América do Sul

Ranking das Américas: Estados Unidos

É uma liga que cresceu muito nos últimos anos, e a quarta posição do ranking é uma consequência disso. Os quesitos extracampo são muito favoráveis aos norte-americanos, pela organização e boa condição de conforto e segurança para o público. Mas ainda falta melhorar em ligação da torcida com seus clubes e no nível técnico da liga.

Estrelas – 6 pts

Pela qualidade de vida do país, a MLS conseguiu atrair Beckham e Henry, o que merece respeito. Mas tem muito jogador para lá de mediano que tem status de estrela nos Estados Unidos.

Público nos estádios – 9

Considerando que o futebol é a oitava liga mais popular do país (atrás de NFL, MLB, futebol americano da NCAA, NBA, Nascar, basquete da NCAA e NHL), ter média na casa de 20 mil é notável. Ainda mais porque a maioria dos estádios tem capacidade na casa de 20 a 25 mil lugares, não dando espaço para alguns jogos de 60 ou 70 mil pagantes jogar a média para o alto.

Competitividade – 6

O modelo de franquia, com divisão de recursos e draft, tende a igualar as forças, mas a MLS ainda não consegue impedir que o Los Angeles Galaxy seja bem mais rico que os demais times.

Rivalidades – 2

Os torcedores estão se esforçando para que as rivalidades surjam, mas ainda estão longe de ter o nível de acirramento e ódio que se vê na América Latina ou nos outros esportes dos Estados Unidos. Afinal, quer comparar Los Angeles Galaxy x Chivas USA com América x Chivas Guadalajara, Nacional x Peñarol ou Grêmio x Internacional?

Violência extracampo – 9

A torcida do New England Revolution já teve de ser escoltada uma vez que foi a Nova York. Foi só isso. Em geral, o comportamento é bastante cordato e pacifico.

Paixão – 3

Os clubes ainda não se consolidaram como forças locais, e muito norte-americano que gosta de futebol tem preferência pelas ligas europeias que pela MLS.

Organização – 9

O regulamento ainda dá suas mudadas, mas é sempre feito com motivos claros, que o público consegue compreender sem dificuldade. E, como eventos, as partidas são realizadas sem problemas, com operação fluida como deveria ser sempre.

Cobertura da mídia – 7

A cobertura da imprensa especializada é muito boa, e a própria MLS ajuda disponibilizando muitas informações de qualidade. Mas falta mais espaço na grande mídia, onde o futebol precisa disputar espaço com esportes mais tradicionais dos Estados Unidos.

Impacto continental – 5

Tem tido problemas para encarar os mexicanos na reta final da Concachampions. Se aplicarmos isso ao cenário Sul-Americano, tiramos mais uns dois pontos. É, cinco parece adequado para o momento.

Qualidade do jogo – 5

Há jogadores de talento inegável nas equipes, mas há alguns de capacidade técnica sofrível. Com isso, muitos jogos são feios de ver, com algumas demonstrações de falta de intimidade com a bola. Isso porque os gramados geralmente são ótimos.

Mostrar mais

Ubiratan Leal

Ubiratan Leal formou-se em jornalismo na PUC-SP. Está na Trivela desde 2005, passando por reportagem e edição em site e revista, pelas colunas de América Latina, Espanha, Brasil e Inglaterra. Atualmente, comenta futebol e beisebol na ESPN e é comandante-em-chefe do site Balipodo.com.br. Cria teorias complexas para tudo (até como ajeitar a feijoada no prato) é mais que lazer, é quase obsessão. Azar dos outros, que precisam aguentar e, agora, dos leitores da Trivela, que terão de lê-las.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo