Brasileirão Série A

Corinthians: pela primeira vez, falas de Luxemburgo fazem sentido com o visto em campo

Diferentemente de outras coletivas, Luxemburgo finalmente falou sobre o jogo contra o Grêmio e explicou ter poupado jovens da base recentemente

Há muito tempo, as entrevistas coletivas de Vanderlei Luxemburgo como treinador do Corinthians pareciam desconexas com o que tinha sido apresentado pela equipe em campo. Isso ficou evidente na última quinta-feira após o jogo contra o Fortaleza, válido pelo Campeonato Brasileiro. Na ocasião, o treinador chegou a especular sobre a posição do time na tabela, explicando que se estivessem no topo, as críticas seriam sobre a distância para o líder, mas, estando na parte inferior, as perguntas eram sobre a proximidade da zona de rebaixamento.

Essa foi apenas uma das muitas respostas que deixaram os torcedores perplexos, sem entender exatamente o que o treinador queria transmitir. Além disso, a torcida do Corinthians apontava o fato de o treinador nunca responder a questões sobre táticas, posicionamento ou abordar o incômodo e a pressão que a equipe vinha enfrentando há tanto tempo, mesmo após uma vitória.

No entanto, após o empate com o Grêmio nesta segunda-feira (18), tudo foi diferente. O treinador parecia mais focado e ciente da situação desconfortável que o Corinthians vive no Campeonato Brasileiro. Ele discutiu o posicionamento da equipe em campo e reconheceu que agora será necessário adotar uma abordagem mais arriscada para conquistar as vitórias necessárias o mais rápido possível. Além disso, admitiu que a equipe estava insatisfeita com os resultados recentes.

Para alguns, a mudança de atitude do treinador pode ter sido desencadeada pelas vaias da torcida antes do início da partida, quando seu nome foi anunciado no telão da Neo Química Arena. Independentemente disso, pela primeira vez a entrevista de Luxemburgo refletiu de forma significativa o que aconteceu nos 90 minutos de jogo.

O motivo para ter poupado jogadores mais jovens nos últimos jogos

A temporada do Corinthians não tem sido das melhores, não apenas devido ao desempenho em campo, mas também devido às lesões e desgastes físicos que ocorreram ao longo do ano. Lesões de jogadores como Paulinho, Rony, Fagner e a sequência de Renato Augusto levaram o treinador a buscar soluções na base do Timão para suprir as lacunas deixadas pelos atletas.

Aliás, um dos pontos positivos da temporada do treinador foi o uso frequente de jogadores da base, e os jovens escolhidos assumiram a responsabilidade quando necessário. Nomes como Gabriel Moscardo, Wesley, Murillo e Pedro se destacaram. O último passou três meses sem sequer ser relacionado, mas contra o Grêmio atuou como titular pela segunda partida seguida.

Segundo o treinador, ele compreende os questionamentos, mas prefere poupar um ou outro jogador a arriscar colocar um jovem em uma partida importante, correndo o risco de ele falhar diante de um estádio lotado, o que poderia prejudicar sua trajetória e seu valor no mercado futuramente.

– A gente tem que fazer um revezamento, eles são jovens, não são jogadores que estão prontos, ai eu tenho que ter tranquilidade para poder tirar, isso é um processo. Aí é porrada para cima da gente, por que tirou fulano? Porque tirou ciclano. Eu tenho que ter a preocupação de não queimar o jogador que é um ativo do clube, que pode ser vendidos para fora do Brasil por uma grana boa – afirmou o técnico.

Foto de Jade Gimenez

Jade Gimenez

Jornalista, fascinada por esporte desde a infância, paixão que se tornou profissão. Além do futebol me mantenho por dentro de outras modalidades desde Fórmula 1 até NFL. Trabalhei como repórter em TV e rádio cobrindo partidas de futebol, futsal e basquete.
Botão Voltar ao topo