Alemanha

Futuro incerto

O desfecho da primeira metade da temporada 2007/08 foi aquele que se planejava para o Bayern de Munique. Goleada por 6 a 0 sobre o Aris Saloniki em noite inspirada de Franck Ribéry e Luca Toni e a conquista da vaga na próxima fase da Copa Uefa. Além disso, apesar de empatado com o Werder Bremen em pontos, os bávaros conquistaram o título simbólico de campeão do primeiro turno da Bundesliga.

Essas situações aliviaram bastante a barra de Ottmar Hitzfeld, mas, ainda assim, não lhe garantem no comando da equipe no restante da temporada. Tivesse sido diferente o resultado na Allianz-Arena na última quarta-feira, era quase certo que o técnico não sobreviveria à reunião que está planejada para o início de 2008 em Marbella, na Espanha, onde o clube tradicionalmente faz sua pré-temporada de inverno.

Os métodos de trabalho de Hitzfeld têm incomodado bastante alguns jogadores. O primeiro a reclamar foi Valerien Ismael, que não aceitou a reserva e acertou sua transferência para o Hannover. Em seguida, pelos mesmos motivos, foi a vez de Willy Sagnol, cujo futuro segue incerto. Agora foi a vez de Lukas Podolski reclamar de estar esquentando o banco demais na temporada. E, claro, Oliver Kahn. Sobretudo depois de ter levado uma multa de € 25 mil por suas declarações a respeito de Luca Toni e Franck Ribéry e por sua conduta indevida nos festejos de fim de ano do Bayern.

Não por isso, mas não chega a ser novidade o fato de que a direção do Bayern já procura um técnico para a equipe em 2008, mas para assumir o time no verão, quando o contrato de Hitzfeld chega ao fim. “É certo que ele fica conosco até o fim da temporada”, afirmou Uli Hoeness, manager do time, em tom confiante na semana passada.

Essa situação mudaria de cenário para o caso de o treinador entregar o cargo antes do final de seu vínculo com o clube. Essa possibilidade ainda está em aberto. Segundo ventilou a imprensa alemã nas últimas semanas, o treinador tem dois convites concretos. O primeiro deles para assumir o Red Bull Salzburg, que ainda está sob o comando de Giovanni Trapattoni. O outro seria para comandar a seleção da Suíça, uma das sedes da próxima Eurocopa.

Poucas horas depois da goleada na Copa Uefa, Hitzfeld deu a seguinte declaração: “Já sei o que vou fazer da minha vida e vou informar minha decisão ao Bayern no final de janeiro”. Instantes depois, policiou-se e disse, em tom apaziguador: “Eu certamente ficarei com o Bayern na segunda metade da temporada e espero ganhar um par de títulos”.

Pelas declarações de Hitzfeld e da comissão técnica nos últimos dias, fica difícil saber em quem acreditar. Não cabe a esta coluna fazer previsões, mas outra afirmação do técnico que levou o Bayern a seu último título europeu, em 2001, deu entrevista à revista kicker deixa ainda mais dúvidas sobre seu futuro. “Aceitei voltar a treinar com a condição de fazê-lo com tranqüilidade”. E, pelas críticas que tem recebido até mesmo internamente, tranqüilidade é o que ele tem de menos nesse seu retorno ao banco de reservas.

E a segunda melhor defesa ruiu

Na última edição, escrevi aqui sobre a boa defesa do Bayer Leverkusen, que havia sofrido apenas 11 gols em 16 partidas. Eis que, contra o Werder Bremen, a boa defesa do time das aspirinas leva nada menos do que cinco gols. Tudo foi por água abaixo? Não mesmo. A goleada por 5 a 0 sobre o FC Zurique na Copa Uefa prova isso, mesmo que o ataque dos suíços não inspirem tanta confiança assim.

Mesmo depois da goleada, porém, o Bayer conseguiu se manter na zona de classificação européia (quarto colocado) e ainda tem a terceira melhor defesa da Bundesliga – agora com 16 gols sofridos, atrás apenas do líder Bayern e do Hamburg, terceiro colocado.

Um minuto…
…antes do final da partida, o Karlsruhe assegurava-se entre os cinco primeiros da tabela com uma vitória por 1 a 0 sobre o Hamburg. Nos instantes finais, Van der Vaart levanta a bola e Olic cabeceia com sucesso. Fim da linha para o KSC entre os candidatos a uma vaga na Europa. Mas isso é apenas o fim do primeiro turno.

Dois empates…
…sem gols. Foi assim que o Bayern de Munique encerrou sua participação no primeiro turno da Bundesliga. A equipe bávara acabou com os mesmos 36 pontos do Werder Bremen, mas somou um saldo mais positivo e terminou na frente dos rivais por esse critério de desempate.

Apenas três vitórias…
…na Bundesliga. Eis o aproveitamento do Energie Cottbus, que conseguiu deixar a lanterna do campeonato na última rodada, graças a uma surpreendente goleada por 5 a 1 sobre o Hannover 96, outra das sensações do primeiro turno.

Quatro a zero…
…foi o placar da vitória do Wolfsburg sobre o Borussia Dortmund, que viu sua reação na tabela ruir. O time de Felix Magath, por sua vez, conseguiu terminar o primeiro turno com um resultado bastante positivo.

Seleção da rodada*
Drobny (Hertha Berlim); Ziebig (Energie Cottbus), Simunic (Hertha Berlim), Eggimann (Karlsruhe); Gentner (Wolfsburg), Jensen (Werder Bremen), Diego (Werder Bremen), Schäfer (Wolfsburg); Rangelov (Energie Cottbus), Klasnic (Werder Bremen), Sörensen (Energie Cottbus)

Destaque da rodada*
Ivan Klasnic se deu o melhor presente de Natal de sua vida. Depois de mais de um ano afastado dos gramados recuperando-se de dois transplantes de rim – um deles sem sucesso –, o croata marcou dois gols e fez uma assistência na acachapante goleada por 5 a 1 sobre o Bayer Leverkusen. Um retorno espetacular e que enche de esperanças os torcedores do Bremen – para não falar no próprio Klasnic.

Fichas completa da 17ª rodada
Clique <a href=" http://www.trivela.com/index.asp?Fuseaction=Futebol_Mundial&id_secao=3&id_codigo=17538
” target=_blank>aqui
para conferir.

*ambos de acordo com a revista kicker.

ECKBALL

– Depois de Ismael, Sagnol e Podolkski, agora foi a vez de Lúcio dizer que quer deixar o Bayern. O zagueiro brasileiro, capitão da Seleção, disse à Deutsche Welle não agüentar mais o frio alemão. “Gostaria muito de jogar na Espanha ou na Itália. Espero chegar a um acordo com o clube o quanto antes para que isso se resolva”, disse ele, um dos queridinhos da torcida bávara.

– Para não se alongar na polêmica, o técnico Joachim Löw se antecipou em quase cinco meses no anúncio de quem serão os goleiros alemães na Eurocopa. São eles: Lehmann, Hildebrand e Enke. Os dois primeiros são reservas no Arsenal e no Valencia, respectivamente. Mesmo assim, Lehmann segue o favorito do técnico do Nationalelf.

– Assim como o restante da Trivela, esta coluna tirará duas semanas de férias e voltará a ser atualizada normalmente em 10 de janeiro. Boas festas e até lá!

Mostrar mais

Equipe Trivela

A equipe da redação da Trivela, site especializado em futebol que desde 1998 traz informação e análise. Fale com a equipe ou mande sua sugestão de pauta: [email protected]

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo