América do Sul

A Libertadores vem aí

Com a parada dos campeonatos sul-americanos e a aproximação do maior torneio de clubes do continente – agora com todos os times definidos – é hora de olharmos com mais atenção para a Copa Libertadores da América 2012. Em um misto de análise e palpite este colunista traz alguns prognósticos e cenários da primeira fase do torneio. Confira:

Fase Pré-Libertadores

Arsenal (ARG) x Sport Huancayo (PER) (Jogo 1)

O favoritismo natural no jogo 1 da Pré-Libertadores seria do Arsenal. No entanto, o momento da equipe da Argentina não é dos melhores. O time de Sarandí se classificou como representante argentino por ter o melhor desempenho do país na Sul-Americana, mas terminou o Clausura na 10ª posição e a tabela anual em quinto lugar. Não obstante, o Arsenal terá que decidir a vaga contra o Sport Huancayo, terceiro melhor colocado no campeonato peruano, nos 3 mil metros de altitude da cidade que dá nome ao clube. Ainda assim os argentinos ficam com a “vaga do palpite”.

Real Potosí (BOL) x Flamengo  (Jogo 2)

Seria uma barbada para os brasileiros… Não fosse a altitude de 4 mil metros de Potosí. Os bolivianos se classificaram pelo vice-campeonato do Torneo Adecuación, disputado no primeiro semestre. No campeonato do segundo semestre, porém, deram vexame e não conseguiram sequer ficar entre os oito classificados para as quartas de final. Isto entre 12 times que disputaram o Apertura. Dessa forma, a vaga deve ser conquistada pelo Flamengo, desde que os jogadores entrem com a vontade necessária. Se depender do comportamento de Alex Silva e Ronaldinho na pré-temporada o caldo pode entornar…

Peñarol (URU) x Caracas (VEN) (Jogo 3)

O atual vice-campeão da Libertadores terá problemas pela frente com o Caracas, equipe de melhor pontuação da Venezuela na temporada 2010-11 e que foi vice-campeã do Apertura, encerrado agora em dezembro. Os aurinegros não formam mais aquele time competitivo que deu um show de garra e superação no torneio do ano passado e também não tem mais quase nenhum dos jogadores da Libertadores 2011. Zalayeta, Gunino e João Pedro são as esperanças de bom futebol. Já o Caracas tem uma equipe de ponta para os padrões do futebol venezuelano, mas precisará de um milagre para bater de frente com outras forças do continente. O goleiro Remy Vega e o atacante Cabezas são as esperanças de bom resultado. Na soma das variáveis, Peñarol ganha a vaga, mas de maneira sofrida.

El Nacional (EQU) x Libertad (PAR) (Jogo 4)

Uma análise simples do confronto poderia levar ao seguinte raciocínio: o Libertad foi eliminado pela LDU da Sul-Americana, o El Nacional venceu a LDU em dois confrontos pela terceira vaga do Equador na Libertadores, logo… Bom, não é assim que funciona. Embora o El Nacional tenha um bom time, liderado pelo atacante Juan Luis Anangonó, autor de 22 gols na temporada equatoriana, o Libertad é mais time. Apesar de uma queda na reta final da temporada 2011 paraguaia, os Gumarelos seguem sendo a equipe chata e competitiva que eliminou o São Paulo da Sul-Americana e que quase chegou ao título do Clausura em seu país. O segundo jogo será em Asunción, de forma que um eventual revés na altitude de Quito pode ser revertido.

Internacional x Once Caldas (COL) (Jogo 5)

No duelo de campeões da Libertadores o favoritismo é colorado. O Inter terminou a temporada brasileira em ascensão, com padrão de jogo e peças cada vez mais entrosadas. A chegada de Dagoberto deve dar um gás extra ao trio Oscar, D'Alessandro e Damião. O Once Caldas, por sua vez, chega como incógnita. Dono da melhor campanha da temporada colombiana, o time decepcionou no mata-mata do Apertura e perdeu nos pênaltis a decisão do Clausura. Ainda assim é uma equipe arrumada, que tem o fator Manizales para dificultar um pouco mais a vida dos adversários. Com a saída de Rentería, John Pajoy é o goleador do time.

Unión Española (CHI) x Tigres (MEX) (Jogo 6)

O terceiro melhor da temporada chilena pega o terceiro melhor do Apertura 2011 do México. A diferença é que o Tigres foi campeão do Clausura 2011, no primeiro semestre do ano. Mais: campeão com uma defesa quase intransponível, que conta com o zagueiro Juninho, ex-Botafogo. O desempenho se manteve no segundo semestre, apesar da terceira posição, e a equipe só pode lamentar a saída do meia Danilinho. Já a Unión Española chegou à disputa continental por meio de bons resultados nos pontos corridos. No mata-mata chileno o time sucumbiu, primeiro para a Unión La Calera no Apertura, depois para a Universidad de Chile. Com o segundo jogo no México, o palpite é de classificação do Tigres.

Grupos da Libertadores

Grupo 1

Equipes: Santos, Juan Aurich (PER), The Strongest (BOL) e Internacional (palpite do jogo 5)
Palpite para os classificados: Santos e Internacional

Na teoria o grupo 1 da Libertadores 2012 é fácil de prever. Santos e Internacional – se passar pelo Once Caldas – devem sobrar ante o campeão peruano Juan Aurich e o campeão boliviano The Strongest. Em que se pese o bom nível do Aurich na disputa em seus domínios, é difícil acreditar em desempenhos semelhantes contra os brasileiros. O The Strongest, por sua vez, novamente apostará no fator altitude para tentar arrancar pontos dos demais, mas isso provavelmente não será o bastante. No duelo entre Inter e Santos, tudo depende do momento dos dois clubes – os duelos estão marcados para o início de março e abril -, mas o fator “Muricybol” pode pesar.

Grupo 2
Equipes: Olimpia (PAR), Emelec (EQU), Lanús (ARG) e Flamengo (palpite do jogo 2)
Palpite para os classificados: Olimpia e Flamengo

No grupo em que poderão estar representados quatro títulos da Libertadores – três do Olimpia e um do Flamengo – o favoritismo é justamente da equipe paraguaia, de volta a uma Libertadores após oito anos. Liderado pelo atacante Pablo Zeballos, o Decano tem um time bastante técnico e competitivo. Ainda assim o Flamengo impõe respeito na chave, enquanto Emelec e Lanús podem ser os fatores de desequilíbrio. Os Electricos fizeram um bom primeiro semestre em 2011, mas caíram bastante de rendimento na segunda metade do ano. O Lanús, por sua vez, foi terceiro na tabela geral argentina, mas encerrou o Clausura na sexta posição. Os dois times correm por fora, mas um bom resultado fora de casa pode mudar toda a configuração da chave, que é uma das mais disputadas do torneio.

Grupo 3
Equipes: Bolívar (BOL), Junior (COL), Universidad Católica (CHI) e Tigres (CHI) (palpite do jogo 6)
Palpite para os classificados: Junior e Universidad Católica

O Junior de Barranquilla, que foi uma das sensações da primeira fase da Libertadores do ano passado, continua com um bom time. Apesar de ter faturado o Clausura da Colômbia nos pênaltis, a equipe foi a mais constante durante o campeonato do segundo semestre. Liderada pelo artilheiro Carlos Bacca, os colombianos novamente têm chances de avançar às oitavas. O grupo 3, no entanto, é bastante disputado. A Universidad Católica não vem em fase tão boa quanto a da Libertadores 2011, mas tem um time sólido e bons nomes, que podem fazer a diferença nos jogos mais difíceis. Já o Tigres – se passar pela Unión Española – tem uma equipe competitiva, uma defesa acima da média e o fator “distância” – e por consequência cansaço dos adversários – para vencer os rivais sul-americanos. Por fim o Bolívar, campeão no primeiro semestre, tentará não dar vexame.

Grupo 4:

Equipes: Boca Juniors (ARG), Zamora (VEN), Fluminense e Arsenal (ARG) (palpite do jogo 1)
Palpite para os classificados: Boca Juniors e Fluminense

O grupo 4 tem dois claros favoritos para a classificação às oitavas de final: Boca Juniors e Fluminense. A equipe argentina vem de um título invicto no Apertura do país e conta com uma equipe cascuda, mas com toques de requintada categoria na figura de Juan Román Riquelme. O Fluminense tem um dos melhores elencos do continente. Se Deco, Wagner, Fred e Sóbis jogarem bem juntos há grandes possibilidades de sucesso. O Arsenal – se passar pelo Sport Huancayo – pode arrancar alguns pontos dos adversários e complicar a vida de alguém, mas tal cenário não é muito provável. Por fim, o Zamora, apesar do baixo nível do futebol da Venezuela, está longe de ser um coitadinho do esporte. A equipe venceu o Clausura no primeiro semestre com um futebol envolvente, de toque de bola e pressão no campo do adversário. Não deve funcionar bem contra os adversários de maior calibre, mas fica o alerta.

Grupo 5:

Equipes: Nacional (URU), Alianza Lima (PER), Vasco da Gama e Libertad (PAR) (palpite do jogo 4)
Palpite para os classificados: Vasco e Libertad

O grupo da morte, com “o” maiúsculo. Essa é a chave 5 da Libertadores 2012, que reunirá o campeão uruguaio, o vice-campeão peruano, o vice-campeão brasileiro e, provavelmente, o Libertad, equipe que demonstrou por mais de uma vez seu poderio em competições internacionais. Se mantiver o bom momento do fim de 2011, o Vasco é o favorito à liderança. O Nacional, por sua vez, apesar de campeão da temporada 2010-11 e vencedor do Apertura deste ano, não inspira muita confiança nas disputas continentais. A equipe foi eliminada na primeira fase da Libertadores 2011 e não deu nem pro cheiro contra a U. de Chile na Sul-Americana. Mesmo com alguns bons nomes, falta cancha ao jovem time tricolor. O Libertad, por seu futebol pragmático e efetivo, pinta como candidato à segunda vaga, enquanto o Alianza Lima pode dificultar pela qualidade técnica de seus jogadores, muito embora tenha perdido seu artilheiro Roberto Ovelar.

Grupo 6:

Equipes: Corinthians, Deportivo Táchira (VEN), Nacional (PAR) e Cruz Azul (MEX)
Palpite para os classificados: Corinthians e Cruz Azul

Apesar do fantasma da Libertadores, os corintianos devem ter vida tranquila no grupo 6 do torneio continental. Sem rivais à altura, a maior preocupação do alvinegro paulista deve ser com o Cruz Azul, atual vice-campeão mexicano e que possui um bom grupo de jogadores. O Nacional do Paraguai tem até um conjunto razoável de atletas, mas caiu bastante de rendimento no segundo semestre de 2012 e não deve ter força o suficiente para conseguir os pontos necessários. O Deportivo Táchira chega sem ambições. A equipe venezuelana foi campeã no segundo semestre de 2010, mas terminou 2011 na 13ª posição do campeonato nacional, entre 18 times.

Grupo 7:

Equipes: Vélez Sarsfield (ARG), Deportivo Quito (EQU), Defensor Sporting (URU) e Chivas (MEX)
Palpite para os classificados: Vélez e Deportivo Quito

O grande time do Vélez no primeiro semestre do ano passado já não é tão bom assim. Mas, isto não significa que a equipe venha com pouca força para a Libertadores. Com jogadores técnicos e experientes, como David Ramírez, Burrito Martínez e Papa, os argentinos chegam como favoritos ao primeiro posto do grupo 7. O segundo lugar promete ser mais disputado. O Deportivo Quito teve um 2011 excelente e terminou o Clausura equatoriano em grande fase, capitaneado pelas boas atuações do goleiro Bone e dos gols do artilheiro Bevacqua. O Chivas novamente vem com um bom time para a disputa. Os mexicanos faturaram o Apertura e contam com o fator casa, no estádio Jalisco, para fazer a diferença. Correndo por fora está o Defensor Sporting, vice da temporada 2010-11 uruguaia, mas que terminou o Apertura 2011 na sexta posição.

Grupo 8:

Equipes: Universidad de Chile, Atletico Nacional (COL), Godoy Cruz (ARG) e Peñarol (palpite do jogo 3)
Palpite para os classificados: Universidad de Chile e Peñarol

Time da América do Sul em 2011, a Universidad de Chile parte com enorme favoritismo na Libertadores, mesmo com a perda de Eduardo Vargas. Até o momento os chilenos mantiveram a maior parte do incontestável time campeão da Sul-Americana e da temporada do Chile, o que dá lastro a novas grandes expectativas. Os outros três times se equivalem em poderio e tem chances praticamente iguais de avanço às oitavas. Se o Peñarol passar pelo Caracas sai um pouco à frente, mas não tanto quanto poderia se esperar. O Atletico Nacional teve um bom primeiro semestre em 2011, mas patinou no Clausura e sequer chegou aos playoffs. O Godoy Cruz teve desempenho semelhante aos colombianos: fez um bom primeiro semestre e uma segunda metade para esquecer.

Curtas

Colombianas

A Federação Colombiana anunciou o argentino José Pékerman como novo treinador da seleção principal. Só falta a chegada do treinador à Colômbia para tudo ficar nos trinques.
Chilenas

A Universidad Católica fechou a contratação do centroavante paraguaio Roberto Ovelar, destaque do Alianza Lima no vice-campeonato peruano. O atacante fez 14 gols na campanha aliancista.

Venezuelanas

– Dando sequência à sua estratégia de micro-ciclos de treinamento, a seleção venezuelana vai se reunir nos próximos dias 21 e 24 de janeiro nos Estados Unidos para novos períodos de preparação. Somente jogadores do país e o lateral Cichero, suspenso por 10 meses do futebol francês por ter agredido um diretor do Bastia, integram a lista.

– E ainda na preparação para as Eliminatórias, a Vinotinto marcou um amistoso contra a Espanha para o dia 29 de fevereiro.

Mostrar mais

Equipe Trivela

A equipe da redação da Trivela, site especializado em futebol que desde 1998 traz informação e análise. Fale com a equipe ou mande sua sugestão de pauta: [email protected]

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo