América do Sul

O encontro de uma das torcidas gregas mais apaixonadas com o Boca Juniors produziu imagens inesquecíveis

Amizades entre torcidas não são incomuns, especialmente entre equipes de países vizinhos. Mas uma relação como a existente entre Boca Juniors e Aris causa surpresa, atravessando o Atlântico. A aproximação dos clubes aconteceu em 2009, durante uma excursão dos xeneizes pela Europa. Os gregos receberam muitíssimo bem os argentinos, a ponto dos torcedores estenderem faixas nas arquibancadas dando boas-vindas aos portenhos e até mesmo afirmando que “Mi casa es su casa”. Desde então, os laços foram mantidos, especialmente entre ultras e barra bravas – com os aurinegros da Super 3 dizendo que se inspiram em La 12. E a união foi revigorada nesta quarta, em amistoso disputado pelos reservas do Boca em Salônica.

Treinados pelo ex-zagueiro Rolando Schiavi, os garotos do Boca Juniors sentiram o que é um estádio grego em noite de jogo. Os aurinegros do Aris incendiaram as arquibancadas do Estádio Kleanthis Vikelidis, com bom público para um amistoso do tipo. Cenas fantásticas de orgulho pelo clube, que caiu para a terceira divisão em 2014, por problemas financeiros, e tenta se reerguer na segundona, impulsionado principalmente pelos próprios torcedores. Ao final do jogo, os aurinegros venceram por 1 a 0. Mas certamente os boquenses levarão para casa uma bagagem bem maior que a derrota. As lembranças serão vivíssimas – e flamejantes.

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo