Brasileirão Série A

Reforços vão mal, e Fluminense se vê sem opções para reverter má fase no Brasileirão

Tricolor sofre com desfalques de titulares e reservas, e contratações não conseguem ajudar

O Fluminense conquistou a Libertadores no ano passado, mas se mexeu bastante no mercado da bola para 2024. Foram oito contratações, só que apenas uma delas ajudou realmente a equipe até aqui na temporada.

Fora Marquinhos, que se tornou titular e foi bastante utilizado desde que chegou, os outros sete nomes pouco ou nada agregaram ao Flu neste ano. Os mais badalados, então, seguem sem brilho.

Renato Augusto, Douglas Costa e Terans eram vistos como reforços que poderiam dar mais opções a Fernando Diniz. Mas nenhum deles empolga até aqui. Pelo contrário: os dois primeiros andam sendo vaiados pela arquibancada no Maracanã, e o último pouco entrou em campo.

Marcão dá chance a Terans, mas uruguaio segue tímido

Nada funcionou na derrota do Fluminense para o Vitória no Maracanã. O técnico Marcão, que assumiu a equipe com a saída de Diniz, fez duas mudanças no time titular e deu chance a Terans. Mas o uruguaio não conseguiu aproveitar.

David Terans recebeu chance com Marcão, mas segue tímido no Fluminense - Foto: Marcelo Gonçalves/Fluminense FC
David Terans recebeu chance com Marcão, mas segue tímido no Fluminense – Foto: Marcelo Gonçalves/Fluminense FC

Não foi por falta de tentativa, pois o jogador de 29 anos se desdobrou no ataque e na marcação. Sem companhia e desentrosado, entretanto, ele não resolveu nada.

A Trivela apurou que a timidez de David Terans tem atrapalhado sua adaptação ao Fluminense. O técnico Fernando Diniz testou o jogador em diversas funções, mas ele tem dificuldades em se entrosar dentro e fora de campo.

O camisa 80 seria uma importante arma para um Flu que não tem Jhon Arias, hoje na Copa América, e uma vaga do meio para a frente que outros reforços não conseguiram assumir. Mas Marcão pretende seguir dando oportunidades ao jogador, que considera “diferente” tecnicamente.

Gabriel Pires, Renato Augusto e Douglas Costa são vaiados

Enquanto o jovem Lucumi teve poucas chances, Felipe Alves é apenas reserva no gol e Marquinhos segue lesionado, dois veteranos não dizem, ainda, ao que vieram. Renato Augusto e Douglas Costa ajudaram o Fluminense a conquistar a Recopa Sul-Americana, mas parou por aí.

Marcão cobra Douglas Costa, que ainda não disse a que veio no Fluminense - Foto: Marcelo Gonçalves/Fluminense FC
Marcão cobra Douglas Costa, que ainda não disse a que veio no Fluminense – Foto: Marcelo Gonçalves/Fluminense FC

Experientes, os ex-jogadores da Seleção não se adaptaram ao clube e nem caíram nas graças da torcida. Pelo contrário: ambos têm sido vaiados com constância. Os torcedores reclamam de falta de empenho e intensidade da dupla, ainda que os titulares Ganso e Keno já tenham vivido momentos melhores pelo Flu.

Gabriel Pires também chegou com boa aceitação da torcida. O jogador de 30 anos, entretanto, teve pouca sequência até aqui por conta de lesões. Foram apenas seis partidas com a camisa do Fluminense. A melhor delas foi contra o Cruzeiro, quando mudou o time.

Gabriel Pires e Renato Augusto não vivem boa fase no Fluminense - Foto: MARCELO GONÇALVES / FLUMINENSE F.C.
Gabriel Pires e Renato Augusto não vivem boa fase no Fluminense – Foto: MARCELO GONÇALVES / FLUMINENSE F.C.

Nas derrotas para Flamengo e Vitória, entretanto, o camisa 22 também foi vaiado pela torcida. O excesso de passes de letra e calcanhar irritou o torcedor pelo mau momento da equipe, além da falta de velocidade do jogador.

Fluminense sente falta de Marquinhos

Único reforço que se tornou titular em 2024, Marquinhos sofreu uma lesão muscular e desfalcou o Fluminense nos últimos dois jogos. O atacante de 21 anos já fez gols importantes na Libertadores, jogou em diferentes funções e agrada muito ao torcedor.

Assim que estiver apto, Marquinhos deve voltar ao onze inicial com Marcão, assim como tinha vaga no time de Fernando Diniz. Habilidoso e veloz, o jogador tem tudo para substituir Keno, que vai mal demais em 2024.

Foto de Caio Blois

Caio Blois

Jornalista pela UFRJ, pós-graduado em Comunicação pela Universidad de Navarra-ESP e mestre em Gestão do Desporto pela Universidade de Lisboa-POR. Antes da Trivela, passou por O Globo, UOL, O Estado de S. Paulo, GE, ESPN Brasil e TNT Sports.
Botão Voltar ao topo