Brasileirão Série A

Com anúncio inusitado, Dínamo Moscou confirma contratação de Bitello

Agora ex-Grêmio, Bitello aparece como mosqueteiro em vídeo no qual o Dínamo Moscou anuncia sua contratação até metade de 2028

O Dínamo Moscou anunciou oficialmente nesta quinta-feira (14) a contratação de Bitello. O agora ex-meio-campista do Grêmio assinou contrato com o clube russo até junho de 2028.

O anúncio da contratação foi um tanto quanto inusitado. O meia aparece como um personagem do clássico “Os Três Mosqueteiros”, obra do francês Alexandre Dumas. A referência se deve ao fato do mascote do Grêmio ser um mosqueteiro.

O “mosqueteiro” Bitello. Foto: Reprodução

Valor importante para o Grêmio

A negociação custou ao Dínamo cerca de 10 milhões de euros (R$ 53 milhões). Deste valor, o Grêmio recebe 70%, mantendo 20% de mais-valia. O Cascavel tem direito aos outros 30%. A equipe gaúcha até tentou negociar percentual maior, mas a Serpente não cedeu.

Para o Tricolor, o negócio era visto como fundamental para voltar a equilibrar o clube financeiramente. Depois do retorno da Série B do Campeonato Brasileiro, o orçamento estipulava R$ 75 milhões em vendas de jogadores em 2023. Com a saída de Bitello, o Grêmio arrecada em torno de R$ 37 milhões, praticamente metade do valor.

Agradecimento a Renato

Do ponto de vista técnico, mesmo se tratando de um dos principais jogadores do elenco nas duas últimas temporadas, o jogador vivia momento de baixa no Tricolor. Depois de uma sequência de más atuações suas e da equipe, o esquema tático foi alterado por Renato Portaluppi, e Bitello perdeu a titularidade.

Ainda assim, em publicação de despedida nas redes sociais, Bitello agradeceu e enalteceu Renato. “Tu foi muito mais que um treinador para mim”, destacou.

Desde 2018 no Grêmio, Bitello se destacou na conquista do Campeonato Brasileiro de Aspirantes, em 2021, ano em que também estreou pelo profissional. Com duas temporadas atuando com consistência no time principal, somou 93 jogos pelo clube, marcando 19 gols e distribuindo oito assistências.

Dínamo vive seca de títulos em futebol desvalorizado

A ida ao Dínamo Moscou gerou certa hesitação no atleta pelo destino em si. Devido à guerra com a Ucrânia, clubes russos não podem disputar competições continentais. Menos vitrine para Bitello, que pode enxergar a oportunidade como uma porta de entrada para centros mais relevantes do futebol europeu.

Bitello na Rússia. Foto: Divulgação/Dínamo Moscou

Em termos de competitividade no futebol local, mesmo com a tradição, o Dínamo vive grande seca de títulos. A última conquista foi a Copa da Rússia, na temporada 1994/1995. Atualmente, o time é vice-líder no campeonato nacional, com 14 pontos em sete jogos.

Por outro lado, o que pesou para o atleta foi o lado financeiro. Estima-se que o salário de Bitello será 10 vezes maior do que ele recebia no Grêmio.

Foto de Nícolas Wagner

Nícolas Wagner

Gaúcho. Formado em Jornalismo pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul. Antes de escrever pela Trivela, esteve na Rádio Grenal e na RDC TV. Também é coordenador de conteúdo da Rádio Índio Capilé.
Botão Voltar ao topo