Libertadores

Além da liderança: o que vale o jogo do Botafogo contra o Junior-COL na Libertadores

Já classificado para as oitavas de final da Copa Libertadores, o Botafogo enfrenta o Junior Barranquilla-COL, nesta terça, pela última rodada da fase de grupos

O Botafogo tem mais uma decisão pela Copa Libertadores. Nesta terça-feira (28), às 19h (horário de Brasília), o Glorioso, já classificado para as oitavas de final, encara o Junior Barranquilla, da Colômbia, fora de casa, no Estádio Metropolitano, às 19h (horário de Brasília), pela última rodada da fase de grupos, em jogo que vale a liderança do Grupo D. Mas não é só isso. Para o Botafogo, a partida desta noite vale mais do que a primeira colocação da chave.

Dessa forma, a Trivela traz o que vale para o Botafogo a partida contra o Junior Barranquilla-COL e o que vale o torcedor ficar de olho no jogo desta noite, na Colômbia.

Liderança e vantagem nas oitavas

Apesar de não ser o único fator, é claro que a liderança do Grupo D é importante para o Botafogo. Além da moral de sair com a primeira colocação da chave, depois de iniciar a fase de grupos com duas derrotas, o Glorioso iria para as oitavas de final com a vantagem de decidir o confronto em casa, no Nilton Santos.

O Botafogo, teoricamente, pode enfrentar adversários menos qualificados nas oitavas de final – ou que apresentaram mais dificuldades na fase de grupos. Pelo regulamento da Copa Libertadores, os primeiros colocados das chaves enfrentam os segundos lugares. Assim, o time evitaria a chances de pegar clubes como Palmeiras e Fluminense, que já têm as primeiras colocações garantidas, e Atlético-MG e River Plate, que também têm boas chances de terminarem a fase de grupos na primeira colocação.

O que o Botafogo precisa para ser líder?

Botafogo e Junior Barranquilla-COL estão empatados com nove pontos, mas os colombianos lideram o Grupo D pelo saldo de gols. Assim, o Glorioso precisa de uma vitória simples para terminar a fase de grupos na liderança da chave. O Junior tem a vantagem do empate para seguir na primeira colocação.

Vitória vale prêmio milionário

Uma vitória nesta terça-feira ainda pode valer mais dinheiro na conta do Botafogo. A Conmebol paga um prêmio de US$ 330 mil (R$ 1,7 milhões, na cotação atual) por vitória na fase de grupos da Copa Libertadores. Assim, o Botafogo pode aumentar a sua premiação na competição.

Até o momento, com a participação nas fases prévias da Copa Libertadores, os jogos e as vitórias na fase de grupos, e a classificação para as oitavas de final, o Botafogo já garantiu US$ 6,3 milhões (R$ 32,1 milhões, na cotação atual).

Volta de Tiquinho Soares ao time

Independente do resultado, a partida desta noite já será importante para o Botafogo e sua torcida pelo retorno de Tiquinho Soares. O atacante não entra em campo há mais de um mês, quando sofreu uma lesão muscular na coxa direita durante a partida contra o Universitario-PER, pela terceira rodada da fase de grupos da Copa Libertadores, no fim de abril.

Tiquinho voltou a treinar com o elenco na última semana e, de acordo com o ge, já deve ser titular do time de Artur Jorge na noite desta terça-feira. Ele tem seis gols e cinco assistências em 19 partidas na temporada.

O Botafogo deve entrar em campo com: John; Damián Suárez, Lucas Halter, Bastos e Hugo; Gregore, Marlon Freitas e Tchê Tchê; Luiz Henrique; Tiquinho Soares, Júnior Santos.

Retorno de jogadores afastados por indisciplina

Além de Tiquinho Soares, outros dois jogadores voltaram a lista de relacionados do Botafogo. Depois de ficaram dez dias afastados por indisciplina, os meias Óscar Romero e Diego Hernández voltaram a ficar à disposição do técnico Artur Jorge. Os dois jogadores ficaram fora dos jogos contra o Universitario-PER, pela Libertadores, e o Vitória, pela Copa do Brasil.

Óscar Romero e Diego Hernández estavam afastados do elenco desde o dia 13 de maio, um dia depois do empate com o Fortaleza, pelo Brasileiro. A dupla voltou a treinar com o elenco na última sexta-feira.

Foto de Gabriel Rodrigues

Gabriel Rodrigues

Jornalista formado pela UFF e com passagens, como repórter e editor, pelo LANCE!, Esporte News Mundo e Jogada10. Já trabalhou na cobertura de duas finais de Libertadores in loco. Na Trivela, é setorista do Vasco e do Botafogo.
Botão Voltar ao topo