América do SulLibertadores

Del Valle quer unir todas as torcidas do Equador na Libertadores para ajudar vítimas do terremoto

Participando da Libertadores pela terceira vez, o Independiente del Valle vive o seu grande  momento na competição. Eliminou o tarimbado Colo-Colo, avançou de maneira inédita aos mata-matas e é o único representante equatoriano que permanece na competição. E os negriazules aproveitaram o ápice para praticar a solidariedade. O clube de Sangolquí anunciou que doará 100% da renda de seu jogo em casa pelas oitavas de final do torneio às vítimas do terremoto que atingiu o Equador no final de semana. A partida acontecerá no principal palco do país, o Estádio Olímpico Atahualpa, com capacidade para 38,5 mil espectadores, justamente para ampliar o auxílio.

“Estamos conscientes que talvez o Independiente del Valle não tenha torcida para encher o Estádio Olímpico Atahualpa, mas estamos fazendo um chamado a todos os torcedores equatorianos para ver o estádio cheio”, declarou o presidente do clube, Santiago Morales. “Queremos ver os torcedores de todos os times, que venham com as suas camisas e que isso seja uma grande festa. Que o apaixonado pelo futebol assista a esta partida como uma ajuda às vítimas”.

Apesar da estratégia do Independiente del Valle (um clube relativamente jovem e de uma cidade com 75 mil habitantes) para atrair o público ao Atahualpa, não dá para negar a nobreza do ato. Assim como a mobilização em torno do clube serve de maneira simbólica diante das dificuldades enfrentadas pelo povo equatoriano. São contabilizados mais de 500 mortos, além de milhares de desabrigados. Um novo tremor na costa do país foi registrado nesta quarta-feira.

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo