Libertadores

Infantino, presidente da Fifa, nega pressão e ameaças para final da Libertadores ser jogada

O presidente da Fifa, Gianni Infantino, foi um personagem muito falado no fim de semana em Buenos Aires. Presença ilustre na final da Libertadores, ele esteve presente em algumas das reuniões entre dirigentes, que acabaram por adiar o jogo. Ele negou, porém, que tenha tentado forçar para que o jogo acontecesse. “Quero esclarecer, devido a uma série de falsos rumores disseminados, que não pedi em momento algum que a partida fosse jogada”, afirmou o dirigente ao La Nación, antes de deixar a Argentina.

LEIA MAIS:
– D’Onofrio, presidente do River Plate: “A partida será jogada no campo do River e com público”
– Schelotto, técnico do Boca: “Não estávamos nas mesmas condições que o River Plate”

“Tampouco ameacei ninguém com sanções disciplinarias em caso do jogo não ser disputado”, assegurou Infantino. A programação era o presidente da Fifa ficar apenas no sábado em Buenos Aires, assistir à final da Libertadores e retornar à Europa. Ficou um pouco mais do que o imaginado, esperando que o jogo pudesse acontecer no domingo, mas retornará à Europa.

“Qualquer decisão sobre esta partida passa pela Conmebol, nunca pela Fifa”, explicou Infantino. “Os eventos de ontem [sábado] me entristecem. A violência não pode ter lugar no futebol, e a segurança e bem-estar dos jogadores, espectadores e juízes deve ser sempre a primeira prioridade. É por isso que apoio totalmente as decisões tomadas pela Conmebol, os dois clubes e as autoridades locais”, continuou o dirigente ítalo-suíço.

Infantino deixa a Argentina para retomar a sua agenda de presidente da Fifa nesta segunda-feira, mas retornará a Buenos Aires em breve. Na sexta-feira ele volta à Argentina e estará na reunião do G-20, no sábado, em que será um dos que fará palestras no evento. Ainda não se sabe quando será o jogo de volta. Na terça-feira os dirigentes se reúnem em Luque, no Paraguai, para discutir uma nova data para o jogo.

LEIA MAIS: Não vai ter Copa: Boca pede “igualdade de condições” e Conmebol suspende final da Libertadores

Mostrar mais

Felipe Lobo

Formado em Comunicação e Multimeios na PUC-SP e Jornalismo pela USP, encontrou no jornalismo a melhor forma de unir duas paixões: futebol e escrever. Acha que é um grande técnico no Football Manager e se apaixonou por futebol italiano (Forza Inter!) desde as transmissões da Band. Saiu da posição de leitor para trabalhar na Trivela em 2009.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo