Libertadores

Atlético-MG vence mais uma na raça em típico jogo de Libertadores na Arena MRV

A Arena MRV conheceu a Libertadores do jeito que ela é - catimbada e complicada -, mas viu o Atlético vencer o Rosario Central

O Atlético-MG fez nesta quarta-feira (10) o primeiro jogo de Copa Libertadores em seu estádio, e a Arena MRV viu um típico jogo da competição: muito truncado e catimbado por argentinos do Rosario Central. Mas a casa do Galo deu sorte para o time, que venceu mais uma na competição, com destaque para Scarpa e Paulinho, além da raça e da mentalidade do time.

O Rosario Central foi até a Arena MRV para catimbar e sair com um empate. A catimba rolou solta do início ao fim do jogo, mas o empate nem tanto. Os argentinos só se defenderam na primeira etapa, mas não contava com a individualidade de Hulk e Scarpa, que se uniram para tirar o zero do placar.

Na etapa final, sem poder só se defender, os argentinos se soltaram e chegaram a empatar, empurrados pelos seus torcedores que encheram o setor visitante da casa do Galo. Mas, o time de Diego Milito conta com o Mister Libertadores, conhecido como Paulinho, que decidiu mais uma vez para o Atlético.

Rosario foi um ferrolho, mas Hulk e Scarpa fizeram a diferença

O primeiro tempo na Arena MRV foi exatamente o que se esperava: um duelo de ataque, do Atlético, contra defesa, do Rosario Central. Desde o primeiro minuto, o Galo dominou o jogo e teve a posse, tanto que acabou com quase 80% dela os primeiros 45 minutos.

O Atlético teve dificuldades de furar o ferrolho argentino, mas, quando furou, criou chances interessantes. No entanto, até os 30 minutos, não havia ainda criado uma chance de real de gol. Aos 32, Hulk chegou perto com um chute forte de fora da área que o goleiro defendeu em dois tempos. Mas o que era para o camisa 7 estava guardado minutos depois.

Com o jogo truncado, as troca de passes do Atlético não estava sendo tão efetiva quanto nos últimos jogos, então era claro que o time precisava da qualidade de seus jogadores em jogadas individuais. E foi assim que saiu o gol aos 38 minutos. Arana acionou Hulk no meio, que dominou e tirou o marcador com um drible seco, para completar, o camisa 7 ainda achou um passe espetacular para Scarpa invadindo a área. O meia dominou já puxando para a canhota e bateu rasteiro para abrir o placar e, finalmente, furar a retranca argentina.

No fim da primeira etapa, já nos acréscimos, o Atlético ainda teve uma enorme chance para ampliar, novamente após um passe espetacular de Hulk, dessa vez para Paulinho, mas o camisa 10, cara a cara com o goleiro, acabou desperdiçando a chance.

Milito arrumou o lado esquerdo e dali se iniciou o gol

Gabriel Milito é um treinador intenso na beira do campo, que grita, cobra e orienta seus jogadores a qualquer momento. No primeiro contra o Rosario não foi diferente e, as conversas individuais que ele teve, parece que surtiram efeito.

Com 15 minutos de jogo, o treinador chamou Guilherme Arana para uma conversa ao pé do ouvido. O lateral ouviu com atenção e, no lance seguinte, já apareceu livre no ataque para um cruzamento que quase resultou em gol. Mas Milito parecia ainda insatisfeito com o lado esquerdo, então chamou Zaracho, meia por aquele lado, e conversou com ele também. Duas vezes, inclusive. Depois dos papos, o argentino passou a jogar mais avançado, entre os defensores adversários.

As mudanças surtiram efeito, já que foi do lado esquerdo, com Arana, que o lance do gol se iniciou do gol. Além disso, quem apareceu para receber a bola do lateral foi Hulk e não Zaracho que, como citado, estava mais adiantado.

Susto na Arena, mas o Mister Libertadores resolveu para o Galo

Rosario começa mais agressivo e se soltando mais. Aos 4 minutos, quase empatou, mas parou em defesa de Everson. Com as linhas mais altas na marcação, os argentinos tentaram dificultar a saída de bola do Galo. Mas, quando o Alvinegro conseguia passar dessa pressão, levava perigo. Foi assim, por exemplo, aos 10 minutos, quando Paulinho parou em boa defesa do goleiro após chute da entrada da área.

O segundo tempo seguiu muito truncado, com o Rosario conseguindo equilibrar o jogo e segurar a saída de bola do Atlético, que pouco produzia. E foi justamente em um lance pressionando a saída de bola que os argentinos chegaram ao empate. Após erro na esquerda, Malcorra recebeu na área e calibrou um chute no ângulo de Everson.

Quando o Atlético poderia se abater completamente, já que nem o estádio estava a seu favor, pois só se ouvia os argentinos cantando, o Galo mostrou força mental e qualidade pelo segundo jogo seguido. Paulinho encontrou Igor Gomes na entrada da área, que abriu em Arana na esquerda. O lateral cruzou e achou novamente Paulinho invadindo a área, o atacante dominou e bateu por baixo do goleiro para ampliar e marcar o terceiro dele na Libertadores, provando que é o rei da competição no Galo.

Os minutos finais foram ainda mais tensos que todo o jogo, já que o Atlético se recuou enquanto o Rosario pressionava em busca do empate. Mas, no fim, o Galo saiu vencedor da sua primeira Noite de Copa na Arena MRV.

Foto de Alecsander Heinrick

Alecsander Heinrick

Alecsander Heinrick se formou em Jornalismo na PUC Minas em 2021. Antes da Trivela, passou por Esporte News Mundo, EstrelaBet e Hoje em Dia.
Botão Voltar ao topo