Brasileirão Série A

No duelo dos desesperados, Grêmio espanta zica e afunda ainda mais o Fluminense

Na zona de rebaixamento do Brasileirão, o Grêmio fez por merecer a vitória sobre o Fluminense, que parece estar num buraco sem fim

Neste domingo (30), o Grêmio venceu o Fluminense por 1 a 0, no Centenário, em Caxias do Sul, pela 13ª rodada do Campeonato Brasileiro. No duelo dos desesperados, o Imortal conseguiu o alívio sobre o Flu.

Antes de enfrentar o time de Marcão, a equipe de Renato Portaluppi vivia uma sequência de seis jogos sem vitória, incluindo Brasileirão e Copa Libertadores. Nesse período, foram dois empates e quatro derrotas.

Focando somente na Série A, o Grêmio amargava sete partidas sem ganhar – sendo um empate e seis derrotas. Não à toa, o Tricolor Gaúcho se afundou na zona de rebaixamento para a segunda divisão.

E a situação não era muito diferente para o Fluminense, que também vinha de seis jogos seguidos sem ganhar, incluindo Libertadores e Campeonato Brasileiro. Ao todo, foram um empate e seis derrotas.

Além disso, o Flu demitiu nos últimos dias Fernando Diniz – que foi campeão da Libertadores em 2023, mas não fazia um bom trabalho nesta temporada.

Portanto, não é exagero nenhum dizer que o confronto entre Grêmio x Fluminense era o duelo dos desesperados. E quem conseguiu espantar a zica foi Renato Gaúcho.

Mesmo com os três pontos, o Imortal segue no Z-4 do Brasileirão. Contudo, vale lembrar que o Grêmio tem partidas atrasadas para serem disputadas devido à tragédia climática no Rio Grande do Sul.

Por outro lado, o Tricolor das Laranjeiras segue no fundo do poço na luta contra a Série B. Resta saber se o Fluminense terá forças para reverter essa situação e garantir a permanência na elite do futebol nacional.

PS: Grêmio e Fluminense voltarão a se enfrentar nas oitavas de final da Copa Libertadores.

Como foi Grêmio x Fluminense pelo Brasileirão

O 1º tempo foi todo do Grêmio, que dominou o Fluminense graças à posse da bola e uma postura mais aguerrida. A equipe de Renato Portaluppi foi muito superior ao time de Marcão.

O Imortal ganhou a maioria dos duelos no meio-campo e, sempre que possível, atacava a defesa do Tricolor das Laranjeiras. Não à toa, os gaúchos tiveram várias chances de perigo de gol, enquanto os cariocas sofriam.

Contudo, o grande problema do Grêmio antes do intervalo foi a falta de pontaria. Mesmo com chances de finalização, o time de Renato Gaúcho exagerou na ineficiência de colocar a bola na rede do Fluminense.

Não à toa, ninguém foi para os vestiários em vantagem. Só que tudo levava a crer que o Tricolor Gaúcho estava prestes a transformar seu controle sobre o Fluzão em gol.

Venceu o mais organizado

Para ser justo, quem começou melhor no 2º tempo foi o Fluminense. Incomodados com a pressão do Grêmio, os cariocas tomaram as rédeas do jogo e começaram a marcar a saída de bola dos gaúchos.

Como consequência, a equipe de Marcão chegou a incomodar o time de Renato com alguns arremates. O problema é que a ineficiência geralmente leva a máxima do futebol: quem não faz, toma.

Praticamente na primeira jogada bem construída na etapa final, o Grêmio encontrou os espaços na defesa do Fluminense com um bolão para João Pedro cruzar quase na linha de fundo.

Em bola rasteira, Gustavo Nunes aproveitou a falta de marcação para mandar a bola para o fundo da rede. Dali para frente, o Imortal passou a administrar confortavelmente a partida contra o Tricolor das Laranjeiras.

Para ajudar o Imortal, o Tricolor das Laranjeiras ficou com um jogador a menos na reta final do jogo, quando Lucumi recebeu o segundo cartão amarelo e foi expulso.

Foto de Matheus Cristianini

Matheus CristianiniRedator

Jornalista formado pela Unesp, com passagens por Antenados no Futebol, Bolavip Brasil, Minha Torcida e Esportelândia. Na Trivela, é redator de futebol nacional e internacional.
Botão Voltar ao topo