Se os jogos das 16h no Campeonato Brasileiro concentravam resultados importantes às primeiras colocações da tabela, a faixa das 18h15 era essencial na luta contra o rebaixamento. e Atlético Goianiense conquistaram vitórias para se distanciar do Z-4, enquanto o se manteve vivo graças à grande virada sobre o Santos. E a noite guardaria uma dose de brilho a dois veteranaços, com grande história na Série A, que militam em times que buscam a sobrevivência. Fica até difícil de escolher qual gol foi mais bonito, entre a bicicleta de e o toque por cobertura de . Dois lances sensacionais, que chamam mais atenção pelos seus autores e valem ainda mais pela importância aos times.

Thiago Neves assinou sua pintura primeiro. Depois de um primeiro tempo equilibrado na Ilha do Retiro, o Sport passou a se impor contra o Bahia na volta do intervalo. Os gols anulados brecavam as pretensões do Leão, mas, quando foi pra valer, Thiago Neves caprichou. Aos 27 minutos da segunda etapa, o meia matou no peito e emendou a bicicleta. Não foi um chute tão forte, mas se tornou certeiro ao quicar e sair do alcance do goleiro Douglas. O lance abriu o triunfo dos pernambucanos por 2 a 0, complementado pelo tento de Iago Maidana no final.

Thiago Neves fez dois golaços na semana. No primeiro, fora de campo, liderou ao lado de Patric a doação de 129 cilindros de oxigênio aos hospitais de Manaus. Depois, foi recompensado com o lance lindíssimo na Ilha do Retiro. “Tenho vários gols bonitos. Esse foi bonito, mas também pela importância do gol. A gente precisava ganhar e acho que o Sport depende muito de mim dentro de campo. Procurei me concentrar, porque a vitória seria fundamental. O gol foi bonito, mas meu pensamento é mais pela importância, não pela lindeza da jogada”, afirmou o veterano, na saída de campo.

Na Vila Belmiro, o golaço de Rafael Moura coroaria uma virada grandiosa. O Santos, afinal, escalou titulares e deu um baile no primeiro tempo. O primeiro gol já tinha sido deslumbrante pelo passe de letra fenomenal de Marinho, antes que Pituca cruzasse para Lucas Braga marcar. O Peixe seguia dominando e Kaio Jorge fez mais um. O Goiás só reagiu no segundo tempo, mas com muita contundência. Voltou com outra cara e parecia bem mais interessado no jogo. Rafael Moura descontou, David Duarte empatou e Fernandão virou – num pênalti bem questionável, já que a falta de Sandry foi fora da área, o que o VAR não considerou. Logo depois, com os santistas atordoados, o He-Man apresentou seus poderes.

O quarto gol do Goiás saiu logo na saída de bola do Santos. Depois do desarme, Rafael Moura partiu em velocidade. Ganhou a primeira dividida com um corte, conseguiu escapar do segundo marcador com um pouco de sorte e destilou sua categoria na finalização, dando um toquinho por cobertura para deixar o goleiro John estático. O Santos descontou no fim com Marinho, de pênalti, e tentou o empate. Todavia, a vitória por 4 a 3 é bem mais importante ao Goiás, mesmo que o time siga na zona de rebaixamento.

Na saída, Rafael Moura ainda lembraria de Ronaldo Fenômeno, com seu famoso golaço pelo Corinthians contra o Santos na decisão do Paulistão de 2009: “Feliz demais por fazer aqui na Vila Belmiro, um estádio de grandes craques – Pelé, Zito, Robinho, Neymar… E de Ronaldo, que também fez um golaço aqui contra o Santos, dessa cavadinha. Feliz por esse lance individual e muito bonito, mas muito mais feliz pelo resultado. Foi um gol de força, de velocidade, de classe, de categoria. Fico feliz. Um baita golaço, mas, como eu falo, o resultado está acima de tudo isso”.

O Sport saltou ao 14° lugar com a vitória, somando 35 pontos. Volta a ultrapassar o Vasco e também supera o Fortaleza, que perdeu para o Atlético Goianiense por 2 a 0 neste domingo. O Bahia tem 32 pontos e é o primeiro no Z-4. O Goiás agora aparece em seu encalço, com 29 pontos, encerrando a série de três derrotas consecutivas e voltando a criar esperanças.