Brasileirão Série A
Tendência

Como vai jogar o Botafogo de Bruno Lage?

Treinador português assume o Glorioso, atual líder do Brasileirão, com contrato até o fim do ano

Bruno Lage é o novo técnico do Botafogo. Após a tumultuada saída de Luís Castro para a Arábia Saudita no momento em que o Fogão vive um de seus melhores momentos em anos, a diretoria alvinegra mantém as características do projeto trazendo um técnico da mesma escola que seu antecessor e que pode não apenas dar continuidade à boa fase do time como pode fazê-lo evoluir dentro das características que já se destacam no elenco.

A busca termina com um final feliz principalmente para John Textor.  O proprietário da SAF do Alvinegro não pensava apenas em um treinador apenas para “fechar o ano”, apesar do Botafogo estar com ótima campanha no Brasileirão, e sim com a intenção de montar um projeto a médio ou longo prazo. Lage é esse nome e assinou até dezembro de 2023, com opção de renovação. Mas como deverá jogar o time sob seu comando?

Como jogará o Botafogo com Bruno Lage?

As principais características do treinador português de apenas 47 anos são:

  • futebol ofensivo
  • não tem apego por formação tática
  • manutenção do que era bem-sucedido dos trabalhos que herdou
  • ótima relação com jovens jogadores das categorias de base
  • jogo objetivo e vertical

Botafogo deverá ter futebol ofensivo com Bruno Lage

A torcida botafoguense deverá ver um time rápido e decidido a atacar o adversário rapidamente, sem necessariamente ter uma posse de bola alta, com jogo de passes horizontais no meio-campo. Seja pelas beiradas ou por dentro, Lage propõe um futebol rápido e objetivo. Forçar o adversário ao erro pela pressão, recuperar a bola e levá-la rapidamente a uma zona de perigo. É isso que o torcedor botafoguense pode esperar.

Melhor defesa do Brasileirão, o Fogão é um time bastante equilibrado e que tem em seu principal jogador o atacante Tiquinho Soares, artilheiro do campeonato até agora. O centroavante deverá seguir como peça-chave e pode aproveitar muito dessa transição rápida e objetiva. A expectativa que o torcedor pode ter é que o camisa 9 será muito municiado pelo esquema direto do novo treinador.

Bruno Lage não tem um esquema tática preferido e fixo

Claro que, como todo treinador, Lage utiliza com mais frequência um ou outro esquema tático, mas sua principal característica neste sentido é a adaptabilidade. Mesmo ofensivista, não tem o perfil de treinador que vai fazer uma revolução para que o time se adapte ao seu estilo. Na verdade, ele costuma fazer o contrário. Analisemos seus dois principais trabalhos.

No Benfica, onde se destacou para a Europa ao vencer uma Liga de Portugal, Lage era adepto do 4-4-2. Impôs aos poucos suas características de jogo rápido e incisivo, sem preocupação extrema com a posse de bola e saiu vencedor logo em seus primeiros meses no comando da equipe. O tempo que demorou para ser campeão, inclusive, é uma esperança para o botafoguense.

Já no Wolverhampton, da Premier League, Lage usou esquema diferente na maior parte dos jogos: um 3-4-3, com pontas bastante verticais atacando pelos lados e alas que faziam bem o ataque e a defesa. Um time muito veloz e incisivo novamente, mas que nessa passagem abusou mais da alta performance física, muito por conta dos jogadores que ele tinha à disposição. Ou seja, mais uma vez se destaca sua adaptabilidade.

Bruno Lage não costuma mexer em time que está ganhando

Se o torcedor do Botafogo nas últimas semanas temeu uma derrocada por conta de qualquer mudança que pudesse vir a ocorrer por conta de mudança de esquemas táticos ou de posicionamento — e até utilização — de jogadores que estão indo bem, pode dormir mais tranquilo agora. Uma característica que o difere de muitos treinadores portugueses pelo mundo é a falta de um ego mais afiado, mais difícil de lidar. Lage tem como filosofia não mexer em time que está ganhando e, todos sabemos, o Botafogo está ganhando.

A aposta é que não existam muitas mudanças profundas, apenas pequenas adaptações de posicionamento e estilo de jogo com o passar do tempo. Mas a escola de Lage não é distante da de Luis Castro e isso pode deixar o botafoguense mais em paz. Uma frase dada à Sky Sports em 2022, quando assumiu o Wolves, é o alento para a torcida alvinegra: “Quando eu vim para cá o projeto não era uma revolução. Era uma evolução”. E é disso que o Botafogo precisa.

Bruno Lage é experiente em lidar com jogadores jovens

Uma outra boa notícia para os torcedores do Botafogo é que Bruno Lage iniciou o destaque de sua carreira como auxiliar de Carlos Carvalhal, posto que alcançou principalmente por conta de seu excelente trabalho à frente das categorias de base do Benfica.

Essa experiência em formar e revelar jovens jogadores foi vista como crucial para John Textor. O empresário dos EUA vê na formação de atletas uma das formas mais eficazes de manter o Botafogo economicamente saudável através de vendas para a Europa. Se optar por renovar seu contrato, que terá validade inicial até o fim de 2023, Lage pode ter nas mãos a chance de fazer um processo parecido com o de Abel Ferreira atualmente, com seu poder de gestão sob a base do Palmeiras.

Afinal, quem é Bruno Lage?

Bruno Miguel Silva do Nascimento nasceu em Setúbal, Portugal, em 1976. Começou no futebol em equipes de divisões inferiores de Portugal já como especialista em categorias de base, uma vez que nunca foi jogador. Começou a carreira de destaque em 2004, quando entrou para a formação de jovens atletas do Benfica.

Saiu do Benfica em 2012 e teve passagens como auxiliar técnico na Inglaterra, mais especificamente no no Sheffield Wednesday e no Swansea City, para só então iniciar sua meteórica carreira. Em 2018 demorou seis meses para conseguir sua licença de treinador e, então, partiu de volta para o Benfica, onde assumiu a equipe B.

Teve a brecha para assumir a equipe principal como interino após a saída de de Rui Vitória em janeiro de 2019 para, em maio do mesmo ano, ser campeão português. Assumiu o Wolverhampton para a temporada 2021/22 e acabou demitido em meio à mesma devido aos maus resultados, ainda em outubro de 2022. Agora, assume o Botafogo em seu primeiro desafio fora da Europa.

Aproveitamento de Bruno Lage nos clubes

  • Benfica B – 13 jogos, 8 vitórias, 3 empates e 2 derrotas (69.23% de aproveitamento)
  • Benfica – 76 jogos, 51 vitórias, 12 empates e 13 derrotas (72.37% de aproveitamento)
  • Wolverhampton – 51 jogos, 19 vitórias, 9 empates e 23 derrotas (43.14% de aproveitamento)
Foto de Leonardo Sacco

Leonardo Sacco

Formado em Jornalismo pela Cásper Líbero, fez categorias de base na TV Gazeta, Olheiros e Impedimento. Se profissionalizou no Yahoo e desde junho de 2023 é coordenador de conteúdos editoriais da Trivela.
Botão Voltar ao topo