Brasileirão Série A

Com um ponto em seis em casa, Abel repete discurso de cansaço no Palmeiras

Palmeiras, que ainda não venceu pelo Nacional, viaja para o Equador, onde vai jogar pela Copa Libertadores

Abel Ferreira pareceu satisfeito após o empate sem gols com o Flamengo pela terceira rodada do Campeonato Brasileiro, no Allianz Parque, neste domingo (21).

— Queríamos muito vencer, acho que poderíamos ter vencido, mas não pode negar que do outro lado tem uma equipe competente e que nos deu dificuldades. Acho que nossa equipe se comportou bem — disse.

— As pessoas vão falar que não foi um jogo bonito, mas não concordo. Tiveram chances, duas equipes com grandes jogadores e deu 0 a 0. Acho que a gente poderia ter ganho, mas do outro lado tem uma equipe com muita qualidade, e vocês viram que nosso adversário mexeu e nos deu problemas, mas demos resposta –- completou Abel.

Foi o segundo jogo como mandante seguido em que o Palmeiras não conseguiu balançar a rede — perdeu para o Internacional por 1 a 0 na quarta-feira. Em seis pontos disputados como mandante, o Palmeiras só conquistou um.

O técnico não usou o cansaço e o orçamento maior do adversário como justificativas para o resultado apenas razoável contra os rubro-negros. Mas voltou a falar dos temas na sua entrevista coletiva.

— Eu faço a pergunta: que tempo eu tenho para treinar e jogar contra o Del Valle? — disse o técnico.

De fato, o Palmeiras se vê em um momento complicado em termos de repouso. O Verdão viaja na terça-feira para o Equador, onde vai encarar o Independiente del Valle pela terceira rodada da Copa Libertadores.

“A culpa é minha”

Abel confessou, por exemplo, que Raphael Veiga, que fez mais uma partida irregular, por pouco não ficou fora do jogo contra o Flamengo.

— E o Veiga não está bem, realmente, por culpa minha. Ele não devia ter jogado contra o Vitória, jogou… Muitas vezes a má forma dos nossos jogadores é responsabilidade minha. Ele já deveria ter descansado. Sorte tenho que temos um núcleo de performance espetacular e o treinador tem que colocar gente mais experiente. Estêvão está nos ajudando muito, o Luis Guilherme, Lázaro o Endrick hoje foi bem. A diferença é essa, a gente forma jogadores, e nosso adversário contrata — disse ele.

— A culpa é minha, porque eu já deveria ter tirado ele há uns dois ou três jogos. Sabemos o que o Veiga pode nos dar coisas e decidir jogos. E o problema é o treinador que sempre o escala, mas ele precisa descansar. Há dois dias eu achava que ele não ia jogar, de acordo com a análise que fizemos e dor que sentia. Mas a vontade dele de jogar e nos ajudar é tanta… Eu tenho o Veiga e estamos à procura de achar um substituto à altura. O adversário tem Arrascaeta e De La Cruz. Muitas vezes vocês reclamam da fase dos jogadores, mas deixa eu falar que eles não aguentam, estão cansados. Muitas vezes aqui nossos jogos são feitos a 50%. Precisa de frescura.

Próximos jogos do Palmeiras

  • Independiente del Valle x Palmeiras – Copa Libertadores – quarta-feira, 24 de abril, às 21h30 (Horário de Brasília)
  • São Paulo x Palmeiras – Campeonato Brasileiro – segunda-feira, 29 de abril, às 20h (Horário de Brasília) – Premiere
Foto de Diego Iwata Lima

Diego Iwata Lima

Jornalista formado pela Faculdade Cásper Líbero, Diego cursou também psicologia, além de extensões em cinema, economia e marketing. Iniciou sua carreira na Gazeta Mercantil, em 2000, depois passou a comandar parte do departamento de comunicação da Warner Bros, no Brasil, em 2003. Passou por Diário de S. Paulo, Folha de S. Paulo, ESPN, UOL e agências de comunicação. Cobriu as Copas de 2010, 2014 e 2018, além do Super Bowl 50. Está na Trivela desde 2023.
Botão Voltar ao topo