América do SulArgentina

Mais do que negar briga com Banega, Mascherano defendeu o companheiro pela coragem

Javier Mascherano é um dos mais importantes jogadores da seleção argentina. Não é só uma questão de qualidade técnica – que ele tem -, mas a sua função. Ele dá equilíbrio a um time com vocação ofensiva evidente, além de ser o principal jogador da saída de bola. É também um dos líderes do elenco. Por isso tudo, ele se enfureceu com os rumores de que ele teria se desentendido com Ever Banega, um dos que perdeu pênalti na disputa com o Chile, na final da Copa América.

LEIA TAMBÉM: Mascherano deu um baita discurso sobre o que é a essência do futebol

“Chefito”, apelido que ganhou ainda nos tempos de River Plate, não é um jogador que costuma causar problemas de elenco. Aliás, a fama dele é o contrário: ele costuma ser um exemplo, alguém que os jogadores confiam e que, merecidamente, tem muita moral. Os rumores de que ele foi cobrar Banega de forma contundente e os dois chegaram inclusive a trocar agressões físicas foi prontamente desmentido pelo jogador.

“Escutei que briguei com Ever. Eu não sou assim, é ridículo”, declarou o jogador do Barcelona ao diário argentino Olé. “Nunca apontaria a alguém que teve coragem de cobrar um pênalti em uma final diante de 70 mil pessoas”, explicou ainda o volante argentino, que se sentiu ofendido pelos rumores. “Podem me criticar pela forma que jogo, mas não por isso, eu não sou assim”.

Mascherano, de 31 anos, é um dos jogadores mais importantes da Argentina e do Barcelona, tendo o mesmo perfil em ambos os times. É um coadjuvante que faz as grandes estrelas poderem jogar mais tranquilas. Alguns chamariam de trabalho sujo o que o volante faz. Talvez seja uma expressão imprecisa para a sua função, que exige que ele dê uma saída de bola limpa para o time. É notório que Mascherano pode oferecer muito aos seus times, com a bola ou sem ela, além das suas qualidades como líder. Com esse histórico e vivendo este momento, não é de se estranhar que ele tenha se sentido ofendido.

Mostrar mais

Felipe Lobo

Formado em Comunicação e Multimeios na PUC-SP e Jornalismo pela USP, encontrou no jornalismo a melhor forma de unir duas paixões: futebol e escrever. Acha que é um grande técnico no Football Manager e se apaixonou por futebol italiano (Forza Inter!) desde as transmissões da Band. Saiu da posição de leitor para trabalhar na Trivela em 2009.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo