Brasil

Finalmente apresentado, reforço do Santos está feliz como não ficava há anos

Com 23 anos, Gabriel Brazão foi apresentado na tarde desta quarta-feira (13) como novo goleiro do Santos

Após um longo período de espera, o goleiro Gabriel Brazão foi apresentado como reforço do Santos para a temporada 2024. Contratado da Internazionale de Milão por meio de um pagamento simbólico, o jogador de 23 anos precisou esperar o Peixe resolver a sua pendência com o ex-técnico Fabián Bustos e colocar fim no transfer ban da FIFA para ficar à disposição de Fábio Carille. Passado todo esse contratempo, o atleta afirmou que há tempos não se sentia tão feliz como se encontra atualmente.

Revelado pelo Cruzeiro, Gabriel Brazão se transferiu muito jovem para o futebol europeu. O goleiro assinou contrato com o Santos até o final de 2026.

Brazão afirma que foi fácil aceitar o Santos

Apesar dos cinco anos de experiência em times do Velho Continente, Brazão não teve uma sequência de oportunidades e estava ansioso para voltar ao Brasil. E, segundo ele, aceitar a oferta do Peixe foi uma decisão fácil de ser tomada.

— Quando teve a oferta do Santos eu sentei com a minha esposa e meus empresários. Tinha dois anos de contrato com a Inter, mas era o Santos me procurando, um dos maiores clubes do mundo. Foi uma decisão fácil. E eu também precisava disso. Fazia tempo que não me sentia tão feliz como pessoa mesmo. A cidade e o clube resgataram isso em mim. Foi uma decisão muito fácil. Deixei nas mãos do empresário. Quando teve o transfer ban não quis escutar nada de fora e foquei apenas no trabalho — disse o novo goleiro santista.

Questionado sobre a falta de oportunidades nos clubes da Europa, Brazão entende que elas não apareceram por dois motivos: juventude e lesões.

— Eu saí muito novo. Infelizmente nos meus dois primeiros anos lá eu era bem novo. E foi justamente quando tive mais chances de jogar. Depois tive as lesões que me deixaram um bom tempo de fora. Creio que foi tudo da permissão de Deus. Amadureci e aprendi. Me sinto preparado. As lesões me deixaram um tempo fora, mas passou. A partir de agora tenho que olhar para frente e me sinto preparado para ajudar o Santos — falou o atleta.

Quais lesões atrapalharam a carreira de Brazão

Ainda durante a sua entrevista de apresentação, Gabriel Brazão aproveitou para detalhar quais foram os problemas médicos que lhe impediram, com a pouca idade, de ter sucesso em clubes como Parma, Internazionale, SPAL, Ternana, todos da Itália, e Oviedo e Albacete, da Espanha.

— Fiz três cirurgias em nove meses. Tenho que agradecer pessoas cruciais como minha esposa, família, meu fisioterapeuta, meu médico. Me sinto muito mais rápido, preparado, melhor. Foi um momento que aprendi e amadureci, tanto como jogador quanto pessoa. Me sinto mais preparado do que antes das lesões — comentou.

Disputa por titularidade com João Paulo

Contratado a pedido da comissão técnica para disputar a titularidade com João Paulo, Brazão falou sobre algumas das principais características para vencer a concorrência de João Paulo, mas, com muita humildade, afirmou ser um privilégio trabalhar com o atual dono da meta alvinegra.

— Cada goleiro tem uma característica que prevalece. Sou de muita velocidade, rápido. Aprendi certas coisas fora do Brasil que me ajudaram bastante. O João é um grande goleiro. Me sinto privilegiado de tê-lo como companheiro trabalhando comigo no dia a dia. Estou realmente muito feliz de estar aqui — completou o jogador.

Já no banco de reservas do Santos

Regularizado e inscrito no Campeonato Paulista, Brazão herdou a vaga do atacante Willian, que sofreu uma lesão muscular e não conseguirá se recuperar antes do término do Estadual. Por isso, na vitória contra a Inter de Limeira, no último sábado (9), na Vila Belmiro, o goleiro ficou pela primeira vez no banco de reservas do Peixe.

Ele será uma das opções de Carille para o confronto do próximo domingo (17), às 20h15 (horário de Brasília), também na Vila Belmiro, pelas quartas de final do Paulistão.

Foto de Bruno Lima

Bruno Lima

Bruno Lima nasceu em Santos (SP) e se formou em Jornalismo na Universidade Católica de Santos (UniSantos) em 2010. Antes de escrever para Trivela, passou por A Tribuna.
Botão Voltar ao topo