BrasilBrasileirão Série A

Balanço: Cruzeiro campeão, gol de Pato e reação do Vasco

A 33ª rodada foi a da festa do título brasileiro do Cruzeiro, mesmo que a confirmação só venha na próxima rodada, talvez na outra. O time é o campeão na prática, ninguém mais toma a taça. Mas isso não quer dizer que o campeonato acabou. O Atlético Paranaense segue em uma grande campanha e atropelou o São Paulo para seguir em segundo. O Botafogo perde fôlego e fica seriamente ameaçado pelo Goiás. Na parte de baixo, Bahia, Vasco, Criciúma e Fluminense travam um duelo duro contra o rebaixamento, enquanto a Ponte Preta tensa sair da areia movediça, mas vê suas chances diminuírem cada vez mais. Veja o que de melhor aconteceu em cada jogo da rodada:

O jogão

Cruzeiro 3×0 Grêmio

O melhor jogo da rodada foi do melhor time do campeonato. Isso não é uma coincidência. Contra um adversário difícil, o terceiro colocado, o Cruzeiro foi mais uma vez muito eficiente, venceu com autoridade de um time que sabe coletar os pontos atacando muito todos seus adversários. O Cruzeiro comemorou o título com a torcida e é justo. O time é o campeão. Só falta a chancela oficial, que vira na quarta, ou no fim de semana. Mas virá.

O golaço

Marcelo Cirino
Atlético Paranaense 3×0 São Paulo

Se o Atlético Paranaense faz uma grande campanha, boa parte desse sucesso merece ser atribuído a Marcelo. O camisa 7, que leva o nome Cirino na camisa, seu sobrenome, tem só 21 anos e é da base do clube. Neste domingo, o golaço que marcou contra o São Paulo abriu caminho para uma vitória tranquila e merecida do Furacão. Mais uma, aliás, já que o time é o segundo colocado, com 58 pontos e 16 vitórias conquistadas, sendo 11 delas em casa. Os 3 a 0 foram merecidos e contaram também com gol de Ederson, o artilheiro do Brasileirão com 17 gols.

A decepção

Internacional 2×1 Botafogo

Em determinado momento do campeonato, o Botafogo parecia um seríssimo candidato ao título. Justamente, aliás. Mas isso mudou. De candidato ao título, o Botafogo se segura para não perder a vaga no grupo dos quatro primeiros, que vão à Libertadores. O jogo de domingo foi uma derrota por 2 a 1 para o Internacional com esse ar de tristeza. O Inter já nem brigava por mais nada, mas o Bota sim. Com 53 pontos, o time está empatado com o Goiás, mas leva vantagem no número de vitórias.Sem falar que se São Paulo ou Ponte Preta forem campeões da Libertadores, o quarto lugar pode não dar vaga na Libertadores – mas também pode ser que o Atlético Paranaense seja campeão da Copa do Brasil e abra mais uma vaga no Brasileiro.

O reencontro

Corinthians 1×0 Fluminense

Pato desta vez acertou o pênalti e foi cumprimentado (Foto: Daniel Augusto Jr/Agência Corinthians)
Pato desta vez acertou o pênalti e foi cumprimentado (Foto: Daniel Augusto Jr/Agência Corinthians)

Alexandre Pato e a marca do pênalti voltaram a se encontrar neste domingo. O jogo entre Corinthians e Fluminense foi em Araraquara e, de novo, Tite preferiu escalar o time sem um centroavante típico. Quem atuou por ali foi Renato Augusto, que até levou algum perigo, mas longe do jogador que é atuando no meio-campo. Emerson Sheik e Romarinho continuam com atuações que sequer merecem crítica, porque estão abaixo dela.

O jogo não foi bom, porque o atual Fluminense também não ameaça ninguém. No final do jogo, Alexandre Pato entrou em campo e teve a chance de bater novamente um pênalti – pra lá de questionável, aliás. Foi lá, bateu forte e no alto, sem chance de defesa. Gol, vitória e desabafo no final: “Deixo meus números falarem”, declarou Pato, que ainda disse que quando foi titular, marcou mais gols. Então aí vão os números dele: são 23 jogos no Brasileiro (15 como titular) e nove gols. Destes, sete foram marcados quando ele foi titular e dois vindo do banco. Enquanto isso, o Fluminense entrou na zona do rebaixamento, porque o Criciúma venceu e o Vasco empatou.

A festa

Bahia 0x0 Atlético Mineiro

Eram mais de 35 mil torcedores na Fonte Nova para assistir ao Bahia, que ainda luta para se garantir na primeira divisão. O apoio veio, mas o resultado não. O empate por 0 a 0 acabou sendo ruim para o time, que fica em 15º, com 39 pontos, e ainda perigosamente perto da zona do rebaixamento – são três pontos de vantagem para o Criciúma, 17º, posição do primeiro time rebaixado.

O artilheiro

Flamengo 1×1 Goiás

Hernane, artilheiro do Flamengo no ano (Foto: Jorge Rodrigues - Eleven)
Hernane, artilheiro do Flamengo no ano (Foto: Jorge Rodrigues – Eleven)

Sábado à noite, Maracanã, Flamengo em campo. Com o estádio bem menos cheio do que na quarta, só 14.798 pessoas. O Goiás brigando por vaga na Libertadores, mas aí tem Hernane, que está naquela fase iluminada que tudo dá certo. Meteu mais um gol, seu 14º no campeonato, e já briga pelo posto de artilheiro. São três gols para chegar em Ederson, do Atlético Paranaense. Se a fase continuar boa, é até possível. Já o Goiás, que empatou o jogo com Rodrigo, de cabeça, e segue brigando por vaga na Libertadores. O esmeraldino é quinto, com 53 pontos, mesma pontuação do Botafogo, mas com uma vitória a menos.

A confusão

Portuguesa 0x0 Coritiba

O jogo no Canindé era de dois times desesperados. A Lusa jogou em casa, mas não teve a torcida a favor. Ao menos, não a maioria. Eram 3.781 pagantes no estádio, com a maioria de torcedores do Coritiba – foram ao menos 20 ônibus de torcedores do Coxa que fizeram caravana para São Paulo. No intervalo, confusão: a Polícia Militar entrou no setor destinado aos visitantes e reagiu com violência. Uma violência completamente desproporcional e desnecessária. O 0 a 0 do jogo ficou até em segundo plano com essa confusão.

A solidão

Náutico 0x1 Criciúma

Só 2.797 pessoas se dispuseram a estar na Arena Pernambuco para o confronto entre Náutico e Criciúma, o menor público da rodada. Não é por acaso. O Náutico já está rebaixado e o Criciúma é um dos times que luta para sair dessa zona. O jogo acabou 1 a 0, gol de Wellington Paulista, em um chute de fora da área. Esperança para o Tigre, que subiu uma posição e ficou mais perto de sair do grupo dos rebaixados. O Náutico… Bem, continua lá, esperando ansiosamente pelo fim do campeonato.

O vexame

Ponte Preta 0x3 Vitória

Depois da épica classificação na Copa Sul-Americana, a Ponte Preta voltou ao Campeonato Brasileiro cheia de esperança. Não adiantou muito. O estádio Moisés Lucarelli recebeu 15.665 pessoas para ver a Ponte tentar sair um pouco da lama ganhando pontos. Não deu. O Vitória, do técnico Ney Franco, venceu por 3 a 0 e nem deu chances à Macaca. O time tem 34 pontos, a três do Vasco. Com cinco rodadas para o fim do campeonato, fica cada vez mais difícil escapar de jogar a Série B em 2014.

A reação

Vasco 2×2 Santos

Torcedores do Vasco abraçam André, autor do gol de empate (Foto: Marcelo Sadio / vasco.com.br)
Torcedores do Vasco abraçam André, autor do gol de empate (Foto: Marcelo Sadio / vasco.com.br)

Parecia que seria um daqueles dias que nada dá certo para o Vasco. O Santos abriu 2 a 0 contra o cruzmaltino com facilidade no primeiro tempo e só não goleou porque perdeu gols demais. Mas aí vem o segundo tempo e as coisas mudam completamente. A torcida empurra o Vasco no Maracanã. Foram 50.421 pagantes e 56.756 presentes no estádio, melhor público do time no Brasileiro.A reação veio. Perdendo por 2 a 1, o time fez muita força, pressionou e alcançou o empate com André. Dramático empate, mas que tirou o time da zona do rebaixamento por um ponto. Agora o time terá um jogo duríssimo: o Grêmio, em Porto Alegre. Como o Fluminense pega o Náutico, se não vencer o Vasco tem boas chances de voltar ao grupo dos quatro últimos colocados.

Foto de Felipe Lobo

Felipe Lobo

Formado em Comunicação e Multimeios na PUC-SP e Jornalismo pela USP, encontrou no jornalismo a melhor forma de unir duas paixões: futebol e escrever. Acha que é um grande técnico no Football Manager e se apaixonou por futebol italiano (Forza Inter!). Saiu da posição de leitor para trabalhar na Trivela em 2009, onde ficou até 2023.
Botão Voltar ao topo