Libertadores

‘Gostaria de tempo útil’: Artur Jorge critica jogo amarrado em vitória do Botafogo

Técnico do Botafogo, o português Artur Jorge criticou as longas pausas do VAR na vitória por 2 a 1 sobre a LDU, nesta quarta, pela Libertadores

Há pouco mais de um mês no Botafogo, o técnico Artur Jorge ainda está conhecendo o futebol brasileiro e sul-americano. E, nesta quarta-feira (8), o português teve uma boa mostra do futebol local. A vitória por 2 a 1 sobre a LDU, pela Copa Libertadores, ficou marcada por duas longas pausas para a revisão de lances no VAR. Uma delas, de dez minutos. Além disso, Artur Jorge também viu o Botafogo ter o jogo retardado por uma certa cera do time da LDU.

Depois da partida contra a LDU, o técnico Artur Jorge criticou, com razão, as longas paralisações para o árbitro Dário Herrera. A primeira delas aconteceu em um gol dos equatorianos que acabou anulado por impedimento depois de dez minutos de análise do lance no VAR. Depois, no fim do primeiro tempo, os juízes voltaram a demorar ao analisar uma jogada no VAR. Dessa vez, no entanto, foram “apenas” dois minutos para a confirmação do gol de Estrada.

— A demora muitas vezes tem a ver com a dificuldade de análise do lance e também pelas ferramentas usadas. A partir daí ficamos expostos àquilo que é o tempo necessário. Se temos ou não as melhores ferramentas, isso eu não sei, não sou expert nisso. O fato é que é muito tempo, isso condiciona porque quebra o ritmo de jogo. Hoje tivemos 15 minutos de grande intensidade, tivemos uma entrada no jogo fantástica, os jogadores deram um ritmo de jogo muito bom, foi forte, foi intenso, foi direcionado ao gol. Esse momento acaba quebrando isso um bocadinho, mas acho que temos que falar de futebol, do jogo, de como foi o espetáculo. De como a vitória foi justa para o Botafogo, da entrega de todos os atletas. É isso que temos que focar, e parar de falar sobre aquilo que é acessório ao jogo — afirmou Artur Jorge, em coletiva, no Nilton Santos.

Quando perguntado sobre uma suposta catimba da LDU, Artur Jorge foi direto e disse que gostaria de “tempo útil” nas partidas.

– Gostaria que a partida tivesse muito tempo útil e acho que todos tem que contribuir para valorizar o espetáculo. Essa é minha forma de ver o jogo. Quando não acontece com outros times, para de ter sentido o que é o futebol para mim. A minha equipe procura ter um jogo jogado, aquilo que os torcedores pagam para ver. Não gosto que isso seja o ponto principal de uma partida de futebol – disse Artur Jorge.

Artur Jorge fala sobre decisões fora de casa na Libertadores

Com a vitória desta quarta-feira, o Botafogo agora é o vice-líder do Grupo D, com os mesmos seis pontos do Júnior Barranquilla-COL, que tem um saldo de gols melhor. Dessa forma, o Glorioso depende apenas de si para avançar às oitavas de final da Libertadores. Mas a missão não será fácil. O time de Artur Jorge vai enfrentar o Universitario-PER e o Junior-COL nas suas últimas rodadas da fase de grupos. E ambos fora de casa.

– É importante hoje nos colocarmos nessa posição. Tínhamos dois jogos em casa, e só ganhamos um. Não é o fator casa ou fora que pode determinar nossa ambição e determinação. Tenho dito que temos que ter a capacidade de jogar onde quer que seja, contra quem for, da mesma forma. Iremos com toda a certeza lutar por essas duas partidas, lutar pelos seis pontos que estão em disputa para conseguirmos o nosso objetivo. É fora? Será fora que vão contar conosco. É dessa forma que vejo as coisas, porque nessa altura temos de fato que buscar os pontos que perdemos em casa no primeiro jogo, e tentar repetir o resultado que tivemos aqui contra o Universitario – disse Artur Jorge.

Artur Jorge fala sobre aspecto físico do Botafogo

Em meio a uma maratona de jogos, alguns jogadores do Botafogo ficaram visivelmente cansados na reta final do jogo contra a LDU. E, além da parte física, Artur Jorge também comentou sobre o fato do time ter sofrido mais um bloqueio nas estradas do Rio Grande do Sul.

— São duas questões que nós temos que melhorar para termos 90 minutos em alta intensidade, que daqui a três voltarão a ser mais 90 minutos. Trabalhamos em cima disso. Sobre as bolas paradas, sofremos mais um gol de bola parada num lance em que não fomos tão eficazes defensivamente. É um aspecto que temos que corrigir e perceber onde foi que falhamos para não voltar a cometer esse erro.

Foto de Gabriel Rodrigues

Gabriel Rodrigues

Gabriel Rodrigues é jornalista formado pela UFF e soma passagens como repórter e editor de Lance!, Esporte News Mundo e Jogada10.
Botão Voltar ao topo