Brasileirão Série A

Fluminense cede virada ao São Paulo e entra na zona de rebaixamento do Brasileirão

Embora tenha saído na frente mais uma vez, o Fluminense cedeu, de novo, uma virada no Campeonato Brasileiro e está na zona de rebaixamento

O jogo no MorumBIS foi ótimo, mas o Fluminense não vai ter boas lembranças. O time de Fernando Diniz — que foi expulso — saiu na frente, mas cedeu mais uma virada do Campeonato Brasileiro, que começa a ficar difícil. A derrota por 2 a 1 para o São Paulo colocou o Flu na zona de rebaixamento da competição.

De nada adiantou uma atuação melhor do que nos últimos jogos, já que o Fluminense errou mais e não pontuou mais uma vez. Com apenas cinco pontos em seis jogos, o time está na 17ª colocação e precisará dar atenção à competição.

Fluminense dá sustos, mas sai na frente no MorumBIS

O Fluminense levou a campo um time bem diferente para enfrentar o São Paulo. O sistema de jogo era o mesmo, mas as peças, não. Felipe Melo, Marcelo e Cano foram poupados, e como já não teria Ganso, suspenso, a equipe de Fernando Diniz iniciou com mudanças.

A falta de entrosamento talvez explique muitos erros técnicos do time. Foram passes, movimentações e decisões equivocadas no início do jogo, o que rendeu alguns sustos. Fábio, participativo com a bola, falhou ao menos duas vezes, mas conseguiu consertar em chances de Juan e Rodrigo Nestor.

Keno completou boa jogada de recém reintegrados e abriu o placar para o Fluminense - Foto: Icon Sport
Keno completou boa jogada de recém reintegrados e abriu o placar para o Fluminense – Foto: Icon Sport

Mas foi a saída com o goleiro que ajudou o Fluminense a abrir o placar. Ao condicionar a marcação do São Paulo, o time de Diniz teve espaço para a bola longa. Fábio lançou, e o ataque funcionou.

Titulares pela primeira vez após serem afastados por indisciplina e reintegrados, Alexsander e Kauã Elias tabelaram e o atacante achou Keno. Retornando de lesão, o camisa 11 tocou por cima de Rafael, a bola voltou nele, e dividida com Igor Vinícius, acabou nas redes.

São Paulo empata em falha de Fábio no estilo do Fluminense

É uma tônica no Campeonato Brasileiro: o Fluminense sai na frente do placar, mas não consegue sustentar a vantagem. Pouco mais de dois minutos após o gol de Keno, o São Paulo empatou.

Bobadilla fez o gol de empate do São Paulo contra o Fluminense (IconSport)
Bobadilla fez o gol de empate do São Paulo contra o Fluminense (IconSport)

Não é possível dizer que não foi um filme repetido. Além de ter cedido mais uma bola na rede a um adversário, o Flu viu seu sistema falhar novamente. Fábio, que já havia dado sustos antes, errou passe fácil na saída de jogo, em recuo de Martinelli. Juan roubou, deixou o goleiro caído e passou para Bobadilla empatar.

Diniz e Luciano discutem como pai e filho, e técnico é expulso

A relação entre Fernando Diniz e Luciano é antiga. O atacante foi jogador do treinador no Fluminense e no São Paulo, adversários da noite. Os dois sempre tiveram um amor quase de pai e filho. Mas aparentemente, a história teve um fim esta noite.

Tudo começou quando Manoel caiu com dor e jogou a bola para fora. Um dos gandulas do MorumBIS, claramente treinados para isso, como mostrariam em todo o jogo, devolveu a bola rápido para Luciano acelerar a cobrança do lateral. Foi quando o técnico Fernando Diniz, de prancheta na mão, correu e gritou para impedir o atacante do São Paulo, que não gostou.

Uma troca de xingamentos se iniciou junto a um entrevero entre os jogadores dos dois times, incluindo reservas do Fluminense. Passados alguns minutos em que Anderson Daronco não e envolveu, o árbitro tampouco perdeu a oportunidade de exibir seus músculos para a televisão. Um amarelo para Luciano e um vermelho para Diniz, que ficou revoltado — com o atacante e também com o juiz.

Anderson Daronco expulsou Fernando Diniz após confusão com Luciano em São Paulo x Fluminense - Foto: Icon sport
Anderson Daronco expulsou Fernando Diniz após confusão com Luciano em São Paulo x Fluminense – Foto: Icon sport

Expulso, deixou o campo xingado pela torcida do São Paulo, que, por outro lado, exaltou seu jogador.

John Kennedy volta no Fluminense, que não melhora

O Fluminense voltou do intervalo ainda mais diferente. Reintegrado para viagem à São Paulo, John Kennedy entrou no lugar de Martinelli e mudou o formato da equipe em campo.

Com quatro atacantes — além de Marquinhos, jogador da posição —, o Flu tentava empurrar a linha de defesa do São Paulo para trás. Mas não conseguiu. Além disso, perdeu um pouco na marcação no meio-campo, pois Lima já tinha amarelo e Alexsander recebeu outro na sequência.

Ainda assim, quase fez o segundo: aos seis, Diogo Barbosa cruzou da esquerda e Arias emendou uma bomba de primeira que tirou tinta do gol de Rafael. O São Paulo balançaria as redes aos 24, com Luciano, mas o árbitro de vídeo chamou Daronco, que viu as imagens e deu falta em Lima. Mas nem com Guga e Terans em campo, e Marquinhos no ataque, o Fluminense melhorou.

São Paulo aproveita outra falha do Fluminense e vira

O jogo foi bom no MorumBIS, e ficava claro: quem errasse mais, não seria perdoado. O Fluminense, como tem sido em 2024, errou mais do que acertou. E duas falhas seguidas fizeram o time da casa virar o placar.

Primeiro, Diogo Barbosa tentou passe perigoso para dentro da área, sem necessidade, e o São Paulo quase marcou, mas Arias mandou para escanteio. Na cobrança, aos 38, a defesa deixou a bola passar por baixo e Arboleda, na pequena área, tirou de Fábio para virar o placar para os donos da casa.

Fluminense tenta, mas para na trave com Marcelo

O gol fez o Fluminense mudar. Saiu Diogo Barbosa, que falhara, e entrou Marcelo. E o lateral-esquerdo quase empatou. De seu pé direito, que nem é o bom, saiu a melhor chance do Flu no segundo tempo.

Aos 44, o camisa 12 pegou rebote de escanteio e soltou uma bomba que explodiu na trave de Rafael. O goleiro do São Paulo, a essa altura, só pode torcer e rezar. Não entrou.

Foto de Caio Blois

Caio Blois

Caio Blois nasceu no Rio de Janeiro (RJ) e se formou em Jornalismo na UFRJ em 2017. É pós-graduado em Comunicação e cursa mestrado em Gestão do Desporto na Universidade de Lisboa. Antes de escrever para Trivela, passou por O Globo, UOL, O Estado de S. Paulo, GE, ESPN Brasil e TNT Sports.
Botão Voltar ao topo