América do Sul

Procura-se um bom futebol

Poderia ser estranho trocar de técnico depois de ser o segundo melhor time da América do Sul, mas não foi. A naturalidade com que foi aceita a renúncia do técnico argentino Gerardo Martino ao comando da seleção paraguaia mostra o quanto o desempenho na Copa América foi desagradável. Em que se pese o vice-campeonato, o Paraguai atuou sempre fechado, com um futebol feio, pouquíssimas jogadas de ataque e que acreditava principalmente na habilidade de seu goleiro Justo Villar sob as traves. Não à toa foram cinco empates em seis jogos, com uma derrota na final contra o Uruguai. Em sua coletiva de despedida, Martino disse: “Após termos chegado às quartas de final na Copa de 2010 esperávamos uma curva ascedente de desempenho, mas o que ocorreu foi o inverso. Quando começamos os resultados eram ruins, mas víamos uma melhora. Agora não”.

Minutos depois da saída do argentino a Federação Paraguaia anunciou Francisco Arce, 40 anos, como novo técnico. O mesmo Arce que foi ídolo do Palmeiras e do Grêmio e o mesmo Arce que pegou o Rubio Ñu na segunda divisão em 2008 e, junto a Carlos Gamarra – o mesmo do Corinthians -, faturou o título da segunda divisão, posteriormente firmando o time como quinta força na elite do país. Se não tem muita experiência como treinador, Arce conta com a aura de ídolo guarani e resgata a identificação do técnico com a equipe que dirige. Desde 1999 a seleção paraguaia não tinha um comandante do próprio país.

É também uma aposta na renovação da filosofia e forma de a equipe jogar. Arce não é um entusiasta do futebol ofensivo, mas exige que seu time tenha toque de bola e proponha o jogo quando necessário, diferentemente do que ocorreu na Copa América. Em entrevistas, Chiqui já revelou ter duas grandes referências em relação a treinadores: Luís Felipe Scolari e Sérgio Markarián, atual técnico da seleção peruana. É uma mescla destes dois estilos que Arce aplicou no Rubio Ñu e quer para o Paraguai. O brasileiro bastante defensivo e adepto do futebol pragmático. O uruguaio, entusiasta do futebol de posse de bola e ataques constantes.

Será também uma boa chance para reformar a maneira como as seleções de base são encaradas. Atualmente a albiroja tem seus times inferiores em frangalhos. Nem a sub-17, que foi campeã sul-americana, em 2009, quando sub-15, nem a sub-20 se classificaram para o Mundial e tampouco revelaram grandes valores para chegar ao time principal. Arce já mostrou estar atento neste sentido. Quatro dias depois de ser nomeado como treinador da albiroja principal, o técnico acompanhou os treinamentos da seleção infantil paraguaia. Chiqui Arce também terá participação ativa no gerenciamento e comunicação com os técnicos das seleções de base, o que pode estimular a renovação necessária para a equipe que deve disputar a Copa do Mundo de 2014.

Em sua primeira convocação, anunciada nesta quinta-feira visando ao jogo contra o América do México, partida em homenagem a Salvador Cabañas, Arce já decidiu testar algumas peças. Dando folga para diversos atletas que participaram da Copa América, o treinador paraguaio chamou de volta Óscar Cardozo, que havia sido deixado de fora do torneio continental por Tata Martino, promoveu a primeira convocação do goleiro Mario Villasanti, do Sportivo Luqueño, convocou o jovem Silvio Torales, de 19 anos, além de fazer diversos outros testes com jogadores do futebol local, como o atacante Robin Ramírez, do Libertad, e o meiocampista Néstor Camacho, ex-Rubio Ñu. Mal comparando, parece muito com a primeira convocação de Dunga no comando da seleção brasileira em 2007, com jogadores poucas vezes lembrados e badalados que podem vir a ficar no time, mas que estão em um segundo escalão ante os medalhões.

Falta ver o time dentro das quatro linhas, mas desde já é um grande sopro de renovação e de esperança para o futebol e os torcedores paraguaios. Mais do que nunca o vencer a todo custo perdeu espaço ante a cultura de que é preciso jogar antes de ganhar. Arce sabe muito bem disso. É um ganhador nato. Tomara que faça o mesmo pela seleção de seu país.

Copa Sul-Americana

Nesta semana rolou a bola para a primeira fase da Copa Sul-Americana 2011. Confira os resultados (mandantes do primeiro jogo à frente) :

San José-BOL 0 x 0 Nacional-PAR
Universidad Cesar Vallejo-PER 1 x 1 Santa Fe-COL
Deportivo Quito-EQU 1 x 0 Deportivo Anzoátegui-VEN
Olimpia-PAR 2 x 0 The Strongest-BOL
Bella Vista-URU 1 x 1 Universidad Católica-CHI
Yaracuanos-VEN 1 x 1 LDU-EQU

Mostrar mais

Equipe Trivela

A equipe da redação da Trivela, site especializado em futebol que desde 1998 traz informação e análise. Fale com a equipe ou mande sua sugestão de pauta: [email protected]

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo