Libertadores

Abel diz que Palmeiras foi bem, mas deixa verdade transparecer na entrevista coletiva

Técnico do Palmeiras até tentou tapar o sol com a peneira, mas sabe a realidade

Contrariando as estatísticas, o placar e o sentimento dos mais de 40 mil torcedores presentes ao Allianz Parque, Abel Ferreira afirmou que o Palmeiras jogou bem no 0 a 0 com o San Lorenzo, na noite de quinta-feira (30), pela Copa Libertadores.

O técnico chegou a bater de frente com um repórter de rádio que afirmou que o time não tinha feito uma grande apresentação contra a equipe argentina. Abel indagou o profissional, e quando ouviu que o time foi mal, disse que discordava e explicou.

— Acho que tivemos uma muralha que se meteu à frente da baliza e não conseguimos. Tivemos quase 80% de posse de bola. Empurramos o adversário para trás. Não me lembro de uma oportunidade do adversário. Acho que hoje a defesa sobrepôs o ataque em uma muralha de cinco na área, mais quatro na frente. Houve muita permissividade para o antijogo — disse ele.

Gradualmente, porém, ele foi revelando, ainda que sem querer, que sabia que o time não tinha ido bem.

— Foi um jogo difícil, contra uma equipe que veio para não sofrer gols e conseguiu. Na segunda parte tivemos 20 e poucos minutos de tempo útil de jogo. Gostaria de ter tido mais. Não permitiram que isso acontecesse, mas méritos do adversário também pela agressividade — disse ele.

— Nós, olhando o jogo todo, lembro de uma bola de cabeça do Murilo e um cruzamento que a bola sobrou para Estêvão e Veiga. Não fomos tão agressivos. Os adversários respeitam muito o Palmeiras, e veio com uma intenção clara e conseguiu. A defesa deles foi superior ao nosso ataque — reconheceu.

— Queríamos muito ser a melhor campanha [da fase de grupos da Libertadores]. Parabéns à equipe que foi. Vamos continuar com as nossas ambições. Futebol é isso, e às vezes penso que tudo que fazemos é fácil. E quando olho para o que fazemos, temos que dar parabéns porque o futebol é isso. (Estou) frustrado porque acho que podíamos ter terminado em primeiro. Ficamos com uma sensação de frustração — admitiu.

Para agradar à torcida

Para a despedida de Endrick, Abel deu um presente a ele e à torcida que sempre sonhou com esse momento, e escalou o ataque do time com Estêvão, Endrick e Luis Guilherme.

Endrick revelou também que não estava tão convicto de que essa era a melhor solução para o time. Mas que entendeu que era a coisa certa a fazer.

— Foi uma decisão difícil. Meti os três porque são de muita qualidade e vão precisar da maturidade competitiva que ainda não têm, mas entendi que eu devia fazer — avaliou.

— Foi uma decisão difícil, mas se calhar, a pedido de muitas famílias, de muitas pessoas que queriam os ver juntos. Se calhar fui mais à procura do que era melhor para as pessoas verem, com os três em campo, do que o melhor para a equipe — revelou.

Primeiro colocado de seu grupo, mas terceiro no geral — atrás de River Plate e Atlético-MG, na ordem —, o Palmeiras vai conhecer seu adversário nas oitavas de final da Copa Libertadores em sorteio a ser realizado em 3 de junho.

Os confrontos da próxima fase serão nos dias 14 e 21 de agosto.

Foto de Diego Iwata Lima

Diego Iwata Lima

Jornalista formado pela Faculdade Cásper Líbero, Diego cursou também psicologia, além de extensões em cinema, economia e marketing. Iniciou sua carreira na Gazeta Mercantil, em 2000, depois passou a comandar parte do departamento de comunicação da Warner Bros, no Brasil, em 2003. Passou por Diário de S. Paulo, Folha de S. Paulo, ESPN, UOL e agências de comunicação. Cobriu as Copas de 2010, 2014 e 2018, além do Super Bowl 50. Está na Trivela desde 2023.
Botão Voltar ao topo