Brasileirão Série A

Renato exalta “vitória da entrega” e explica mudanças no Grêmio contra o Flamengo

Renato Portaluppi classificou a virada do Grêmio sobre o Flamengo como "vitória da entrega" e explicou mudanças no segundo tempo, fundamentais para o resultado

Depois de três derrotas consecutivas, o Grêmio espantou a má fase com uma virada emblemática sobre o Flamengo, na noite desta quarta-feira (26), pela 29ª rodada do Campeonato Brasileiro. O técnico Renato Portaluppi classificou os 3 a 2 sobre o poderoso time de Tite como a “a vitória da entrega”.

— Foi uma grande vitória. Vitória da entrega, do grupo que estava querendo. Estávamos precisando dar resposta para os torcedores, porque vinhamos de resultados negativos. Todos os times oscilam, e realmente vínhamos oscilando. Nada melhor que essa resposta ter vindo contra um adversário tão poderoso como o Flamengo. É difícil enfrentar eles em qualquer lugar — destacou Renato, que exaltou o apoio da torcida gremista, mesmo quando o time estava perdendo, no primeiro tempo.

Mudança de esquema tático no segundo tempo

O treinador do Grêmio teve papel importante na vitória. Depois de iniciar a partida com três zagueiros, mudou a estrutura na metade da segunda etapa, colocando o time para cima no 4-2-3-1. Deu certo: em intervalo de 10 minutos, dos 30 aos 40, o Tricolor marcou três gols.

— Eu gosto de jogar ofensivamente. Mas tem muitas vezes que você não tem as peças. Vocês vão dizer que as peças entraram no segundo tempo. Mas o Nathan [Fernandes] estamos lapidando, o Ferreira não estava muito bem. Não podemos dar espaço para o adversário, principalmente o Flamengo. Ontem preparei bastante a parte tática, para que minha equipe pudesse defender bem, mas sem perder o contra-ataque. Falei no intervalo para o meu grupo que estávamos bem. Pedi calma que conseguiríamos empatar o jogo ainda. Esperei até os 20 minutos para aí, sim, colocar minha equipe para a frente. Tínhamos que arriscar um pouco mais. Sabíamos que deixaríamos espaços, mas o Flamengo também se preocuparia conosco — explicou.

Jogadores que decidiram vieram do banco

Curiosamente, os autores dos três gols vieram do banco de reservas. Ferreira entrou no intervalo, e Nathan Fernandes e André Henrique na troca tripla aos 23 minutos, que também contou com o ingresso de Cristaldo. O argentino, que deu assistência para o gol da virada, de Nathan, foi trocado nos acréscimos por Bruno Uvini, com intuito de fechar o time. Renato falou sobre todas essas individualidades.

Cristaldo

— O Franco [Cristaldo] eu pedi desculpas, não porque precisasse. Lá contra o São Paulo, estávamos tomando um sufoco, precisávamos de um escape. Hoje ele estava bem, mas faltavam dois ou três minutos, o Flamengo tem um time alto, precisávamos segurar. Se eu tirasse um beirada, o lateral do adversário viria com tudo.

Nathan Fernandes

— Eu tenho lapidado ele. Ele tem treinado entre os profissionais há muito tempo. Treinava com a gente, descia para jogar. Já está habituado ao grupo. É um garoto que tem um grande futuro. Tem velocidade, inteligência para jogar. Precisa evoluir algumas coisas. Precisa saber se dosar. Precisamos ver a preparação física. Lá em São Paulo ele entrou no primeiro tempo, tive que tirar no segundo porque ele não aguentava em pé. Mas isso é fácil de resolver. O que não dá para comprar é futebol. E futebol ele tem.

Ferreira

— Eu falei isso para ele: você não pode ter desaprendido a jogar, garoto. Ele vem de algumas lesões sérias. Alguns jogos coloquei ele de cara, não foi tão bem. Hoje ele entrou bem, teve entrega, a gente cobra ele disso.

André Henrique

— No final do ano, no Natal, vai chegar na casa dele uma caixa do tamanho de um ônibus. Vai abrindo uma caixa, depois outra, no final vai ter a capa, o DVD ele não está pronto para ver ainda [risos]. Quando chegou aqui tinha um milhão de defeitos, mas estamos lapidando. Ele tem entrega. Melhorou muito. Nos ajuda. É um jogador de grupo.

Foto de Nícolas Wagner

Nícolas Wagner

Gaúcho. Formado em Jornalismo pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul. Antes de escrever pela Trivela, esteve na Rádio Grenal e na RDC TV. Também é coordenador de conteúdo da Rádio Índio Capilé.
Botão Voltar ao topo