América do SulGamesMundo

Você pode escolher a capa sul-americana de Fifa 16, mas brasileiros não são opção

A cada ano a EA Sports encarava sempre a mesma coisa: muita reclamação dos gamers pelos atletas escolhidos para a capa. Inevitavelmente, quando você escolhe o craque de um time para ser a estrela do game, os rivais irão se queixar de terem preterido o ídolo do seu time em favor do destaque do oponente. Para dar uma maior sensação de interatividade a seus jogadores, a empresa desta vez decidiu criar votações em seus mercados estratégicos para a escolha dos atletas que acompanharão Messi em suas respectivas capas. A América do Sul, por exemplo, poderá escolher entre seis jogadores, surpreendentemente nenhum deles brasileiro.

VEJA TAMBÉM: A New Balance caprichou em sua primeira camisa para o Porto

Salomón Rondón, Cuadrado, Agüero, Bravo, Zambrano e Cavani. Essas são as opções em que os sul-americanos podem votar. Os brasileiros não são opção na votação porque a EA Sports está preparando uma capa exclusiva para o mercado brasileiro, que será divulgada em 7 de julho. Não há informações sobre como será a versão brasileira, mas levando em conta as últimas três capas para o Brasil e a falta de definição no acordo com times brasileiros, dá para esperar que a edição de nosso país traga apenas Lionel Messi na capa.

Destaque na vitória de sua seleção sobre a Colômbia, na estreia da Copa América, Rondón lidera a votação sul-americana, seguido por Cuadrado e Agüero, que também é uma das opções para a capa inglesa, cuja votação tem sido dominada por Henderson, do Liverpool. Nesta publicação da EA Sports, você pode ver os diferentes mercados estratégicos de Fifa e quais suas opções de capa. Uma pena que um mercado tão importante quanto o brasileiro não tenha o mesmo privilégio.

Mostrar mais

Leo Escudeiro

Apaixonado pela estética em torno do futebol tanto quanto pelo esporte em si. Formado em jornalismo pela Cásper Líbero, com pós-graduação em futebol pela Universidade Trivela (alerta de piada, não temos curso). Respeita o passado do esporte, mas quer é saber do futuro (“interesse eterno pelo futebol moderno!”).

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo