América do SulLibertadoresSul-Americana

Conmebol finalmente dá uma dentro: teremos árbitro de vídeo na Libertadores

Falar mal da Conmebol é tão fácil que não é nem preciso se esforçar. São três ex-presidentes indiciados no Fifagate: Nicolás Leoz (1986-2013), Eugenio Figueredo (2013-2014) e Juan Ángel Napout (2014-2015). O histórico de corrupção e desorganização é tão grande que daria uma série maior que Friends (mas não teria ninguém pedindo para eles voltarem). Só que desta vez, o atual presidente da Conmebol, Alejandro Domínguez, deu uma bola dentro: pediu uso do árbitro assistente de vídeo na Libertadores e Sul-Americana. E foi atendido pelo presidente da Fifa.

LEIA TAMBÉM: Novos tempos se avizinham: Fifa aprova testes com replay para ajudar os árbitros

Domínguez anunciou no Twitter nesta terça-feira à noite, em comunicado também divulgado no site da Conmebol, o uso da tecnologia nos seus dois principais torneios de clubes. A Conmebol recebeu o aval da Fifa para também usar a tecnologia nas suas principais competições, a Libertadores e a Conmebol. Com a autorização dada, a Confederação Sul-Americana usará o VAR a partir das quartas de final da Libertadores, no segundo semestre.

O uso do Video Assistant Referee (VAR) foi aprovado na 130ª reunião geral da International Football Association Board (IFAB), em Cardiff, e estabeleceu a temporada 2017/18 para os testes. A ideia do presidente da Fifa, Gianni Infantino, é usar o VAR já na Copa do Mundo de 2018, na Rússia. Já foram feitos testes no Mundial de Clubes (e foi bem confuso) e no amistoso entre França e Espanha, com um pouco mais de sucesso.

A A-League, liga australiana de futebol, irá usar a tecnologia a partir do dia 7 de abril, próxima sexta-feira. A MLS está fazendo testes e planeja começar a usar o VAR após o All Star Game, em julho. Assim, a segunda metade da temporada regular e os playoffs teriam a tecnologia. O pedido de Alejandro Domínguez a Infantino foi para que também seja aprovado o uso do VAR nos dois principais torneios de clubes da Conmebol.

“Estamos propondo que no nosso campeonato, a Conmebol Libertadores, a partir das quartas de final, tenhamos o árbitro assistente de vídeo, porque acreditamos que na medida que ajudamos o árbitro, teremos inovação, vamos ter credibilidade e acredito que isso faça bem ao jogo”, afirmou Alejandro Domínguez.

Esperamos que isso impeça absurdos como vimos fazer Ubaldo Aquino em 1997, na final da Supercopa da Libertadores entre River Plate e Sâo Paulo, ou em 2000, na decisão da Libertadores entre Boca Juniors e Palmeiras. Ou mesmo Carlos Amarilla nas oitavas de final entre Corinthians e Boca Juniors pela Libertadores em 2013. Isso sem falar em 2001, na decisão da Libertadores entre Boca Juniors e Cruz Azul na Bombonera.

Arbitragem é um problema do futebol no mundo todo e o árbitro de vídeo não irá resolver todos os problemas e todo mundo minimamente inteligente. Mas sabemos que os árbitros de vídeo irão ajudar a diminuir o número de erros, ao menos minimizando a chance de erros graves. É um começo. Em competições tão importantes como a Libertadores e a Sul-Americana, é importante que a arbitragem seja só isso que o nome diz: arbitragem. Não protagonistas do show.

Mostrar mais

Felipe Lobo

Formado em Comunicação e Multimeios na PUC-SP e Jornalismo pela USP, encontrou no jornalismo a melhor forma de unir duas paixões: futebol e escrever. Acha que é um grande técnico no Football Manager e se apaixonou por futebol italiano (Forza Inter!) desde as transmissões da Band. Saiu da posição de leitor para trabalhar na Trivela em 2009.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo