Libertadores

Jogo contra o Palestino dá o tom para campanha do Flamengo na Libertadores

O Flamengo precisa vencer para se manter nos rumos de uma classificação em primeiro que ficou distante em La Paz

Depois de focar no Campeonato Brasileiro e na estreia da Copa do Brasil, as atenções do Flamengo estão de volta à Libertadores. Nesta terça-feira (07), Tite e companhia terão um desafio e tanto pela frente ao enfrentar o Palestino, em Coquimbo, no Chile. O jogo (e a vitória) são fundamentais para que o clube mantenha todas as cartas na mesa para as rodadas finais.

Acuado pela derrota em La Paz, o Flamengo precisa fazer o resultado diante do Palestino, considerado o rival mais fraco do Grupo E. Não será fácil, mas a vitória é importante para manter viva uma chama que se apagou em 2023 e, sem dúvida, fez falta.

A situação do Grupo E da Libertadores

No momento, o Flamengo ocupa a segunda posição com quatro pontos em nove disputados, à frente de Palestino e Millonarios. O Bolívar é o líder isolado com 100% de aproveitamento e um pé nas oitavas de final da Libertadores. O Rubro-Negro precisará remar bastante para confirmar a vaga e, quem sabe, buscar o primeiro lugar do Grupo E.

Ainda que tenha perdido para o Bolívar na rodada anterior, a vitória do Palestino sobre o Millonarios ajudou o Flamengo a se manter na zona de classificação. Toda moeda tem dois lados, contudo, e o mais sombrio para Tite e companhia está justamente no próximo compromisso, diante dos chilenos.

  1. Bolívar – 9 pontos (+6 de saldo)
  2. Flamengo – 4 pontos (+1 de saldo)
  3. Palestino – 3 pontos (-4 de saldo)
  4. Millonarios – 1 ponto (-3 de saldo)

Por que o Flamengo precisa da vitória?

Analisando a tabela de classificação, é possível entender uma premissa: o Flamengo não pode perder de jeito nenhum para o Palestino se quiser seguir dependendo apenas de si para se classificar. A vitória é o resultado ideal, mas um empate também não pode ser descartado. Vale lembrar que o Rubro-Negro disputa os últimos dois jogos da fase de grupos, contra Bolívar e Millonarios, no Maracanã.

Se vencer, o Flamengo não só dá um passo importantíssimo rumo à classificação, mas se mantém vivo pensando na liderança do Grupo E. Basta o Millonarios não perder para o Bolívar jogando na Colômbia que as chances serão reais. Em resumo, o jogo entre brasileiros e chilenos é fundamental para o Rubro-Negro, que não quer repetir os erros do ano passado.

Tite precisará reinventar o Flamengo para a partida contra o Palestino, em Coquimbo (Foto: Thiago Ribeiro/AGIF/Sipa USA) – Photo by Icon Sport

Jejum em jogo

Além das situações matemáticas, o Flamengo também entra em campo pelo fator psicológico em jogo. Mesmo tendo uma sequência impressionante em Libertadores, com dois títulos e três finais nas últimas cinco edições, o Rubro-Negro pode emplacar a pior seca de vitórias fora de casa na sua história. A sequência, no momento, é de seis partidas, empatada com outra entre 2012 e 2014.

Naquela época, contudo, o Flamengo não esbanjava a casca que tem hoje, fora os três títulos que, sem dúvida, impõem respeito aos adversários. Em 2012, a equipe comandada por Ronaldinho Gaúcho e Vágner Love não venceu nenhuma longe do Rio de Janeiro, empatando com o Lanús em 1 a 1, na Argentina, e perdendo para Real Potosí, Olimpia e Emelec. A série continuou dois anos mais tarde, com novas derrotas para León e Bolívar.

  • Real Potosí (BOL) 2 x 1 Flamengo – 25/01/2012 – Fase prévia
  • Lanús (ARG) 1 x 1 Flamengo – 15/02/2012 – Fase de grupos
  • Olimpia (PAR) 3 x 2 Flamengo – 28/03/2012 – Fase de grupos
  • Emelec (EQU) 3 x 2 Flamengo – 04/04/2012 – Fase de grupos
  • León (MEX) 2 x 1 Flamengo – 12/02/2014 – Fase de grupos
  • Bolívar (BOL) 1 x 0 Flamengo – 19/03/2014 – Fase de grupos
Nem Ronaldinho Gaúcho foi capaz de salvar o Flamengo da série ruim entre 2012 e 2014 (Foto: Alexandre Vidal/CRF)

A série atual, contudo, traz resultados muito mais complicados (ou vexatórios), como preferir. O Flamengo também não venceu nenhum rival fora de casa na Libertadores do ano passado, empatando com Racing e Ñublense e perdendo para Aucas (!) e Olimpia, que eliminou a equipe de Sampaoli nas oitavas. O revés para o Bolívar, na última semana, e a igualdade diante do Millonarios, completam a lista.

  • Aucas (EQU) 2 x 1 Flamengo – 05/04/2023 – Fase de grupos
  • Racing (ARG) 1 x 1 Flamengo – 04/05/2023 – Fase de grupos
  • Ñublense (CHI) 1 x 1 Flamengo – 24/05/2023 – Fase de grupos
  • Olimpia (PAR) 3 x 1 Flamengo – 10/08/2023 – Oitavas de final
  • Millonarios (COL) 1 x 1 Flamengo – 02/04/2024 – Fase de grupos
  • Bolívar (BOL) 2 x 1 Flamengo – 24/04/2024 – Fase de grupos
A derrota para o Aucas iniciou uma espiral negativa no Flamengo (Foto: Marcelo Cortes/CRF)

Para piorar, o Flamengo esbanjava uma série de 14 jogos sem perder fora de casa na Libertadores antes do fatídico jogo contra o Aucas. Mostra como o clube teve um desempenho aquém do esperado em 2023, que continua nesta temporada. Tite e companhia podem mudar isso a partir das 21h (de Brasília) desta terça-feira, no interior do Chile.

Foto de Guilherme Xavier

Guilherme Xavier

É repórter na cobertura do Flamengo há três anos, com passagens por Lance! e Coluna do Fla. Fã de Charlie Brown Jr e enxadrista. Viver pra ser melhor também é um jeito de levar a vida!
Botão Voltar ao topo