Libertadores

Abel exalta grupo do Palmeiras, rechaça chegada de Rodríguez e defende Endrick

Técnico do Palmeiras ressaltou a união de seus jogadores e falou sobre polêmica com seu camisa 9

Abel Ferreira resumiu o Palmeiras contra o Liverpool (5 a 0), pela Copa Libertadores, em um lance: a comemoração de Rony, ao anotar o quarto do Palmeiras na partida.

— Se pudesse descrever o Palmeiras em um lance, seria o passe do López para o gol do Rony. Isso é minha equipe, isso é o Palmeiras. Apontar não para ele e fazer para ti, que foi o jogador que fez a assistência. Temos uma equipe jovem, que tem ambição de todos os dias ser melhor. É muito difícil de explicar com palavras o que sentimos uns pelos outros — disse o técnico.

Foi ainda imbuído desse corporativismo que o treinador falou sobre Luciano Rodríguez. Jogador do próprio Liverpool, o atacante foi sondado pelo Palmeiras, segundo a presidente Leila Pereira confirmou à reportagem da Paramount+ em Montevidéu.

— Eu tenho 28 jogadores, e é com esses que eu me preocupo. O Luis (sic) é um grande jogador, mas é jogador do Liverpool — saiu-se, inclusive errando o nome do atacante uruguaio.

Classificação

Com a goleada, o Verdão abriu quatro de vantagem para os seus três adversários (San Lorenzo, Del Valle e Liverpool), na liderança do Grupo F: soma dez pontos em quatro rodadas.

Assim, para garantir a classificação na próxima fase, o Palmeiras só precisa de um empate nos seus dois próximos jogos, ambos em casa, contra Del Valle e San Lorenzo.

Um bom coração

Abel Ferreira antecipou-se a perguntas sobre a polêmica envolvendo a comemoração de Endrick e saiu em defesa do jogador — mesmo dizendo que ele não precisava de defesa.

— Gostaria de dizer que essa comemoração do Endrick é algo que ele faz desde a base. Podem procurar. Ele gosta muito desse personagem (King Kong). Ele tem um coração muito puro. Até pediu desculpas à torcida, mas nem precisava, porque não fez nada errado. Esse é um dos jeitos dele de comemorar. Até o desafiei a definir uma só comemoração — disse Abel.

O que mais Abel disse

Sobre o Liverpool

-– Não podemos esquecer que é uma equipe bem competente, grupo bem equilibrado, um dos mais equilibrados da Libertadores. Fizemos o jogo que tínhamos que fazer, ter paciência e saber o momento certo para atacar. Acho que soubemos seguir o que planejamos.

Erros do ataque

— Foi um jogo seguro, inteligente, bem organizado. Ficamos a dever mais um ou dois gols, lembro de um com o Luis (Guilherme) isolado com o goleiro e falhou, o Endrick isolado com o goleiro e falhou, do Rony. Há margem para melhorar, mas acho que é uma vitória da melhor equipe, mas é normal. Uma vitória segura, importante e da melhor equipe.

União da equipe

–- Eles têm uma amizade muito grande e são muito competitivos. Fazemos o rachão que é para brincar, mas eles não brincam e tem a ver com isso, com o espírito da equipe, que é difícil de explicar o que trabalhamos, nos dedicamos, a máquina competitiva que se tornou o Palmeiras. O segredo é um só: trabalho de forma consistente. Jogue quem jogar, eles sabem o que fazer dentro do campo.

Foto de Diego Iwata Lima

Diego Iwata Lima

Jornalista formado pela Faculdade Cásper Líbero, Diego cursou também psicologia, além de extensões em cinema, economia e marketing. Iniciou sua carreira na Gazeta Mercantil, em 2000, depois passou a comandar parte do departamento de comunicação da Warner Bros, no Brasil, em 2003. Passou por Diário de S. Paulo, Folha de S. Paulo, ESPN, UOL e agências de comunicação. Cobriu as Copas de 2010, 2014 e 2018, além do Super Bowl 50. Está na Trivela desde 2023.
Botão Voltar ao topo