América do Sul

Peñarol e Santos não saem do zero em Montevidéu

Mesmo com boas chances de gols criadas pelas duas equipes, Peñarol e Santos ficaram no empate em 0 a 0 nesta quarta-feira, em Montevidéu, no jogo de ida da final da Copa Libertadores 2011. Com o resultado, quem vencer a partida de volta na próxima quarta-feira no Pacaembu será campeão. Caso haja empate por qualquer placar, a partida irá para a prorrogação.

O Peñarol começou a partida buscando o ataque e quase abriu o placar logo aos seis minutos com Juan Olivera, que recebeu lançamento e dividiu com Rafael, que conseguiu fazer a defesa. Aos poucos, porém, os santistas controlaram a pressão e começaram a atacar, criando a primeira chance aos 20 minutos, com belo chute de Alex Sandro.

As duas equipes então passaram a alternar ataques. Aos 44 minutos, o Peñarol perdeu a grande chance de abrir o placar no primeiro tempo com Dario Rodríguez, que, cara a cara com Rafael, encobriu o goleiro santista, mas a bola foi por cima da trave.

Depois do intervalo, o Santos voltou melhor e perdeu uma oportunidade incrível. Após chute de Elano, a bola bateu em Danilo e sobrou para Zé Eduardo que, cara a cara com Sebastián Sosa, chutou para belíssima defesa do goleiro uruguaio.

Pouco depois, o Peñarol passou a pressionar um pouco mais, sem, no entanto, incomodar. O Santos teve nova chance de abrir o placar quando, aos 26 minutos, Alex Sandro cruzou para Zé Eduardo cabecear e a bola passar raspando a trave. Dois minutos depois, Olivera apareceu cara a cara com Rafael e finalizou para fora.

O último lance de perigo da partida, para desespero dos 55 mil torcedores que compareceram ao estádio Centenário, foi um gol do Peñarol marcado por Diego Alonso e bem anulado pelo assistente, que flagrou impedimento.

Ficha técnica

Santos 0x0 Peñarol

Local: Centenário, em Montevidéu (URU)
Data: 15/jun, quarta-feira
Árbitro: Carlos Amarilla (PAR)
Cartôes amarelos: Alejandro González, Matías Corujo e Alejandro Martinuccio (Peñarol), Neymar e Arouca (Santos).

Peñarol
Sebastián Sosa, Alejandro González, Carlos Valdéz, Guillermo Rodríguez e Dario Rodríguez; Matías Corujo (Antonio Pacheco, aos 22'/2T), Nicolás Freitas, Luis Aguiar e Matías Mier (Fabián Estoyanoff, aos 10'/2T); Alejandro Martinuccio e Juan Manuel Olivera. Técnico: Diego Aguirre.

Santos
Rafael, Pará, Bruno Rodrigo, Durval e Alex Sandro; Adriano, Arouca, Danilo e Elano (Alan Patrick, aos 33'/2T); Neymar e Zé Eduardo (Bruno Aguiar, aos 43'/2T). Técnico: Muricy Ramalho.

Mostrar mais

Equipe Trivela

A equipe da redação da Trivela, site especializado em futebol que desde 1998 traz informação e análise. Fale com a equipe ou mande sua sugestão de pauta: [email protected]

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo