Brasileirão Série A

Parecidos, mas nem tanto: clássico tem primeiro duelo entre Artur Jorge e Diniz

Clássico entre Botafogo e Fluminense, no Nilton Santos, coloca frente a frente dois técnicos ofensivos, mas com ideias diferentes

O clássico entre Botafogo e Fluminense, nesta terça-feira (11), às 20 (horário de Brasília), no Nilton Santos, pelo Campeonato Brasileiro, vai colocar frente a frente dois técnicos que guardam semelhanças nas suas ideias, mas muitas diferenças nas maneiras de as executar. Pela primeira vez, Artur Jorge e Fernando Diniz se enfrentam e, apesar do torneio ainda estar no começo, já com objetivos distintos.

Há pouco mais de dois meses, Artur Jorge chegou no Brasil com a fama de ser um técnico que preza pelo jogo ofensivo. Uma fama que também marca a carreira de Fernando Diniz desde o começo da sua trajetória, desde o brilho no Audax até a consagração no Fluminense.

Os dois técnicos, é claro, justificam a fama. Logo no começo da sua passagem pelo Botafogo, Artur Jorge chamou a atenção por escalar o time com quatro atacantes de origem na equipe titular. O número de jogadores ofensivos em campo, por si só, não explica muita coisa, mas ajuda a entender a ideia do técnico português. E a ousadia de Artur Jorge logo deu resultado. Ainda com alguma irregularidade comum de um início de trabalho, o Botafogo se classificou para as oitavas da Copa do Brasil e da Copa Libertadores, além de estar fazendo um bom começo de Campeonato Brasileiro.

Mas o fato de usar quatro atacantes de ofício não é, é claro, uma invenção de Artur Jorge. E quem também se notabilizou por usar a mesma tática foi recentemente o próprio Fernando Diniz. Mas em alguns momentos de partidas decisivas, como os confrontos com o Olimpia e a semifinal de Libertadores do ano passado, contra o Inter.

O time de Artur Jorge, aliás, tem o melhor ataque do Brasileiro, ao lado do Flamengo, com 13 gols marcados em sete partidas. Ainda que faça um começo de Brasileirão ruim, o Fluminense de Diniz tem o sexto melhor ataque da competição, com nove gols marcados.

Semelhanças e diferenças entre Artur e Diniz

Com dois técnicos “ofensivos”, Botafogo e Fluminense apresentam algumas semelhanças, como a compactação, com acúmulo de jogadores perto da bola para a troca de passes curtos, a busca pela posse de bola – neste ponto, mais o Tricolor do que o Alvinegro (o Fluminense tem média de 56,3% por jogo no Brasileiro, enquanto o Botafogo tem 50,2%) -, a pressão pós-perda e a intensidade no ataque.

Assim como Diniz, Artur Jorge também usa um time mais “aposicional”, com os jogadores se movimentando e buscando soluções com passes curtos ou inversões para o lado oposto da bola. Assim, os laterais participam muito das jogadas ofensivas das duas equipes.

No entanto, o Botafogo de Artur Jorge é mais objetivo no último terço do campo. O time do técnico português gosta de explorar as costas da zaga adversária para tentar criar oportunidades de gols. Já o Fluminense de Diniz costuma ter mais paciência na troca de passes, buscando o momento ideal para avançar no setor ofensivo.

Botafogo e Fluminense já fazem clássico de opostos

O Campeonato Brasileiro está apenas começando, mas Botafogo e Fluminense já fazem o famoso “clássico de opostos”. Enquanto o Glorioso pode dormir na liderança em caso de vitória, o Tricolor tenta se afastar da zona de rebaixamento. O time de Artur Jorge é o terceiro colocado, com 13 pontos em sete jogos – um ponto a menos que o Flamengo, que lidera a competição. Já a equipe de Diniz é apenas a 15º colocada, com 6 pontos – um ponto a mais que o Corinthians, primeiro time no Z-4.

Foto de Gabriel Rodrigues

Gabriel Rodrigues

Jornalista formado pela UFF e com passagens, como repórter e editor, pelo LANCE!, Esporte News Mundo e Jogada10. Já trabalhou na cobertura de duas finais de Libertadores in loco. Na Trivela, é setorista do Vasco e do Botafogo.
Foto de Caio Blois

Caio Blois

Jornalista pela UFRJ, pós-graduado em Comunicação pela Universidad de Navarra-ESP e mestre em Gestão do Desporto pela Universidade de Lisboa-POR. Antes da Trivela, passou por O Globo, UOL, O Estado de S. Paulo, GE, ESPN Brasil e TNT Sports.
Botão Voltar ao topo