Brasileirão Série A

‘Missão dada é missão cumprida’: presidente e jogadores do Atlético ficam na bronca com arbitragem

Com Hulk expulso ainda no primeiro tempo, o presidente do clube e os jogadores reclamaram bastante

O Atlético-MG saiu goleado da Arena MRV para o Palmeiras, mas o pior para o Galo foi a forma como a arbitragem, comandada por Rodrigo José Pereira de Lima, conduziu o jogo.

Com Hulk expulso ainda no primeiro tempo e a cada marcação uma reclamação diferente, o presidente do clube, Sergio Coelho, e os vários jogadores do Galo saíram na bronca.

Coelho não poupou o árbitro, que saiu de campo escoltado pela polícia. O dirigente atleticano foi para cima do dono do apito e gritou: “Missão dada, é cumprida, né?”

Jogadores nem quiseram parar

Expulso após o jogo por partir para cima de Marcos Rocha, que lhe acertou uma cotovelada, Paulinho saiu e passou na zona mista praticamente escoltado por pessoas do Galo, e só disse “Desculpa”, claramente chateado e revoltado com a situação.

Outro que nem parou para falar foi Bruno Fuchs. O zagueiro, chamado pelos repórteres, disse: “Pergunte ao árbitro. Hoje o jogo foi para perguntar ele”.

Os que pararam, não perdoaram a arbitragem

Os poucos jogadores do Atlético que pararam para falar após o jogo foram questionados sobre a expulsão de Hulk e a forma como o árbitro conduziu o jogo.

O jovem zagueiro Rômulo disse que “ninguém entendeu e o árbitro não soube explicar a expulsão”.

Igor Rabello foi outro a citar que não entendeu a atitude do dono do apito.

— A gente nem acreditou o que ele fez, pois não vimos nenhuma agressão. Ninguém entendeu. Pelo Hulk ser o capitão, ele tem o direito de falar. Ele falou que encostou no rosto dele, eu não vi isso acontecendo — disse Rabello.

O lateral Saravia citou que perder um líder e referência como Hulk afetou o Galo mentalmente. Já Igor Gomes foi o que mais desenvolveu, afirmando que o problema foi a falta de critério do árbitro.

— O problema é de critério. Um árbitro marca uma coisa e, no jogo seguinte, mesmo lance, e outro árbitro não marca — destacou.

‘Queria entender os critérios', disse Victor

Após a partida, o diretor de futebol Victor foi até a sala de imprensa para se pronunciar sobre a arbitragem de Rodrigo José Pereira de Lima.

— É lamentável que a cada rodada o protagonismo vem de uma forma negativa. A cada rodada a gente senta para comentar sobre a arbitragem, quando os protagonistas são os jogadores. Hoje, uma das partidas mais importantes da rodada, você ter uma arbitragem tão contestada e confusas — afirmou o ex-jogador.

Victor também lembrou que Pereira de Lima é um dos árbitros brasileiros que tem a designação de Fifa, então gostaria de entender os critérios necessários para receber a qualificação.

Especificamente sobre a expulsão de Hulk, o diretor do Atlético-MG afirmou que é necessário ter mais cuidado com a escala da arbitragem, já que o árbitro é o mesmo que expulsou o capitão do Galo em 2023 pelo mesmo motivo.

— Peço aos que escalam que tenham sensibilidade. Esse é o mesmo árbitro que teve problema com o Hulk há menos de um ano. Será que isso não teve algo pessoal? Vale o questionamento. Revi as imagens e não consigo perceber [motivo para expulsar]. Hoje não consigo chegar e falar “Você errou, Hulk”.

Ao fim, Victor ainda confirmou que o Galo fará uma reclamação formal na CBF, mas sabe que a ação é “protocolar, já que vão tirar o árbitro por duas ou três rodadas e ele vai estar de volta”.

Foto de Alecsander Heinrick

Alecsander HeinrickSetorista

Jornalista pela PUC-MG, passou por Esporte News Mundo e Hoje em Dia, antes de chegar a Trivela. Cobriu Copa do Mundo e está na cobertura do Atlético-MG desde 2020.
Botão Voltar ao topo