Campeonato Brasileiro

Com golaço de Felipe Melo, Palmeiras vence com tranquilidade e dá passo importante para o título

O primeiro jogo de Luiz Felipe Scolari pelo Campeonato Brasileiro, nesta sua terceira passagem pelo Palmeiras, foi o 0 a 0 contra o América Mineiro, no começo de agosto. Isso significa que, no próximo domingo, contra o Paraná, ele completará um turno inteiro do torneio nacional à frente do clube paulista. E ainda não perdeu. Ao mesmo tempo, havia vencido apenas uma partida por pelo menos três gols de diferença nessa sequência – 3 a 0 contra o Vitória – até esta quarta-feira, quando derrotou o Fluminense, também por 3 a 0, com certa tranquilidade.

São oito pontos de vantagem para o Internacional e dez para o Flamengo, que ainda jogam pela 34ª rodada nesta quinta-feira, e eles têm motivos para ficarem preocupados. A tabela é favorável aos alviverdes. O próximo adversário do Palmeiras é o Paraná, em Londrina, onde o visitante deve ter mais torcida do que o mandante. Em seguida, o América Mineiro, no Allianz Parque. Fecha o campeonato contra o Vasco, em São Januário, e o Vitória, em São Paulo. Quatro equipes que brigam contra o rebaixamento ou já estão rebaixadas, o que sempre pode ser difícil, mas há um motivo para elas brigarem contra o rebaixamento ou já estarem rebaixadas.

E a vitória sobre o Fluminense é o recado, dentro de campo, que, com as atenções voltadas exclusivamente para o Campeonato Brasileiro, encerrada a maratona de três competições, o Palmeiras não tende a cair de rendimento o bastante para perder muitos pontos contra esses adversários, depois de empates estrategicamente importantes contra Flamengo e Atlético Mineiro, e uma vitória suada diante do Santos.

O Palmeiras sofreu poucos riscos no primeiro tempo contra o Fluminense e criou algumas oportunidades. Uma falta de Bruno Henrique foi bem defendida por Júlio César, que se esticou para espalmar um chute cruzado de Borja. O árbitro Braulio da Silva Machado estava com a mão leve para advertir os visitantes, e mostrou três cartões amarelos a jogadores do Fluminense na primeira meia hora, motivando duras críticas dos cariocas contra o dono do apito.

O placar foi aberto aos 40 minutos. Diogo Barbosa fez a jogada pela esquerda, Willian desviou, e Borja completou. Com vantagem, a postura do Palmeiras é conhecida: cautelosa, sem correr riscos, defendendo como pode. Não chegou a haver uma pressão do Fluminense, mas, nessa situação, a tensão sempre fica no ar. Qualquer bola desviada ou qualquer erro podem ser fatais. O segundo gol quase surgiu com Gustavo Scarpa, desviando cruzamento de Dudu na pequena área. Mas Júlio César impediu o cumprimento da Lei do Ex.

A tranquilidade palmeirense acabou vindo pelos pés de Felipe Melo, nessa relação de amor e ódio com a torcida. Ele entrou em campo, aos 35 minutos, no lugar de Lucas Lima. Antes que os presentes no Allianz Parque pudessem cornetar que mais uma vez Felipão recuava em vez de buscar a ampliação do placar, o volante pegou a sobra da entrada da área e mandou direto no ângulo de Júlio César. Um belo gol, dois minutos depois de pisar o gramado.

O gol de Luan, de cabeça, aos 44 minutos, foi apenas a confirmação da vitória do Palmeiras, invicto há 19 partidas pelo Campeonato Brasileiro, contando o jogo contra o Paraná, comandado pelo assistente Wesley Carvalho. E, agora, intensifica-se a contagem regressiva. Faltam quatro rodadas para o fim, e talvez nem todas elas sejam necessárias para os paulistas voltarem a gritar campeão, dois anos depois do título de 2016.

Mostrar mais

Bruno Bonsanti

Como todo aluno da Cásper Líbero que se preze, passou por Rádio Gazeta, Gazeta Esportiva e Portal Terra antes de aterrissar no site que sempre gostou de ler (acredite, ele está falando da Trivela). Acredita que o futebol tem uma capacidade única de causar alegria e tristeza nas mesmas proporções, o que sempre sentiu na pele com os times para os quais torce.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo