Brasileirão Série A
Tendência

Luan: a trajetória do ‘Rei da América’ até a agressão em motel

Trivela detalha os bastidores do jogador, que foi de estrela do Grêmio a vítima de agressão por torcida organizada do Corinthians

Dos dias de glória com o Grêmio até o episódio de agressão na última terça-feira (4), Luan Guilherme viveu altos e baixos. Isso porque há cinco anos ele foi eleito “Rei da América” pelo jornal “El País”, que elege o melhor jogador da América do Sul em votação anual. Desde então, os momentos passaram a ser mais baixos do que altos. 

A Trivela apurou os bastidores da trajetória dos últimos anos conturbados de Luan, que tem contrato de R$ 800 mil por mês com o Corinthians, e conta os detalhes a seguir.

Luan no Grêmio: ascensão meteórica

Revelado nas categorias de base do Grêmio, Luan permaneceu no clube por longos sete anos, período no qual venceu a Copa do Brasil, a Libertadores e a Recopa Sul-Americana. A crescente da jovem revelação, que despontou no futebol brasileiro pelo repertório refinado de dribles, se tornou uma sensação da mídia. 

Neymar e Luan
Luan e Neymar na cerimônia de premiação após a vitória sobre a Alemanha na final dos Jogos Olímpicos Rio 2016 (Foto: Iconsport)

Nos Jogos Rio-2016, o meia-atacante foi um dos destaques do elenco campeão olímpico da seleção brasileira. Foi autor de três gols e duas assistências em cinco jogos, além de ter um rápido entrosamento com Neymar.

O auge aconteceu em 2017, ano em que Luan fez 21 gols em 59 jogos, além de ser peça fundamental para Renato Gaúcho, na campanha campeã da Libertadores. Foi por essa atuação que recebeu o prêmio de “Rei da América”. 

Tudo parecia caminhar bem. No entanto, o temperamento forte e o estilo de vida “festeiro” do reizinho de Porto Alegre se tornaram uma bola de neve em sua carreira. Em 2018, o desempenho dele caiu (e muito). 

Luan chegou ao topo com festas e álcool 

Desde que começou a experimentar os primeiros efeitos da fama, ainda no Grêmio, o assunto “indisciplina” já rondava o dia a dia de Luan. Um dos pontos de maior concordância, entre pessoas próximas do atleta e seu staff, é que ele sempre demonstrou gosto por bebidas alcoólicas e por festas.

O traço de personalidade “bagunceira” do meia-atacante não parecia incomodar o então treinador do Grêmio, Renato Gaúcho, que sempre valorizou seu esforço dentro de campo. Desde que não chegasse atrasado aos treinos e concentrações, ele tinha quase que um “passe livre”.

Luan e Renato Gaúcho
Luan foi uma das principais peças de Renato Gaúcho, na conquista da Copa Libertadores de 2017 pelo Grêmio (Foto: Divulgação)

Na semana passada, Renato revelou conversas com o presidente do tricolor gaúcho, Alberto Guerra, para viabilizar o retorno do camisa 7. 

– Comigo ele fazia algumas coisas que faz em São Paulo. Mas era o primeiro a chegar no treino, o último a ir embora, e rendia dentro do campo. O treinador, em primeiro lugar, tem que entender de futebol. E do lado, tem que ser um gestor. E muitas vezes psicólogo, pai do jogador, amigo, tem que oferecer o ombro e fazer carinho no jogador. O que é feito ou não no Corinthians não é problema meu. Comigo, o Luan rendeu e rendeu muito – contou o técnico em coletiva. 

Por conta do comportamento errático, Luan se envolveu em algumas polêmicas no Sul. Em uma delas teve o carro apreendido pela polícia. Após furar o semáforo no bairro Rio Branco, na capital gaúcha, a Brigada Militar o abordou e constatou que o automóvel não estava licenciado. Além disso, ele dirigia sem habilitação. 

O atleta frequentava quase sempre os mesmos estabelecimentos e era “figurinha” carimbada em uma casa de shows conhecida do público sertanejo em Porto Alegre, a “Wood’s”. Ele consumia bebidas abertamente no local e sem medo de ser flagrado.

Luan levanta a taça da Libertadores em 2017 (Photo by Amilcar Orfali/Getty Images)

Em 2017, pelas redes sociais, a boate chegou a fazer um apelo pela permanência do centroavante, que na época recebeu uma proposta do Spartak Moscou.

– Fica, Luan! Lá na Rússia não tem Wood’s! – dizia a publicação. 

Luan ficou no Rio Grande do Sul, mas o espaço fechou em dezembro de 2018. Um ano depois, o jogador foi vendido ao Corinthians por R$ 22 milhões.

O problema crônico de Luan 

O ano de 2018 teve um papel muito importante para a decadência do meio-campista. Depois de uma temporada jogando em alto nível, Luan voltou a sofrer com um problema que já conhecia desde a adolescência: a fascite plantar. 

Fascite plantar é um processo inflamatório ou degenerativo que afeta a fáscia plantar, uma membrana de tecido conjuntivo que recobre a musculatura da sola do pé.

As dores afastaram o jogador dos gramados algumas vezes. Por conta das inflamações que tinha de forma recorrente, nem mesmo o tratamento e as medicações específicas conseguiam aliviar o sofrimento em campo. 

No fim daquela temporada, foram vários os jogos em que Luan precisou ser substituído por basicamente não conseguir correr devido a dor. Consequentemente, suas atuações tiveram uma queda brusca, e ele foi perdendo espaço no elenco tricolor. Na temporada seguinte, o Grêmio decidiu negociá-lo.

Derrocada de Luan no Corinthians

Luan no Corinthians
Luan foi vendido ao Corinthians por mais de R$ 20 milhões (Foto: Rodrigo Coca/ Agência Corinthians)

Desde a chegada ao Corinthians, em 2020, Luan não rendeu o esperado pela torcida, principalmente pelo alto investimento da diretoria alvinegra. Muito pelo contrário, o desempenho despencou, assim como seus minutos jogados.

De um ano para o outro, ele reduziu os 2.534 minutos em campo para 1.705 (menos de 30% dos minutos da temporada anterior).

  • 2020: 42 jogos (14 vitórias, 16 empates e 12 derrotas); 5 gols e 3 assistências; 
  • 2021: 33 jogos (11 vitórias, 11 empates e 11 derrotas); 4 gols e 2 assistências;
  • 2022: 3 jogos (2 vitórias e um empate); nenhum gol e nenhuma assistência.

O caminho para a derrocada do camisa 7 aconteceu sob o comando de Vítor Pereira, em 2022. Incomodado com as idas seguidas do meia-atacante para o departamento médico, ele decidiu não utilizá-lo mais.  

O Luan está em recuperação, você me disse que ele precisa se recuperar. E, quando estamos em recuperação, dependemos de quem? De nós próprios. A força de uma pessoa, a força do caráter de uma pessoa, é muito mais uma força que vem de dentro do que uma força que vem de fora. Na minha vida eu aprendi isso muito cedo. Ou seja: o Luan precisa se encontrar com ele próprio e acreditar nele próprio.

Em entrevista ao podcast do ex-jogador Denílson, Luan abriu o coração sobre a situação que viveu com o antigo treinador. Em agosto do ano passado, ele foi emprestado ao Santos até o fim do Campeonato Brasileiro. O Timão continuou pagando 80% do salário dele.

– Fui na sala dele trocar uma ideia, e falei: “Professor, tenho uma proposta (do Bahia), mas quero ficar aqui. Você não me utilizou, mas estou falando para você me dar uma oportunidade, 20 minutos que seja. Você está vendo que estou treinando bem, não estou deixando de correr.” Aí ele me enrolou lá, contou história triste. “Tá bom, vou usar, tchau.”

Luan “sem freio” em Santos

O atleta adotou uma postura “low profile” em 2023, principalmente depois de protagonizar alguns episódios polêmicos enquanto esteve emprestado ao Santos no fim da temporada passada. 

A Trivela apurou que a estadia de Luan na baixada santista foi muito movimentada, com uma rotina de festas, inclusive em sua residência, regadas a muita bebida. Mas nem sempre essas festas eram privativas. Ou seja, o meia-atacante era visto com frequência em baladas da região. 

Já em casa, Luan preferia reunir um grupo seleto de amigos, mas levava muitas mulheres desconhecidas. Segundo apurou a reportagem, as festas “sem freio” realizadas pelo boleiro continham mais do que álcool e sexo. O jogador fumava narguilé por horas, que em cada sessão equivale a 100 cigarros, de acordo com o Ministério da Saúde, e usava outras substâncias recreativas.

Por ser uma cidade relativamente pequena e ter uma torcida local muito presente, não era difícil que ele fosse fotografado aproveitando a vida noturna santista, o que gerou polêmicas.

Pela 32ª rodada do Brasileirão, o Santos venceu o Bragantino por 2 a 0, mas sem a presença de Luan. O meia-atacante foi cortado dos relacionados por conta de uma lesão, mas teve uma foto publicada nas redes sociais de amigas na madrugada antes do jogo. O episódio gerou revolta de torcedores na internet, que chegaram a ameaçá-lo.

Com o encerramento do contrato no time do litoral, Luan foi devolvido ao Corinthians com apenas oito jogos disputados, um gol e uma assistência.   

Luan e mulheres em festas
Luan foi flagrado em festas em Santos e São Paulo no último ano (Foto: montagem/Trivela)

Um ano sem jogar pelo Corinthians

Luan completou um ano sem entrar em campo pelo Corinthians no dia 19 de fevereiro deste ano. O salário pago pelo clube paulista é de R$ 800 mil por mês, e o contrato só se encerra em dezembro deste ano. 

Alguns companheiros de elenco, incluindo o goleiro Cássio, já demonstraram desconforto com a situação do meio-campista.

– Vou ser honesto: fico triste porque é um cara que jogou em alto nível, tem uma qualidade muito grande. eu falo, porque gosto muito do Luan, não tenho nada de falar contra ele no convívio, mas ele tem que olhar para ele para ver o que tem que melhorar, porque é muito triste ver que o cara que foi o melhor jogador da América estar assim – disse Cássio em fevereiro.

O salário alto para um jogador não atua desde 2022 é uma das principais reclamações da torcida, que protesta contra a diretoria corintiana há semanas. No entanto, o desfecho foi um episódio trágico de violência.

Agressão em festa no motel

Luan estava mais recluso nos últimos meses, evitando ao máximo aparecer em público ou nas redes sociais. Isso porque a cobrança da torcida já existia em peso. As festas do jogador aconteciam quase sempre em sua mansão. Apenas um grupo muito seleto era convidado, acompanhado de mulheres de confiança – conhecidas do jogador e seus parças.

Quando recuperou a coragem para retomar as atividades com seu círculo social nas casas noturnas de São Paulo, acabou sendo marcado como “alvo” pela Gaviões da Fiel, torcida organizada do Corinthians.

Na madrugada da última terça-feira (4), ele foi ameaçado com uma arma de fogo por um integrante de torcida organizada durante a invasão ao motel da capital paulista, em que ele estava com três amigos e algumas mulheres. A Trivela teve acesso ao boletim de ocorrência registrado na Polícia Militar por um amigo que estava presente.

Torcedores foram atrás de Luan em motel na Zona Oeste da capital paulista para agredi-lo (Foto: montagem/Trivela)

A versão contada à polícia relata que o grupo estava em uma “festa” no quarto do segundo andar do motel quando “ouviu pancadas na porta e viu sete indivíduos”. Os homens entraram no quarto, levaram o jogador para o estacionamento, o agrediram e fizeram ameaças.

A reportagem entrou em contato com a assessoria de imprensa de Luan, que não se pronunciou até o fechamento desta matéria. 

Foto de Livia Camillo

Livia Camillo

Formada em jornalismo pelo Centro Universitário FIAM-FAAM, escreve sobre futebol há cinco anos e também fala sobre games e cultura pop por aí. Antes, passou por Terra, UOL, Riot Games Brasil e por agências de assessoria de imprensa e criação de conteúdo online.
Botão Voltar ao topo