Brasileirão Série A
Tendência

Flamengo e Internacional trocaram golaços, mas foi o Colorado quem sorriu por último

Gerson abriu o placar após chapelar o goleiro Keiller, mas Mauricio saiu do banco de reservas para virar o jogo

Jorge Sampaoli era um sonho antigo do Flamengo e, ao contratá-lo, o bônus era ter um técnico que conhecia um dos seus principais jogadores. Atuando mais próximo da área, Gerson retribuiu com um golaço neste domingo, dando chapéu no goleiro do Internacional, mas o Colorado buscou a virada e a vitória por 2 a 1 com dois gols de Maurício – um deles também muito bonito, aos 52 minutos da etapa final, para arrancar os três pontos.

A vitória foi muito importante para o Internacional, que está sendo cobrado desde que foi eliminado pelo Caxias no Campeonato Gaúcho e não conseguiu emplacar grandes atuações no começo da fase de grupos da Libertadores, embora os resultados sejam os esperados. Empatou fora de casa com o Independiente Medellín e venceu o Metropolitanos, nas duas ocasiões com gols nos minutos finais. A estreia no Brasileirão foi com empate contra o Fortaleza.

Sampaoli fez seu segundo jogo no comando do Flamengo, depois de bater o Ñublense no meio da semana. Em sua nova posição, com mais liberdade, como quando ajudou o Olympique Marseille do argentino a ser vice-campeão francês, Gerson rolou para Gabigol abrir o placar, aos 16 minutos, mas o gol foi anulado por impedimento na origem da jogada. Wanderson teve uma boa chance no começo da etapa final, e Gerson encontrou Éverton Ribeiro para um cruzamento preciso. Gabigol cabeceou para fora.

Aos 17 minutos, os rubro-negros conseguiram abrir o placar. Gabigol recebeu de Gerson e bateu rasteiro. A defesa do Inter interceptou, mas Gerson insistiu. Após dividida, manteve a bola e teve presença de espírito para dar um chapeuzinho em Keiller, que havia saído do gol para abafar. O meia, mesmo entre marcadores adversários, ainda deu duas embaixadinhas antes de mandar para as redes.

Mano Menezes tem usado bem o seu banco de reservas. Logo depois do gol do Flamengo, colocou Luiz Adriano, Carlos de la Pena e Maurício que, em sua primeira jogada, recebeu de Wanderson pela direita da grande área e bateu na saída de Santos para empatar. A arbitragem brasileira está cumprindo a promessa de dar vários e vários minutos de acréscimo. No sétimo deles na etapa final, Jean Dias recebeu de Alan Patrick no meio da área, tentou o drible em Santos e caiu. Enquanto pedia pênalti, Maurício recolheu pela direita, percebeu Santos meio adiantado e bateu no ângulo para marcar o seu próprio golaço.

Foto de Bruno Bonsanti

Bruno Bonsanti

Como todo aluno da Cásper Líbero que se preze, passou por Rádio Gazeta, Gazeta Esportiva e Portal Terra antes de aterrissar no site que sempre gostou de ler (acredite, ele está falando da Trivela). Acredita que o futebol tem uma capacidade única de causar alegria e tristeza nas mesmas proporções, o que sempre sentiu na pele com os times para os quais torce.
Botão Voltar ao topo