América do Sul

Gustavo Scarpa acertou uma bela cobrança de falta, e o Palmeiras saiu em vantagem na Recopa

O meia entrou no segundo tempo para dar a vitória sobre o Defensa Y Justicia por 2 a 1

O Palmeiras precisou suar um pouco para segurar o resultado na reta final, e uma decisão polêmica da arbitragem o ajudou, mas um gol de falta de Gustavo Scarpa garantiu a vitória por 2 a 1 sobre o Defensa Y Justicia fora de casa, no jogo de ida da Recopa Sul-Americana, disputada entre os campeões da Libertadores e da Copa Sul-Americana.

Sem Luiz Adriano, fora da Recopa Sul-Americana após testar positivo para Covid-19 e violar os protocolos de saúde, o Palmeiras foi escalado com Breno Lopes, Willian e Rony no ataque, apoiados por Raphael Veiga, Zé Rafael e Felipe Melo. Marcos Rocha e Viña fizeram as laterais. Luan foi a dupla de zaga de Gustavo Gómez.

O Palmeiras levou um susto logo aos quatro minutos. O Defensa Y Justicia armou uma boa trama que terminou com finalização de Braian Romero da entrada da área. Weverton fez uma grande defesa. Depois, o jogo ficou mais ao gosto dos brasileiros. Treinado por Sebastián Beccacece, o time argentino gosta de ter a bola e trabalhá-la, o que abre espaço para a jogada favorita do campeão sul-americano.

E esta é: a transição rápida com poucos toques na bola entre a defesa e o ataque. Aos 15 minutos, Viña matou a bola no campo de defesa. Passou a Willian, que emendou para Rony. Dominou com um toque de cabeça para ganhar da marcação e tocou na saída do goleiro Ezequiel Unsain para fazer 1 a 0.

Após o gol, a partida seguiu parecida. Até mais confortável para o Palmeiras. Os argentinos ameaçavam pouco, mesmo com 60% de posse de bola no período. Weverton precisou trabalhar novamente apenas aos 33 minutos, em uma batida forte de falta de Benítez direto ao gol.

Ainda houve a chance de ampliar antes do intervalo, em outro contra-ataque. Raphael Veiga ficou com a bola e acionou Rony. Willian recebeu no outro lado do gramado, na entrada da área, de frente para o gol. Tentou bater colocado, mas a bola desviou na defesa e facilitou a defesa de Unsain.

A mesma estratégia gerou duas boas situações ao Palmeiras no começo do segundo tempo. Willian disparou pelo meio, quase sem marcação, e abriu com Breno Lopes, que invadiu a área e chutou cruzado, ao lado do gol de Unsain. Willian também foi garçom para Raphael Veiga, que saiu na cara do goleiro, mas não conseguiu finalizar direito.

Mas quem com ferro fere…. O Defensa Y Justicia também armou uma boa jogada vertical. Walter Bou recebeu o passe rasteiro nas costas de Felipe Melo e emendou rapidamente para deixar Braian Romero na cara de Weverton. Logo após o empate, Abel Ferreira fez quatro substituições quase ao mesmo tempo. Entre os destaques, colocou o lateral esquerdo Lucas Esteves na vaga de Willian e Gustavo Scarpa no lugar de Raphael Veiga.

Scarpa acabou se mostrando um acerto graças à bola parada. Ele exigiu uma defesa de Unsain aos 18 minutos e depois bateu direto por cima da barreira para assegurar a vitória palmeirense na Argentina.

O Palmeiras, porém, sofreu para segurar o resultado. O Defensa Y Justicia exerceu uma boa pressão nos minutos finais e até chegou a igualar novamente o marcador quando Walter Bou apareceu na segunda trave – apesar de Abel ter também dobrado os laterais na direita com a entrada de Mayke no lugar de Breno Lopes – para completar.

A arbitragem anulou o gol por impedimento. No replay, ficou claro que Braian Romero estava à frente na hora do cruzamento. Também ficou claro que ele não participou ativamente da jogada. Nem pula para tentar cabecear, ao contrário Tomás Martínez – que estava aparentemente em posição legal.

A decisão do árbitro colombiano Andrés Roja se manteve. O sofrimento nos minutos finais pode ser creditado ao fato de ter sido o primeiro jogo para valer do Palmeiras na temporada. Ainda assim, não foi uma grande apresentação do campeão sul-americano. Valeu pela vantagem que o time leva para o jogo de volta, semana que vem, no Allianz Parque.

.

.

Mostrar mais

Bruno Bonsanti

Como todo aluno da Cásper Líbero que se preze, passou por Rádio Gazeta, Gazeta Esportiva e Portal Terra antes de aterrissar no site que sempre gostou de ler (acredite, ele está falando da Trivela). Acredita que o futebol tem uma capacidade única de causar alegria e tristeza nas mesmas proporções, o que sempre sentiu na pele com os times para os quais torce.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo

Bloqueador detectado

A Trivela é um site independente e que precisa das receitas dos anúncios. Considere nos apoiar em https://apoia.se/trivela para ser um dos financiadores e considere desligar o seu bloqueador. Agradecemos a compreensão.