Libertadores

No Monumental, River Plate decepcionou e viu o Argentinos Juniors comemorar o empate

Argentinos Juniors saem comemorando com o empate com um gol marcado fora e definirão a vaga em casa na próxima semana

O River Plate voltou a campo depois da parada para iniciar a disputa das oitavas de final em casa diante de um adversário local, o Argentinos Juniors. E o Bicho foi quem saiu comemorando. O time de Marcelo Gallardo teve a boa estreia de Brian Romero, saiu em vantagem, mas acabou sofrendo o gol de empate no seu ponto fraco: a bola aérea. O empate por 1 a 1 acaba sendo comemorado pelo Bicho, que define a vaga na próxima semana, em casa. O confronto, porém, está aberto.

LEIA TAMBÉM: O Frankfurt perdeu André Silva para o RB Leipzig, mas arranja uma ótima reposição com Santos Borré

Brian Romero era destaque do Defensa y Justicia e foi contratado para suprir a saída de Santos Borré. Foi um dos pontos mais fortes do time do River, buscando muito o jogo, participando bem do ataque e dando a assistência do gol do River. Faltou ao time alguém para acompanhá-lo nessa boa partida.

Diante de um dos clubes mais dominantes do futebol sul-americano nos últimos anos, Gabriel Milito levou a campo um esquema 5-3-2, usando bem seus laterais, Sandoval e Elias Gomez. O time foi bem compacto na defesa, tinha uma transição de meio-campo eficiente e, quando chegava ao ataque, consegui gerar superioridade numérica.

Braian Romero estreou muito bem, sendo o principal jogador de ataque dos Millonarios. Os zagueiros conseguiram fazer uma boa partida e ajudava a quebrar as linhas de marcação adversárias com bons lançamentos. Pela direita, Gonzalo Montiel também conseguiu ir bem, defensiva e ofensivamente.

Julian Álvarez foi quem mais fez o papel de articulador, mas sem sucesso. Pouco conseguiu combinar com os atacantes Matías Suárez e o Braian Romero. Enzo Pérez foi seguro defensivamente e Nicolás De la Cruz foi participativo, mas ineficiente.

O gol no começo do jogo facilitou a vida do River Plate. Montiel fez um bom lançamento para Brian Romero, que escapou da falta e do pênalti e cruzou para Matías Suárez empurrar para a rede. O placar de 1 a 0 tornou o jogo mais favorável aos Millonarios, que ainda criou algumas boas chances, duas delas com Suárez. Na segunda, ele perdeu uma chance clara, de frente para o gol, e desperdiçou a oportunidade de ampliar. E faria falta.

O gole de empate viria no que tem sido o ponto fraco do River Plate: a bola aérea. Em um cruzamento da esquerda, Jonathan Sandoval ajeitou de cabeça e Gabriel Hauche empurrou de cabeça para o gol: 1 a 1, aos 40 minutos do segundo tempo.

No segundo tempo, os dois técnicos tentaram mudar o jogo com as substituições. Gallardo primeiro quando colocou Enzo Jeremías Fernández, Jorge Carrascal e Fabrizio Angileri, sacando Agustín Palavecino, Matías Suárez e Milton Casco. O time tentava controlar o meio-campo e sair da marcação do Bicho, mas foi uma briga sem sucesso.

O segundo tempo, porém, teve pouco de chances de gol. Nenhum chute certo foi acertado por nenhum dos dois times. O River, como era de se esperar, teve mais a bola e chutou cinco vezes. Três delas para fora, dois bloqueados. O Argentinos chutou uma vez, em um chute de longe, e mandou também fora.

No final, o Argentinos Juniors consegue um empate com um gol fora de casa, o que no mínimo o faz poder jogar por um empate sem gols em casa. Ao River, será preciso marcar ao menos um gol fora de casa e, para se classificar, ao menos empatar marcando dois ou mais gols.

O jogo de volta será na próxima quarta-feira, 21 de julho, no Estádio Diego Armando Maradona.

Mostrar mais

Felipe Lobo

Formado em Comunicação e Multimeios na PUC-SP e Jornalismo pela USP, encontrou no jornalismo a melhor forma de unir duas paixões: futebol e escrever. Acha que é um grande técnico no Football Manager e se apaixonou por futebol italiano (Forza Inter!) desde as transmissões da Band. Saiu da posição de leitor para trabalhar na Trivela em 2009.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo