Campeonato Brasileiro

Mais consistente e contando com seus garotos, o São Paulo reencontrou-se com a vitória depois de sete jogos

O São Paulo entrou em campo pressionado, precisando de uma resposta nesta rodada do Brasileirão. O Atlético Goianiense era um adversário que exigia cuidados, até pela maneira como encarou times com bons recursos neste campeonato. Não foi desta vez, porém, que o tom das críticas aumentou no Morumbi. Afinal, a sequência de sete partidas sem vitórias finalmente se encerrou. O jogo foi até mais difícil que os 3 a 0 no placar indicam, mas o Tricolor teve pontos positivos e Fernando Diniz conseguiu atenuar alguns problemas. O respiro é importante, pensando na tabela e na própria continuidade do treinador.

Foram quatro mudanças na escalação do São Paulo, com as entradas de Bruno Alves, Luan, Vitor Bueno e Brenner. Mas não seria de cara que a partida se abriria aos tricolores. O Atlético Goianiense adiantava a marcação e dificultava a saída de bola dos anfitriões. Ainda assim, os são-paulinos logo criaram as primeiras chances. Vitor Bueno chutou em cima de Kozlinski e Gabriel Sara errou o alvo na sobra, aos oito. Brenner também teria algumas chances.

O São Paulo ganhava confiança e teria um gol anulado por impedimento aos 25, em arremate de Brenner. Igor Gomes também desperdiçaria uma oportunidade em ótimas condições. Mas faltava um pouco mais de intensidade para o Tricolor converter o seu domínio em gols. O time ainda perdeu Juanfran, lesionado. E o Atlético poderia criar problemas em uma bola. Volpi seria exigido em cabeçada de Gilvan, fazendo ótima defesa aos 37. Marlon Freitas também assustou. Ainda era uma partida tensa, que se tranquilizou apenas antes do intervalo, quando Brenner concluiu um rebote e abriu o placar.

No início do segundo tempo, o São Paulo teve um pênalti anulado pelo VAR, mas o Atlético gerava perigo no jogo aéreo. Levou um tempo até que o Tricolor recuperasse o espaço e voltasse a criar. Faltava um pouco mais de capricho nas finalizações. E isso aconteceu aos 20, com um grande gol de Gabriel Sara, o melhor da partida. O garoto avançou até as proximidades da área e mandou um chutaço de canhota. E a vantagem só se manteria porque Volpi realizou outra defesaça, parando Chico no um contra um.

Já aos 25, o São Paulo encaminhou a vitória. Depois do avanço puxado por Tchê Tchê, Gabriel Sara invadiu a área e passou para Brenner concluir às redes. Brenner continuou em busca de seu terceiro gol na partida. Veria um arremate desviado e ainda falharia em bola na pequena área. Mas, a esta altura, a vitória estava nas mãos do Tricolor, por mais que o Atlético tentasse pressionar. Matheuzinho até voltaria a dar trabalho para Volpi, mas nada que diminuísse a diferença construída. Mais consistente e contando com seus garotos, o time são-paulino teve motivos para sorrir.

O São Paulo precisa manter o equilíbrio e a segurança defensiva para se manter competitivo. E o efeito da vitória é imediato na tabela, com a equipe subindo ao terceiro lugar, com 23 pontos. Já o Atlético acumula quatro jogos em jejum no Brasileirão. A situação começa a preocupar, com 15 pontos, um acima da zona de rebaixamento.

Classificação fornecida por SofaScore LiveScore

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo