Brasileirão Série A

Novo coordenador do Santos, Gallo descarta saída de Marcos Leonardo agora

Em entrevista coletiva nesta sexta-feira (11), o dirigente afirmou que o jogador é muito importante para o time

Novo coordenador de futebol do Santos, Alexandre Gallo foi apresentado na manhã desta sexta-feira (11) na Vila Belmiro e já adiantou que o clube não vai liberar o atacante Marcos Leonardo nesta janela de transferências. O dirigente revelou que teve conversas com os empresários do centroavante e disse que o Peixe até aceita negociar, mas deixando o jogador partir para a Europa somente em janeiro.

Marcos Leonardo tem uma proposta da Roma, da Itália, que pode chegar a 18 milhões de euros. Como o Santos não está disposto a deixá-lo sair, o atleta ficou ausente de todos os treinamentos desta semana e não vai viajar para encarar o Fortaleza, domingo (13), às 18h30 (horário de Brasília), na Arena Castelão, pela última rodada do primeiro turno do Campeonato Brasileiro.

– O Santos, nas condições que está, não fará (negócio). Queremos muito o retorno dele. É um jogador muito importante. Um talento que só plantou coisas boas no clube. Um menino maravilhoso. Nos últimos 30 anos, qual atleta protagonista que o Santos não vendeu? O Santos é um dos grandes vendedores do mundo. Agora, só se houver uma vantagem financeira muito grande, onde o Santos possa estar confortável. O presidente e o Comitê de Gestão não estão se sentindo confortáveis nessa avaliação financeira. Não só isso, nós precisamos do atleta neste momento. Pode haver uma possível negociação, mas para uma saída na janela de fim de ano. Esta é a posição do clube. Estamos tentando fazer com que as pessoas no entorno deste problema entendam isso. O mais importante é resgatar o grande jogador que ele é para esse momento que estamos realmente precisando e a janela já está fechada. Foi um timming meio que errado. Eu entendo perfeitamente. Já fui atleta. Sei qual é o pensamento dele. Sei a condição e a vontade do jogador, hoje, de jogar na Europa. Não conseguimos competir financeiramente com nenhum clube na Europa. Mas existem momentos, e esse momento agora é hora de pensar no Santos. O Santos é mais importante que todos nós. Nós vamos passar e isso tudo vai continuar. A posição é que nós queremos a permanência dele – disse Gallo em entrevista coletiva.

– Contamos para a sequência da temporada. Essa semana houveram alguns problemas. Tomei pé ontem (quinta-feira) da situação e conversei com a comissão técnica. Não ter treinado durante a semana dificulta a ida para o jogo (contra o Fortaleza). Entendo tudo que aconteceu, o lado do clube, do atleta, dos representantes, da família. Estou bastante confiante que chegaremos num consenso e para ele voltar a treinar. O atleta, para jogar, tem que trabalhar. Senão fica uma diferença muito grande. Perde três ou quatro dias de treinamento. E ele vem muito bem nos últimos anos. É um jogador protagonista, que nós contamos. É um jogador que o Santos tem certeza que vai sair para alto rendimento na Europa. Mas do jeito que as coisas estão , todo mundo vai perder, principalmente o atleta, por tudo que ele plantou lá atrás. Ele tem que colher coisas positivas agora. Não pode deixar pelo meio do caminho uma situação tão difícil, e tão difícil para nós neste momento – acrescentou.

Mais respostas de Gallo:

  • Primeiro contato com o elenco
  • Possibilidade de reforços
  • Qual função executará
  • Avaliação do elenco

Conversa com os jogadores

– Senti o grupo querendo muito sair desse momento. Muito bom. São caras que querem trabalhar muito. Falei para eles que essas cicatrizes de momentos difíceis vão marcar a vida deles. São tem uma saída, que é trabalhar mais, se dedicar mais e fazer algo diferente para dar aquele sprint. Essa camisa pesada sempre foi de mudanças radicais. Essa é nossa grande expectativa. É o que senti no grupo. Todos trabalhando bastante e contentes com a vinda do Diego Aguirre. Gosto de acompanhar o treino para dar o meu subsídio. Minha relação com ele (Aguirre) tem sido muito boa. Espero que as coisas possam acontecer. Estamos na expectativa de que as coisas possam melhorar. Queremos que isso aconteça o mais rápido possível.

O Santos vai contratar?

– Conversamos ontem com o presidente, tive conversas com o Aguirre também. Estados fortalecendo essa questão de contatos na Europa, Ásia e América Central para que existam possibilidades. É um momento bem difícil. Pegar um atleta parado há bastante tempo, pode demorar para ele entrar em forma. Estamos mapeando e conversando bastante com o Aguirre para se houver uma grande possibilidade trazer algum jogador, mesmo nesse momento, que é muito difícil trazer um jogar apto para jogar já no domingo.

Qual cargo irá exercer no Santos?

– A coordenação técnica passa por fazer uma gestão esportiva. Passa por reuniões com direção, comissão técnica, preparação física, fisiologia, até a nutrição. Todo entendimento voltado para a melhora técnica do atleta. Criar um conforto diretivo para que o treinador tenha totais condições de trabalho. Criar soluções para os problemas individuais que os atletas tem. Falei isso para eles hoje. Minha porta vai estar sempre aberta. Tenho que dar uma resposta, mesmo que não seja a contento. É isso que esperava de um coordenador quando era atleta. Essas são as atribuições. Evidente que dirigir o futebol é muito mais amplo. Você pode criar novos conceitos. O Santos tem suas particularidades. Esse timming nosso desse ano, o nosso foco será exclusivo para o campo. Melhorar as condições do nosso treinador. Fazer com ele uma gestão de pessoas. E dar essa tranquilidade que o momento pede. Outras atribuições que poderiam ser colocadas por mim, inclusive na categoria de base onde tenho experiência também, vamos deixar um pouco nesse momento. As coisas andam de uma maneira a contento no Santos. Nosso foco total vai ser o campo.

Qual a sua avaliação do elenco?

– O elenco tem condições de não estar na situação que está. Temos um turno pela frente para melhorar. Nosso próximo é o mais importante. Existe uma avaliação da comissão de não estar na zona do rebaixamento. O time não é pra estar nessa colocação. Tem qualidade para não estar. Esperamos uma melhora evidente na questão técnica com os reforços. O Santos tem elenco para estar em um situação mais confortável, fora da zona de rebaixamento. Dando este próximo passo, podemos falar mais a frente onde podemos chegar. Mas temos totais condições de não estar na zona de rebaixamento neste momento.

O Santos viaja nesta sexta-feira (11) para a capital cearense para encarar o Fortaleza. O último treinamento da equipe antes do confronto será realizado neste sábado (12) no CT do Ceará.

Com 18 pontos em 18 rodadas, o Santos é o 17º colocado do campeonato e precisa começar uma reação para fugir da zona de rebaixamento. Já o Fortaleza, com 23 pontos, é dono da 13ª posição na tabela.

Foto de Bruno Lima

Bruno Lima

Bruno Lima nasceu em Santos (SP) e se formou em Jornalismo na Universidade Católica de Santos (UniSantos) em 2010. Antes de escrever para Trivela, passou por A Tribuna.
Botão Voltar ao topo