Libertadores

Guia Libertadores 2023 – Grupo H: Olimpia, Atlético Nacional, Melgar, Patronato

Um cabeça de chave modesto, um campeão e outros adversários que não estão entre grandes potências

Este conteúdo é parte do Guia Trivela da Libertadores 2023. Clique e confira mais.

Com o Olimpia como cabeça de chave, o Grupo H seria o oposto do chamado grupo da morte. Um dos cabeças de chave menos badalados, o Olimpia ainda pegou adversários que estão entre os mais fracos, com outro campeão de Libertadores, o Atlético Nacional, e dois clubes que não devem causar muitos problemas. Até por isso, as camisas mais pesadas, com mais torcida, devem ter alguma vantagem.

Olimpia

O Olimpia venceu o Clausura do Campeonato Paraguaio

O Olimpia se classificou para a Libertadores como campeão do Clausura do Paraguai em 2022. É um tricampeão da Libertadores (e campeão mundial), tem uma camisa pesada e chegou até a decisão da competição em 2013, quando foi derrotado pelo Atlético Mineiro. Desde então, caiu três vezes na fase de grupos e por duas vezes caiu em fases preliminares. A melhor campanha recente é de 2020/21, quando foi até as quartas de final e acabou atropelado pelo Flamengo, com duas goleadas, em casa e fora.

Há alguns nomes veteranos no time, como Antolín Alcaraz, de 40 anos, assim como o meia Alejandro Silva, de 33 anos. Outro nome conhecido é o camisa 10, Derlis González, ex-Santos, que tem 29 anos e é jogador da seleção paraguaia. O atacante Brian Montenegro, ex-Atlético Goianiense, também está na equipe. O elenco do Olimpia ainda tem Mateo Gamarra, que nada tem a ver com o antigo zagueiro Carlos Gamarra.

Na atual temporada, o time começou titubeante, ainda sem conseguir engrenar. O técnico é o uruguaio Juan Verzeri, que foi auxiliar de Diego Aguirre durante muitos anos. Aos 59 anos, ele está apenas no seu primeiro trabalho como treinador. Assumiu no dia 12 de março e tem contrato até o fim do ano. Arma a equipe em um 4-4-2, o que deve ser mantido na Libertadores.

Atlético Nacional

O Atlético Nacional se classificou à Libertadores como campeão do Apertura 2022 e foi direto para a fase de grupos. O time é comandado por um nome bastante conhecido no Brasil: Paulo Autuori, técnico campeão da Libertadores pelo São Paulo em 2005. Aos 66 anos, ele chegou ao clube no fim de 2022.

O time tem alguns nomes bem conhecidos, como o zagueiro Cristián Zapata, de 36 anos, com experiência na Europa e na seleção colombiana. Outro veterano presente na equipe é o atacante Dorlan Pabón, de passagem na Europa e no futebol brasileiro, que tem 35 anos. O time ainda tem o meia Jader, contratado por indicação de Autuori e que está emprestado pelo Athletico Paranaense e por vezes é titular.

O esquema tático variou neste ano entre o 4-3-3, o 4-4-2 e o 4-2-3-1 e chegou até a ser um 3-4-1-2. Na atual edição do Campeonato Colombiano, ainda não se achou, com muitos empates. Foi um time que conseguiu crescer na fase final do Colombiano no primeiro semestre de 2022, mas não foi bem no segundo. Neste momento, ainda buscar se encontrar como equipe. Briga pela vaga na fase de oitavas de final e pelo primeiro lugar do grupo.

Melgar

Bernardo Cuesta, do Melgar (Foto: DIEGO RAMOS/AFP via Getty Images/One Football)

O Melgar chega à Libertadores como vice-campeão peruano, em uma final que acabou vencida pelo Alianza Lima. O time tem como seus principais destaques os atacantes Luis Ibérico, peruano de 25 anos que atua nas pontas, e o centroavante e capitão do time, Bernardo Cuesta, veterano de 34 anos. O meio-campista Alexis Arias, de 27 anos, costuma ser um motorzinho do time, capaz de dar bons passes e fazer assistências para gols. Formado pelo Melgar, está no time principal desde 2014.

O seu técnico é Mariano Soso, de 41 anos. Argentino de Rosario, ele já tem experiência como treinador no Real Garcilaso, Sporting Cristal, Gimnasia, na Argentina, Emelec, no Equador, Defensa y Justicia e San Lorenzo, de volta à Argentina, O’Higgins, no Chile, e está no Melgar desde 14 de março. É, portanto, uma cara nova da equipe. Até por isso, é difícil saber como ele a armará. O indicativo que temos é que ele jogou em um 4-3-3, explorando os lados e a capacidade goleadora de Cuesta. Tem um camisa 10 argentino, Tomás Martínez, que veio do Aldovisi.

Como qualquer time peruano, qualquer coisa que não seja um último lugar sem qualquer vitória já será uma vitória para o Melgar. Até porque o time nunca sequer passou da fase de grupos em sua história na competição. Curiosamente, foi o time que eliminou o Internacional na Copa Sul-Americana de 2022, caindo posteriormente para o Independiente del Valle nas semifinais.

Patronato

Patronato comemora a Copa da Argentina

O Patronato é um desses casos curiosos da Libertadores. O clube argentino se classificou à Libertadores como campeão da Copa Argentina de 2022. E não foi uma campanha qualquer: a equipe eliminou no caminho o Colón, o Gimnasia, o River Plate, o Boca Juniors e bateu o Talleres na final. Foi o primeiro título de relevância que o Patronato conquistou em sua história.

Ao mesmo tempo, porém, caiu para a segunda divisão, no complexo sistema de coeficientes do futebol argentino. Por isso, o Patronato disputará a Libertadores enquanto joga a segunda divisão nacional. Algo que não é inédito, aliás. Tigres, na própria Argentina, e o Palmeiras também já disputaram a competição nessa situação.

O clube é comandado por Walter Totta, treinador de 49 anos que está acostumado a dirigir equipes menores. Estava no Estudiantes de Buenos Aires e já passou por Rafaela, Villa Dálmine, Morón, Unión de Mar del Plata e Acassuso. Ele assumiu o lugar de Facundo Sava, este um treinador mais famoso, que deixou o clube após o rebaixamento. Nos jogos no comando do Patronato, Walter Otta alternou entre o 4-3-1-2, 3-4-3, 4-3-3 e parece ter se estabilizado no 4-4-2, esquema que o time manteve nos últimos jogos.

Como era de se esperar, o time perdeu muitos jogadores, como o seu principal goleador, Marcelo Estigarribia, que foi para o Atlético Tucumán, e o goleiro Facundo Altamirano, que foi para o San Lorenzo. Com o time destroçado, o principal reforço foi Damián Arce, argentino de 31 anos que chegou do Santiago Wanderers, do Chile. O time tem alguns jogadores emprestados de times da primeira divisão, como Enzo Díaz, centroavante de 31 anos, que tem contrato com o Tigre, ou o ponta Juan Cruz Esquivel, emprestado pelo Talleres. Outro reforço que se destacou neste início de temporada é Matías Ruiz Díaz, que atua no lado direito.

Qualquer coisa que não seja perder todos os jogos será lucro para o Patronato, dada a sua situação. Uma vaga na Sul-Americana com o terceiro lugar já seria um lucro incrível para a equipe. É candidata a lanterna, mesmo contra o Melgar.

Confira mais do Guia Trivela da Libertadores 2023

Foto de Felipe Lobo

Felipe Lobo

Formado em Comunicação e Multimeios na PUC-SP e Jornalismo pela USP, encontrou no jornalismo a melhor forma de unir duas paixões: futebol e escrever. Acha que é um grande técnico no Football Manager e se apaixonou por futebol italiano (Forza Inter!). Saiu da posição de leitor para trabalhar na Trivela em 2009, onde ficou até 2023.
Botão Voltar ao topo