Alemanha

Nem tão favorito

Quinta-feira, 17 de setembro. O Hamburg, líder da Bundesliga, estreia na Liga Europa em mais um início de temporada que enche de expectativas a torcida hanseática, ansiosa pelo fim de um jejum de 27 anos. Porém, qualquer exagero de entusiasmo foi dissipado nas duas últimas partidas.

O excesso de ansiedade tem atrapalhado o Hamburg a finalmente comemorar um título.. Falta paciência para dar continuidade ao trabalho, o que fica claro na troca constante de treinadores. Desde 2007 passaram pelo banco de reservas Thomas Doll, Huub Stevens, Martin Jol e agora Bruno Labbadia. O jovem técnico trazido do Bayer Leverkusen veio com a proposta de renovação, mas sem saber exatamente se haverá tempo.

Contra o Rapid Viena, na capital austríaca, o time entrou em campo completo e pronto para mais uma apresentação segura. Mas o respeitável meio campo formado por Zé Roberto, Trochowski e Petric não conseguiu impedir as jogadas em velocidade do adversário e a derrota vexatória por 3 a 0. Os primeiros questionamentos sobre a regularidade necessária para terminar a temporada com a Salva de Prata começam a aparecer.

De volta a campo para manter a liderança do Campeonato, o time foi a Frankfurt enfrentar o Eintracht. Em uma partida modorrenta, talvez a pior da rodada, empatou em 1 a 1. Sinal de que as mudanças táticas de Labbadia, que compactou o setor defensivo ao sacar Rozehnal e colocar Demel em campo – apesar de o lado esquerdo com Aogo ser o mais frágil. A alteração mexeu menos com o aproveitamento do time do que se esperava.

As contusões também podem ameaçar a temporada. Depois de Alex Silva e Bastian Reinhardt, foi a vez de Benjamin e de Guerrero, referência do ataque, ficar alguns meses longe dos gramados. Enquanto uma solução para substituir o atacante não é encontrada, menos mal que Zé Roberto acumula atuações quase perfeitas – o jogador foi eleito novamente o melhor em campo no último final de semana – e Petric vem em boa fase. É justamente o ataque do Hamburg, com três gols a mais do que o Bayer Leverkusen, que mantém o time na liderança.

Além de toda a pressão externa, o clube vive em plena agitação interna provocada pela procura de um substituto para o diretor de esporte Dietmar Beiersdorfer. Um novo trabalho deve ser desenvolvido no clube em breve.

Cabe a um dos melhores elencos da Alemanha ser mais forte do que as pressões.Se a paz não chegar, as chances de mais uma temporada de frustração é grande. 

Mostrar mais

Equipe Trivela

A equipe da redação da Trivela, site especializado em futebol que desde 1998 traz informação e análise. Fale com a equipe ou mande sua sugestão de pauta: [email protected]

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo