Alemanha

O domínio se renova: Com Lewa decisivo, Bayern conquista a Supercopa em cima do Dortmund

Num jogo de homenagens a Gerd Müller, Lewandowski brilhou com dois gols e uma assistência no Signal Iduna Park

A Supercopa da Alemanha é um desses títulos decorativos de início de temporada, que não são suficientes para apontar quais serão realmente os times que terminarão em alta as competições mais importantes. Porém, desta vez, a taça garantia atenções extras no Signal Iduna Park. Diante do início de trabalho nos dois clubes, uma vitória de Bayern de Munique ou de Borussia Dortmund poderia garantir a confiança para a sequência dos novos treinadores. No fim das contas, Julian Nagelsmann prevaleceu contra Marco Rose e os bávaros erguem mais um troféu. A vitória dos alvirrubros por 3 a 1 contou com dois gols e uma assistência de Lewandowski, além de defesas decisivas de Neuer, embora os erros defensivos aurinegros tenham facilitado o caminho. A memória de Gerd Müller estava honrada em sua despedida.

Antes que a bola rolasse, as duas equipes homenagearam Gerd Müller, lenda do Bayern e da seleção alemã que faleceu no último domingo. Foi respeitado um minuto de silêncio, enquanto Thomas Müller, Manuel Neuer e Robert Lewandowski exibiam camisas do antigo artilheiro. Todos os jogadores também usavam uma braçadeira preta em sinal de luto. A imagem do centroavante apareceu no telão.

Seria um começo de jogo tenso, sem tantas aberturas. O Dortmund imprimia um ritmo mais forte, mas sem acertar o passe final. Do outro lado, quando o Bayern invadiu a área, foi graças a um recuo errado de Marco Reus. Por sorte, Serge Gnabry titubeou e não conseguiu aproveitar o espaço. Nenhuma das equipes se impunha, até que os lances começassem a fluir a partir dos 15 minutos. Os bávaros começavam a aparecer mais no ataque e a ameaçar com frequência, com Kingsley Coman isolando dentro da área. Em compensação, do outro lado dependeram de uma defesa sensacional de Neuer com o pé direito, quando Reus finalizou de frente para o gol no mano a mano.

Depois disso, a alternância voltou. E na reta final do primeiro tempo, as emoções se acenderam. O Bayern desperdiçou uma grande chance aos 34. Joshua Kimmich cobrou falta na área e Thomas Müller falhou em ótimas condições, parando em Kobel, antes que Lewandowski mandasse o rebote nas costas de Axel Witsel dentro da pequena área. Quando o BVB respondeu, Youssoufa Moukoko até balançou as redes, mas estava impedido. Depois, Neuer parou Haaland no mano a mano com outra defesaça. Isso até que o placar fosse aberto aos 41, com assinatura de Lewandowski.

Numa bola recuperada, Leon Goretzka abriu com Gnabry na esquerda. O meia girou diante da marcação e cruzou na medida. Lewandowski passou rasgando e desferiu uma cabeçada certeira, sem qualquer chance de defesa para Gregor Kobel. A vantagem parecia dar segurança para o Bayern, sem que o Dortmund pudesse reagir antes do intervalo.

Logo na volta ao segundo tempo, Kingsley Coman precisou ser substituído, dando lugar a Leroy Sané. E o segundo gol foi anotado na sequência, aos quatro minutos. Num ataque muito rápido, Alphonso Davies acelerou pela esquerda. Lewandowski desviou de letra o cruzamento baixo, o que tirou Kobel da jogada. Com a meta escancarada, Thomas Müller só escorou. A situação do Dortmund parecia se complicar de vez, diante da necessidade.

O Dortmund chegou a balançar as redes mais uma vez na sequência, com Haaland, mas outro gol foi anulado por impedimento do centroavante. Marco Rose tentaria aumentar a força ofensiva de sua equipe com Donyell Malen no lugar de Moukoko. Diante da pressa dos aurinegros em busca da reação, o gol saiu graças a uma jogada brilhante, aos 19. Depois de um lançamento longo, Jude Bellingham ajeitou na entrada da área e Marco Reus acertou um lindo chute de primeira. Mandou a bola direto no ângulo de Neuer. Os aurinegros cresciam e acreditavam no empate. Com isso, Julian Nagelsmann botou em campo Corentin Tolisso e Jamal Musiala.

Um erro capital da defesa do Dortmund, no entanto, custou caríssimo aos 29 minutos. Lewandowski marcou seu segundo gol na noite, o terceiro do Bayern, e fechou o placar. Manuel Akanji saiu jogando bisonhamente e entregou o presente para Tolisso. A bola espirrada ficou com Lewa, que tinha todo espaço dentro da área e guardou. Depois disso, o duelo parecia resolvido. Os bávaros cozinharam o resultado, até finalizando mais, com meros espasmos dos aurinegros. Haaland ainda chegou perto de anotar o seu nos acréscimos, sem sucesso num jogo em que foi bem marcado pela defesa adversária. O apito final confirmaria mais uma conquista do Bayern.

Esta é a nona vez que o Bayern conquista a Supercopa da Alemanha, em 15 participações. É o quinto título em nove finais contra o Borussia Dortmund. E mesmo que o torneio não seja garantia de muita coisa na temporada, ele acaba transmitindo um sinal no Signal Iduna Park: mesmo com a mudança de treinador, os bávaros permanecem soberanos no confronto direto. Isso faz a diferença para a sequência de conquistas do clube. Enquanto isso, Nagelsmann desfruta seu primeiro troféu como técnico de uma equipe profissional.

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo