.

A situação do Botafogo se tornou pior aos 33, quando Marcelo Benevenuto deu uma solada em Luan e recebeu o vermelho direto após a revisão do VAR. Cavalieri tentava evitar um desastre maior, salvando as tentativas de Tchê Tchê e Luan. Porém, um toque no braço de Rafael Forster dentro da área concederia um pênalti ao São Paulo nos acréscimos. Reinaldo não desperdiçaria a chance do terceiro, superando Cavalieri na marca da cal. Parecia um grande treino aos são-paulinos – uma impressão que se reforçou na segunda etapa, com os paulistas diminuindo o ritmo e mesmo assim criando um caminhão de chances.

O São Paulo continuou bombardeando a meta de Diego Cavalieri, que continha a goleada. O Botafogo até conseguiu uns lampejos nos contragolpes por volta dos 15 minutos, ameaçando descontar. O destaque da equipe, ainda assim, era o goleiro. Vitor Bueno chegou a carimbar novamente a trave aos 23, enquanto Cavalieri desviaria uma cabeçada de Luciano contra o travessão pouco depois. O veterano sustentava o mínimo da honra botafoguense, mas não teria o que fazer quando Hernanes resolveu mandar um de seus petardos, aos 44. O capitão recebeu a bola limpa na intermediária e bateu de canhota. Botou uma curva inexplicável no chute para acertar o alto e o canto, com Cavalieri só assistindo ao golaço. Fechou com chave de ouro a noite, com Warley ainda perdendo a chance de descontar nos acréscimos, mesmo com Tiago Volpi fora da meta.

O São Paulo alcança os 50 pontos no Brasileirão, com 24 partidas disputadas. Fica com o mesmo número de jogos que o Atlético Mineiro, este sete pontos atrás. No máximo, o Flamengo pode chegar aos 45, caso vença o compromisso atrasado contra o Grêmio. Os ares no Morumbi são excelentes e a maneira como os tricolores atuaram nesta quarta reforça esta impressão, com os jogadores chegando motivados ao clássico contra o Corinthians no final de semana. O Botafogo vive um momento diametralmente oposto, em massacrante sequência de cinco derrotas. O time é o penúltimo colocado, com 20 pontos, em uma draga que parece não ter fim. Na próxima rodada, os alvinegros visitam o Inter no Beira-Rio.

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo