Brasileirão Série A

Diniz vê jogo ‘manchado pela arbitragem’ e atuação ‘brilhante’ do Fluminense em empate

Fernando Diniz e Fluminense protestaram contra arbitragem de Paulo Cesar Zanovelli no empate contra o Corinthians

O Fluminense arrancou um empate por 3 a 3 com o Corinthians, no Maracanã, mas Fernando Diniz ficou na bronca com a arbitragem. O treinador elogiou muito a atuação do seu time, mas viu o jogo “manchado” pelo árbitro Paulo César Zanovelli.

— Um jogo manchado pela arbitragem. Não consigo entender. No campo já parecia claro, reclamamos muito. O lance do Marlon é inconcebível marcar um pênalti como aquele. Marcar com tanta clareza. Se encostar na área é pênalti? É uma coisa muito estranha. A pontuação do Fluminense tem muito a ver com a arbitragem. Não é à toa — opinou.

Além de lances capitais como o pênalti marcado de Marlon em Ruan e o não marcado de Fábio Santos em Samuel Xavier, Diniz voltou a questionar critérios e relembrou outros erros contra o Flu.

O treinador vê a campanha do Tricolor no Campeonato Brasileiro, como um todo, prejudicada pela arbitragem.

— Hoje tem um pênalti inexistente, teve um não marcado contra o Nino contra o Grêmio (…) O árbitro nenhuma vez pediu para o Corinthians acelerar. Esse foi o mesmo árbitro que apitou em Cuiabá e expulsou o Martinelli por dois lances. Hoje expulsou dois no banco. O critério dele era apitar mal para um time só? A gente não quer que a arbitragem favoreça o Fluminense. O (Wilson) Seneme (presidente da Comissão de Arbitragem da CBF) tem que tomar providência porque não dá mais. O Fluminense sofre com muitos erros de arbitragem — disse.

Árbitro Paulo César Zanovelli teve péssima atuação e foi criticado por Fernando Diniz e pelo Fluminense após empate com o Corinthians - Foto: Icon sport
Árbitro Paulo César Zanovelli teve péssima atuação e foi criticado por Fernando Diniz e pelo Fluminense após empate com o Corinthians – Foto: Icon sport

Fernando Diniz não poupou elogios, entretanto, para o Flu, que não desistiu de um jogo dado como perdido após ir para o intervalo em desvantagem de 3 a 1 para o Corinthians.

— (Para ser campeão da Libertadores) Temos que fazer o que fizemos hoje. O Fluminense está super focado no Campeonato Brasileiro. Contra o Botafogo, por ter sido muito próximo, tivemos um desgaste muito grande físico e emocional contra o Internacional, na Libertadores, acho que até mais o emocional que o físico, e não tivemos energia suficiente. Jogamos abaixo das condições. Hoje foi o contrário. Tivemos erros que não costumamos cometer, o Corinthians aproveitou. Hoje foi uma partida brilhante. O segundo tempo foi muito bonito, quem veio aqui, o adjetivo é brilhante ou espetacular — disse.

‘É muito bonito ver o Marcelo jogar', resume Diniz após empate do Fluminense

Um dos principais personagens do Fluminense no jogo foi o lateral-esquerdo Marcelo, que falhou no primeiro tempo, chegou a ser vaiado pela torcida, mas fez um ótimo segundo tempo junto com a equipe. Fernando Diniz se derreteu pelo jogador.

— Foi um vestiário otimista e tranquilo. Eu quero falar do Marcelo, a torcida insinua vaiar, só pode ser remorso, não dá para vaiar. O que ele jogou no segundo tempo foi uma barbaridade. É um privilégio ter ele. É muito bonito ver o Marcelo jogar — resumiu.

Marcelo falhou no primeiro tempo, mas comandou o Fluminense ao empate após o intervalo - Foto: Marcelo Gonçalves/Fluminense FC
Marcelo falhou no primeiro tempo, mas comandou o Fluminense ao empate após o intervalo – Foto: Marcelo Gonçalves/Fluminense FC

Embora o time tenha melhorado bastante no segundo tempo, Diniz garantiu que não mudou muita coisa no intervalo. Para o técnico, o time tinha “pouca coisa para corrigir”.

— Tivemos falhas pontuais, o Corinthians aproveitou, foi eficiente. Tivemos erros que eles não aproveitaram, além do pênalti. O time estava bem, e no segundo tempo voltamos mais agressivos, e a mudança de jogador e tática possibilitou a gente ser mais agressivo. A torcida empurrou o time e ajudou. Hoje não teve bronca (risos). Eu cobro quando falta vontade, iniciativa ou coragem. Não foi isso que aconteceu no primeiro tempo. Os erros foram por infelicidade — disse.

Fluminense critica arbitragem em nota oficial

Após o jogo, o Fluminense também criticou a arbitragem em uma nota oficial. Veja a íntegra:

O Fluminense FC repudia a arbitragem desastrosa, vergonhosa e tendenciosa conduzida por Paulo César Zanovelli no jogo desta quinta-feira, no Maracanã. O árbitro usou critérios duvidosos e influenciou diretamente no resultado da partida ao apontar pênalti inexistente em favor do Corinthians e deixar de dar outras duas penalidades, destas vezes existentes, para o Fluminense. Os erros cometidos nesta noite – que provocaram revolta nos atletas e na torcida – só demonstram o longo caminho a ser percorrido até que se chegue ao nível de excelência de arbitragem necessário para garantir o bom espetáculo no futebol brasileiro. O Fluminense espera que a Comissão de Arbitragem da CBF aplique as devidas punições ao quadro de árbitros dessa partida para que casos como esse não se repitam.

Próximos jogos do Fluminense

Com 42 pontos, o Fluminense é o oitavo colocado do Campeonato Brasileiro e está fora da zona de classificação para a Libertadores. Nessa configuração, o Tricolor aposta todas as suas fichas de 2023 e 2024 na final da Libertadores contra o Boca Juniors, em 4 de novembro. O próximo adversário do Flu é o Red Bull Bragantino, fora de casa, no domingo (22), às 18h30 (de Brasília), no Estádio Nabi Abi Chedid, em Bragança Paulista.

Foto de Caio Blois

Caio Blois

Caio Blois nasceu no Rio de Janeiro (RJ) e se formou em Jornalismo na UFRJ em 2017. É pós-graduado em Comunicação e cursa mestrado em Gestão do Desporto na Universidade de Lisboa. Antes de escrever para Trivela, passou por O Globo, UOL, O Estado de S. Paulo, GE, ESPN Brasil e TNT Sports.
Botão Voltar ao topo