Sul-Americana

Artur marca do meio-campo e confirma o Red Bull Bragantino nas semifinais da Copa Sul-Americana

O 0 a 0 já era mais do que suficiente, mas Artur deu um toque de mágica à classificação do clube paulista

Não foi um festival de gols como no jogo de ida, nem era o 0 a 0 mais travado que já havíamos visto, mas o placar se manteve sem modificações até os minutos finais do jogo de volta das quartas de final da Copa Sul-Americana em Bragança Paulista. Ótimo para o Red Bull Bragantino que se classificava até com um gol de folga por ter vencido o Rosario Central por 4 a 3 na Argentina, com tripleta de Artur. Eis que, aos 48 minutos do segundo tempo, não satisfeito, o atacante deu um toque de mágica para selar a classificação e marcou o gol da vitória por 1 a 0 do meio-campo.

Embora com uma vitória em sete rodadas do Campeonato Brasileiro, o Red Bull Bragantino ainda está na quarta posição e segue de vento em popa na Sul-Americana. Passou na liderança do grupo que tinha Emelec, Talleres e Tolima, eliminou o Independiente del Valle, campeão de 2019, nas oitavas de final e, após vencer o Rosario Central, aguarda Santos ou Libertad na semifinal.

O Red Bull Bragantino poderia até perder por um gol de diferença. Bem atrás na disputa, portanto, o Rosario Central partiu para cima desde o início da partida e dominou os primeiros minutos. Marco Rubén teve duas chances, uma espalmada por Cleiton e outra que encontrou as redes, após arrancada de Vecchio, mas o gol foi anulado por impedimento.

Após a anulação, a partida ficou mais equilibrada, e o Red Bull Bragantino conseguiu encaixar alguns ataques rápidos em transição, como aos 22 minutos quando Praxedes caiu pela direita e tocou para Ytalo na entrada da área. A bola foi direcionada à passagem de Cuello pela esquerda, mas, pressionado, o chute saiu por cima do gol de Jorge Broun.

Os últimos 15 minutos da etapa inicial foram mais travados, com a bola passando entre as duas intermediárias, sem grandes chances de gol, até os 42 minutos, quando Artur completou cruzamento de Cuello na trave.Ainda antes do intervalo, Rubén conseguiu um desvio no meio da área e encontrou Damián Martínez livre no segundo pau. Sem muita classe, Martínez até pegou na bola, mas não conseguiu direcionar ao gol.

O ritmo caiu no segundo tempo. O Rosario Central teve mais posse de bola e menos chances claras, com apenas uma finalização certa e cinco para fora. Esse chute no alvo até que foi perigoso porque saiu de uma jogada bem trabalhada que terminou com uma ajeitada de cabeça para Vecchio pegar de frente. Mas não acertou a bola em cheio e facilitou a defesa de Cleiton.

O Red Bull Bragantino era perigoso nos contra-ataques. Não matou a partida, e nem precisava realmente porque o relógio começou a chegar ao fim e o clube paulista ainda podia sofrer um gol. No terceiro minuto da prorrogação, porém, ficou um pouco fácil demais. A defesa afastou uma cobrança de escanteio e Artur disparou do próprio campo de defesa.

O goleiro Broun estava adiantado, quase como goleiro-linha, perto do círculo central, e não conseguiu retornar a tempo. Bem da linha do meio-campo, Artur bateu de canhota para carimbar de vez o passaporte do Red Bull Bragantino para a próxima fase.

.

.

Mostrar mais

Bruno Bonsanti

Como todo aluno da Cásper Líbero que se preze, passou por Rádio Gazeta, Gazeta Esportiva e Portal Terra antes de aterrissar no site que sempre gostou de ler (acredite, ele está falando da Trivela). Acredita que o futebol tem uma capacidade única de causar alegria e tristeza nas mesmas proporções, o que sempre sentiu na pele com os times para os quais torce.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo