Brasileirão Série A

Santos: Diego Aguirre desembarca no Brasil e afirma: ‘Será um grande desafio’

Treinador uruguaio tem como missão inicial tirar o Peixe da temida zona de rebaixamento do Brasileirão

Contratado para ser o novo técnico do Santos, Diego Aguirre desembarcou no aeroporto de Guarulhos na tarde desta terça-feira (8). O uruguaio chega para substituir Paulo Turra, que foi demitido no último domingo (5). O novo comandante alvinegro assinou vínculo com o Peixe até dezembro de 2024.

No desembarque, o treinador admitiu que será um grande desafio pelo momento em que o Santos se encontra, mas afirmou estar confiante para fazer um bom trabalho.

– É um grande desafio sim. Mas estou muito confiante de que vamos fazer um bom trabalho -, disse o treinador na chegada ao Brasil.

Estreia contra o Fortaleza

Aguirre começará a trabalhar no CT Rei Pelé na atividade desta quarta-feira (9). O treinador irá preparar a equipe que no domingo (13) visita o Fortaleza, às 18h30, na Arena Castelão, pela última rodada do primeiro turno do Brasileiro.

A primeira missão do uruguaio não será fácil, pois ele já sabe que não poderá contar com o goleiro e capitão João Paulo, com o meio-campista Lucas Lima e com o atacante Mendoza, todos suspensos pelo terceiro cartão amarelo.

Em contrapartida, Soteldo, que ficou afastado do elenco profissional durante praticamente toda a passagem de Turra pelo Santos, foi reintegrado nesta segunda-feira (7) e estará à disposição de Aguirre na capital cearense.

Santos na zona de rebaixamento

Aguirre chega à Vila Belmiro com a missão inicial de tirar o time da zona de rebaixamento do Campeonato Brasileiro. Com 18 pontos conquistados em 18 rodadas, o Peixe é o 17º colocado da competição, à frente apenas de Coritiba, com 14, Vasco, com 12, e América-MG, com 10.

Últimos trabalhos de Aguirre

Entre 2021 e o presente momento, o uruguaio comandou três equipes: Internacional, Cruz Azul, do México, e Olimpia, do Paraguai.

Ao todo, foram 71 jogos disputados com 24 vitórias, 21 empates e 26 derrotas. Um aproveitamento de 43%.

Desempenho nos três últimos clubes:

  • Olimpia: 9 vitórias, 8 derrotas, 6 empates
  • Cruz Azul: 4 vitórias, 6 derrotas, 3 empates
  • Internacional: 11 vitórias, 12 empates, 12 derrotas

Bem na atual Copa Libertadores

Cheio de altos e baixos no Olimpia, Aguirre deixou o clube paraguaio classificado para oitavas de final da Libertadores, onde a equipe tem o Flamengo como adversário.

No duelo de ida, quinta-feira (3), no Maracanã, o Rubro-negro venceu por 1 a 0. A vaga será decidida em Assunção, na próxima quinta-feira (10).

Ocorreu que a campanha da equipe no Campeonato Paraguaio era muito ruim. Aguirre foi demitido quando o Olimpia era o vice-lanterna da competição.

Promessa não cumprida

A Trivela apurou que o desligamento ocorreu após a diretoria prometer uma premiação de acordo com o desempenho da equipe na Libertadores.

Como o time terminou com a segunda melhor campanha geral da fase de grupos, atrás apenas do Palmeiras, a premiação alcançou um valor que os dirigentes paraguaios não conseguiram honrar.

Isso causou incomodo no elenco e o desempenho dentro de campo caiu. Diante dos maus resultados, a diretoria decidiu interromper o trabalho do novo treinador do Santos.

Rescisão contratual de Turra

À espera de um bom trabalho por parte de Diego Aguirre, a diretoria se movimenta para pagar a rescisão contratual do demitido Paulo Turra, após 39 dias de trabalho.

Conforme o apurado pelo site, Turra tinha vencimentos mensais que beiravam os R$ 400 mil na Vila Belmiro. Assim, o Santos terá que pagar um valor proporcional referente aos quatro meses restantes do vínculo. Caso permanecesse até dezembro, Turra embolsaria cerca de R$ 1,6 milhão.

Turra custou R$ 200 mil por cada jogo

Por conta da interrupção no trabalho, a despesa santista deve ser considerada elevada. Foram 39 dias de serviços prestados por Turra, que receberá de rescisão mais de R$ 1 milhão. O pagamento será efetuado parceladamente até o término da temporada.

Se somado o valor da rescisão mais o único salário que Paulo Turra recebeu pelo mês trabalhado (cerca de R$ 1,4 milhão), cada um dos sete jogos do treinador no Santos custou algo muito próximo de R$ 200 mil aos cofres do clube.

Baseado nesse montante, Turra poderá dizer que cada um dos seus dias de trabalho na Baixada Santista custou pouco mais de R$ 35 mil.

Foto de Bruno Lima

Bruno Lima

Jornalista pela UniSantos com passagem pelo Jornal A Tribuna de Santos. Já trabalhou na cobertura de jogos da Libertadores e das Eliminatórias Sul-Americanas no Brasil e no Exterior. Na Trivela, é setorista do Santos.
Botão Voltar ao topo