América do Sul

O Paraguai encaminhou a classificação com um dos gols mais bizarros já vistos

O Paraguai chegou à Copa América sem causar tanta empolgação, até pela entressafra que a seleção vive. Contudo, o time de Ramón Díaz está com a classificação encaminhada para as quartas de final. Após a grande reação diante da Argentina na estreia, a Albirroja fez a sua parte ao vencer a Jamaica. Não teve uma tarde tão brilhante, mas pressionou o tempo todo e manteve a superioridade. Só que dependeu de um lance pra lá de bizarro no primeiro tempo, em que o meia Edgar Benítez contou com a sorte, para vencer por 1 a 0. O suficiente para os valiosos três pontos.

Longe de ser uma equipe muito talentosa, o Paraguai possui muita organização. E se manteve em cima da Jamaica durante todo o primeiro tempo, forçando os jamaicanos a se segurarem. Com a defesa afastando o perigo e a falta de pontaria também pesando, o gol parecia questão de tempo. Saiu aos 36 minutos, mas de um jeito que poucos esperariam. Muito bem no meio-campo, Victor Cáceres lançou em profundidade. O goleiro Kerr saiu da área e cortou de cabeça, mas mandou a bola em cima do joelho de Benítez. O paraguaio conseguiu encobrir o adversário, para completar a trapalhada.

Já durante o segundo tempo, a Jamaica não demonstrou que poderia reagir. Em cima, o Paraguai se manteve muito mais próximo do segundo gol. Cáceres chegou a balançar as redes, mas teve seu tento corretamente anulado por impedimento. Pouco depois, Kerr salvaria um bom chute do volante, enquanto Samudio mandou a bola na forquilha em um chute da entrada da área. Mesmo com muito tempo pela frente, o jogo estava definido. E os jamaicanos só conseguiram criar perigo uma vez, mas nada que mudasse os rumos do resultado.

Esta foi a primeira vitória do Paraguai na Copa América desde 2007 – já que o vice-campeonato da última edição foi construído com cinco empates na campanha até a final. Deixa a Albirroja bem mais tranquila para o duelo contra o Uruguai, com boas chances de avançar mesmo com uma derrota. E que deixa para os anais um dos gols mais ridículos da história da competição sul-americana.

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo