BrasilCampeonato Brasileiro

Árbitro que expulsou Geuvânio passou seis rodadas sem apitar antes de Santos x Grêmio

Geuvânio recebeu um justo cartão amarelo por entrada em Luan, aos 27 minutos do primeiro tempo. A divida foi forte e sobrou também para o jogador do Santos, que saiu de campo para atendimento médico. Aos 28, estava de pé, pronto para voltar ao gramado e o árbitro paranaense Felipe Gomes da Silva sinalizou que ele poderia entrar no campo. O jovem finalizou o atendimento e entrou, bem na hora que um passe da defesa do Grêmio vinha na sua direção. Já dentro do jogo, hesitou alguns segundos, mas interceptou a bola e correu em direção ao gol. Levou outro amarelo e foi expulso.

LEIA MAIS: Fred perdeu um gol para atormentá-lo por toda a vida (e, de 0 a 10, 11 da Escala Deivid)

Recebeu a segunda advertência por ter entrado em campo sem autorização, mesmo depois de o árbitro ter feito o movimento nesse sentido. Fica a impressão de que Felipe Gomes da Silva ficou com medo de se complicar quando viu que o lance poderia resultar em uma jogada de gol e se atrapalhou todo. Deveria simplesmente ter parado a partida, para não prejudicar o Grêmio, cujo jogador deu o passe antes de Geuvânio entrar em jogo, sem dar amarelo para ninguém. Bom senso.

Não foi a primeira vez que ele se atrapalhou. Em 30 de maio, na vitória da Ponte Preta sobre a Chapecoense por 3 a 1, ele conseguiu expulsar o lateral direito Apodi, do time catarinense, com dois cartões amarelos no mesmo minuto por reclamação. Depois de levar a primeira advertência, o defensor afirmou “porra, caralho, marca a falta”, e imediatamente levou a segunda, culminando com o vermelho. Nesse mesmo jogo, deu amarelo para Roger, que ficou frustrado com a marcação de uma falta e, a cerca de dez metros do árbitro, simplesmente levantou os braços.

Ficou fora da escala por seis rodadas, em todas as divisões do futebol brasileiro, o equivalente a mais ou menos quarenta dias sem apitar nenhum jogo de futebol. Segundo o ex-árbitro Sálvio Spinola Fagundes Filho, hoje comentarista de arbitragem da ESPN Brasil, seria um risco que ele deixasse a geladeira direto para uma partida complicada como Santos e Grêmio. Poderia voltar apitando um jogo mais tranquilo da Série C.

Dito e feito. Sem ritmo, e com a cabeça bagunçada pelas orientações sem pé nem cabeça da CBF, Felipe Gomes da Silva expulsou Geuvânio de forma, no mínimo, exagerada. O Santos perdia por 1 a 0 e acabou sendo derrotado por 3 a 1.

 

Mostrar mais

Bruno Bonsanti

Como todo aluno da Cásper Líbero que se preze, passou por Rádio Gazeta, Gazeta Esportiva e Portal Terra antes de aterrissar no site que sempre gostou de ler (acredite, ele está falando da Trivela). Acredita que o futebol tem uma capacidade única de causar alegria e tristeza nas mesmas proporções, o que sempre sentiu na pele com os times para os quais torce.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo