América do Sul

Beco sem saída

É desanimadora a situação do futebol na Bolívia. Enquanto as demais ligas da América do Sul, com exceção do Brasil, sofrem com a falta de poderio econômico, mas ainda conseguem male-mal compensar com organização e planejamento, a liga boliviana decepciona. Até mesmo uma ideia a ser elogiada, como é o caso da adequação ao calendário europeu, se torna motivo para crise entre jogadores, clubes e a federação local.

A polêmica da vez foi levantada pelos jogadores na última semana. Com o início do campeonato previsto para o dia 28 de janeiro, a associação dos atletas ameaça não entrar em campo enquanto a janela de transferências do futebol local não for aberta. Por causa da adequação ao calendário da Europa a Bolívia tem-se nesta temporada 2011-12 três campeonatos: Adecuacion, jogado no primeiro semestre de 2011, Apertura, disputado no segundo semestre do ano passado, e agora o Clausura, que vai até julho.

O problema é que muitos firmaram contratos com término em dezembro de 2011, quando seria o final da temporada boliviana, e agora estão sem clube. Com a janela fechada nenhum deles pode atuar no Clausura. De acordo com os jogadores, 53 atletas estão nesta condição. A Federação Boliviana, no entanto, diz que os casos a serem analisados não chegam a cinco e que todos sabiam que esta temporada teria essa peculiaridade. Nesta quinta-feira houve avanço na reunião entre clubes, federação e jogadores, mas ainda não há acordo, o que ameaça o início do campeonato e uma vez mais diminui a credibilidade da administração do futebol local.

A polêmica é mais uma de uma série de desmandos do futebol boliviano. Nas próprias finais do Apertura tivemos um jogo sendo decidido no tapetão. Na primeira partida das quartas de final o San José venceu o Aurora, mas os derrotados foram à Justiça Desportiva, alegando que o rival escalou cinco estrangeiros, quando o máximo permitido é quatro, algo que de fato aconteceu. A decisão dos tribunais foi favorável ao Aurora, mas determinou que a equipe ganharia os três pontos, sem saldo de gol. Dessa maneira a única vantagem do clube seria jogar pelo empate no segundo jogo. O problema é que a Justiça só promulgou seu veredito três dias  após a segunda partida, também vencida pelo San José. Ou seja, mesmo infringindo o regulamento o San José avançou para as semifinais, enquanto o Aurora sequer soube que poderia ter passado caso empatasse o jogo de volta.

Sem contar os problemas financeiros que impedem qualquer avanço dos times locais. O Guabirá, por exemplo, não vai sequer fazer uma concentração de pré-temporada para o Clausura. O motivo: falta dinheiro. Diversos clubes estão com salários atrasados e até mesmo a federação local não tem recursos. O técnico da seleção, Gustavo Quinteros, pretendia fazer amistosos para preparar seu grupo de jogadores para os jogos das eliminatórias de 2012. Viagens foram prontamente descartadas e agora a Bolívia busca alguma seleção disposta a atuar em seu território, o que, além de ser uma tarefa difícil, ainda representa mais do que a federação pode pagar.

Em suma: o futebol da Bolívia vive um círculo de decadência difícil de ser superado. Não há dinheiro, não há grandes jogadores e não há organização. Não é à toa. Que empresa patrocinaria um campeonato tão bagunçado, que muda constantemente de formato, tem decisões no tapetão e ameaças de greve? O mesmo vale para as equipes, que sequer tem salários em dia. Bons jogadores sem formação de qualidade na base também são raros. E por aí vai.

Difícil pensar em soluções, mas uma administração minimamente organizada é o mínimo a ser feito para quebrar algumas das correntes que mantém a inalteridade da situação. Quem sabe um dia…

Sul-americanos no Brasil

Como em outros inícios de temporada, as ligas sul-americanas viraram alvo dos clubes brasileiros para a contratação de jogadores. Se for concretizada, a chegada de José Rojas ao Botafogo – complicada por indícios de problemas cardíacos – é muito boa, desde que o time se contente com um “lateral-base”. Rojas não era lateral-esquerdo na Universidad de Chile, mas sim zagueiro pelo lado esquerdo. Se o negócio for apoio as coisas ficam complicadas. Já Marco González no Flamengo seria um substituto à altura de um decadente Alex Silva. A única dúvida é saber como ele atuará em dupla e não em trio. Hernán Barcos no Palmeiras, por outro lado, tem tudo para dar certo. O argentino é goleador e tem bom cabeceio. Deve se adaptar bem às necessidades de Felipão.

Mais bolivianas

O Real Potosí se prepara para o jogo contra o Flamengo pela primeira fase da Libertadores. Na segunda-feira a equipe bateu o Nacional Potosí por 2 a 0. Vale lembrar que a equipe vem em momento de recuperação, depois de terminar o Apertura 2011 em nono lugar entre 12 times.

Uruguaias

– O Nacional teve sua revanche nesta quinta-feira, ao vencer o Peñarol por 1 a 0 em jogo válido pela Copa de las Comunicaciones de Antel. O gol da vitória foi marcado pelo zagueiro Jadson Vieira. Na semana passada o Bolso perdeu nos pênaltis em partida da Copa Bimbo.

– O Peñarol fechou nesta semana a contratação do atacante uruguaio Rodrigo Mora, que estava no Benfica.

Equatorianas

A LDU perdeu seu centroavante, mas acertou o retorno do meia-armador Damian Manso, um dos destaques da conquista da Libertadores em 2008 e que estava no Morelia, do México.

Colombianas

Na Colômbia, mudança na disputa do campeonato. A temporada 2012 terá uma fase de todos contra todos com 18 rodadas. Os oito melhores avançam à segunda fase, mas são dispostos em grupos de quatro, dos quais saem os dois melhores que então fazem a final.

Peruanas

– O Universitario de Deportes vive um clima extremamente conturbado no ambiente político. A coisa chegou a tal ponto que o grupo opositor à direção contratou o treinador chileno Fernando Diáz. O problema é que essa “contratação” de nada vale se não for feita pela presidência do clube.

– Já o Alianza Lima foi derrotado por 2 a 1 pela Unión Española em jogo preparatório para a Libertadores, muito embora a estreia aconteça apenas no dia 9 de fevereiro.

 

Mostrar mais

Equipe Trivela

A equipe da redação da Trivela, site especializado em futebol que desde 1998 traz informação e análise. Fale com a equipe ou mande sua sugestão de pauta: [email protected]

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo