Brasileirão Série A

No vá a bajar? Derrota para Vasco mostra o tamanho do trabalho que Ramón Díaz terá no Corinthians

Das tribunas do São Januário, novo treinador corintiano teve "spoiler" dos desafios que terá no comando do Timão

Ramón Díaz esteve em São Januário e viu in loco a sétima derrota do Corinthians no Campeonato Brasileiro. Para piorar, foi contra o Vasco, clube que o treinador dirigiu ano passado e viveu uma situação muito parecida com a que viverá a partir de agora com o Timão. 

A sensação por parte dos corintianos era de confronto direto pela luta contra o rebaixamento. Na prática, o Cruz-Maltino alcançou a terceira vitória consecutiva e vai se desgarrando cada vez mais do pelotão de baixo no Brasileirão. 

Ainda assim, o jogo foi um show de horrores. Mas com a quantidade de erros técnicos de todos os gostos e sabores, o Corinthians venceu a disputa que, na prática, foi sair derrotado da partida. 

Nas tribunas da Colina, então, ficou claro para Ramón que os próximos dias serão difíceis no CT Joaquim Grava. 

Primeiro tempo razoável não esconde falhas do Timão

A atuação do Corinthians no primeiro tempo foi bastante aceitável, mas não o suficiente para ser chamada de boa. De toda forma, a equipe alvinegra levou mais perigo que os adversários e, assim, foi ligeiramente melhor. 

Comandado novamente pelo interino Raphael Laruccia, o Timão teve o retorno do volante Breno Bidon ao time titular, após cumprir suspensão na última partida, contra o Vitória. E foi o jovem, de 19 anos, um dos poucos, quiçá o único vislumbre positivo que Ramón Díaz teve no primeiro em contato com a equipe corintiana. 

O camisa 27 se movimentou bastante e deu ótimas opções de passes verticais na etapa inicial. Mais do que o papel de volante, Breno foi o armador que Igor Coronado não conseguiu ser. Ainda assim, os homens de frente não conseguiram aproveitar as chances criadas. 

Nem mesmo Wesley, que costuma ser escape para o Corinthians pelos lados, foi bem no duelo contra o Vasco. Isolado pelo lado esquerdo, o jogador não conseguiu se crescer nos duelos contra Paulo Henrique e Maicon, que formaram o lado direito da defesa vascaína. 

Corinthians novamente apresenta muitas falhas técnicas

Foram 60 passes errados no jogo inteiro, o que seria aceitável, já que aproveitamento foi de 83% em relação ao total, segundo a plataforma SofaScore. O problema é que muitos desses equívocos aconteceram em passes curtos, de poucos metros. 

No segundo tempo, quando o time ficou desajustado e desgovernado, a solução, é claro, foi a bola para o mato. Um excesso de bolas longas, 45 no total, que pouco deram resultados. 

Os atacantes, então, mais uma vez protagonizaram cenas patéticas. Yuri Alberto e Pedro Henrique chutando bolas para a lateral. Pedro Raul furando a finalização. 

E no setor defensivo, o time mais uma vez foi desorganizado. Cacá e Félix Torres distantes, batendo cabeça e dando muito espaço para as chegadas vascaínas. Enquanto isso, os laterais Matheuzinho e Matheus Bidu, que são extremamente contestados, também ficaram longe de terem uma boa atuação no aspecto defensivo. Na frente, até criaram cada um uma boa oportunidade, o que, ainda assim, é pouco. 

Falta de liderança também é problema

Ainda sem Fagner, que está em transição física após ficar mais de um mês afastado por conta de uma lesão muscular na coxa direita, o Corinthians perdeu completamente as suas referências de liderança. 

Romero iniciou a partida como capitão, mas ao ser substituído passou a braçadeira para o goleiro Matheus Donelli. Com somente 22 anos, o atleta era terceira opção para a meta corintiana até dois meses atrás e, além de assumir a ingrata responsabilidade de substituir o ídolo Cássio e, também, Carlos Miguel, que saiu do clube alvinegro pela porta dos fundos, dá a cara a tapa quando a necessidade é que alguém com mais casca faça isso. 

Matheus Donelli - Corinthians
Foi vestindo a braçadeira de capitão do Corinthians que Matheus Donelli sofreu o segundo gol do Timão contra o Vasco, em cobrança de falta muito bem batida por Sforza (Foto: Icon Sport)

Vale relembrar, por exemplo, que foi Donelli um dos dois jogadores que concederam entrevista na zona mista após a derrota corintiana no clássico contra o Palmeiras, há duas semanas. 

Essa situação de casa completamente desarrumada aponta mais uma vez que Ramón Díaz terá muito trabalho ao assumir o Corinthians e precisará, imediatamente, ter voz de comando no clube.

Foto de Fábio Lázaro

Fábio LázaroSetorista

Nascido em Santos, criado em São Vicente e entregue à São Paulo. Na Trivela desde junho de 2024, como setorista do Corinthians. Passagem pelo Lance! entre fevereiro de 2020 e maio de 2024, onde cobriu Santos e Corinthians. Por lá, também coordenou pautas e estratégias digitais. Atualmente, também é repórter na rádio 9 de Julho, comentarista no programa Esporte por Esporte, da TV Santa Cecília, e narrador freelancer.
Botão Voltar ao topo