Alemanha

Despedida europeia

A despedida aconteceu já na semana passada quando a visita ao Camp Nou terminou com um placar de 4 a 0 com a sensação de que poderia ter sido muito mais, se o Barcelona não tivesse reservado os 45 minutos finais apenas para se poupar para seguir na luta pelo titulo da Liga dos Campeões e para manter a vantagem construída no Campeonato Espanhol.

Como não poderia ser diferente, o que não foi uma novidade nestes dez meses de trabalho, a derrota recaiu sobre o técnico Klinsmann. Com o setor defensivo totalmente desfalcado, formado por um péssimo Oddo, Demichelis, Breno totalmente fora de ritmo, e o limitado Lell , com Van Bommel para proteger o quarteto sem competência para isso, o treinador não foi perdoado por armar o time com um meio campo tão ofensivo, com Altintop visivelmente sem condições de atuar durante 90 minutos e quando a derrota por 5 a 1 para o Wolfsburg não havia sido completamente digerida.

Se Klinsmann já havia desistido de qualquer reação para a partida de volta na Alianz Arena- a declaração de que o Bayern de Munique deveria aprender a jogar futebol com o Barcelona certamente não serviria de motivação para ninguém- ao menos a equipe fez o possível. Com o retorno de Lahm e a presença de Ottl para fazer dupla com Van Bommel e fortalecer a marcação, foi um time mais organizado e ainda contou com Ribery muito mais inspirado.

E o que ficou da eliminação do Bayern da Liga dos Campeões? A derrota final de 5 a 1 para o Barcelona, as especulações de que Ribery defenderá a equipe catalã na próxima temporada, a desconfiança ainda mais latente sobre o trabalho de Klinsmann e a já conhecida impressão de que o Bayern ainda é pequeno para conquistar a Europa. Sorte que na Alemanha, ainda dá.

Um possível mata-mata alemão

Após a vitória por 3 a 1 contra a Udinese, as chances do Werder Bremen passar para a próxima fase da Copa Uefa são boas e apenas o excesso de confiança parecia poder tirar a equipe do páreo, na partida da próxima quinta-feira. Porém, Diego, que marcou dois gols no primeiro jogo, sentiu novamente uma lesão muscular, ficou fora do empate em 1 a 1 contra o Bayer Leverkusen no final de semana e pode também desfalcar o time na Itália. Cabe ao técnico Thomas Schaaf não deixar que a possível ausência torne-se mais importante do que é.

Na Inglaterra, o Hamburgo venceu pelo mesmo placar de 3 a 1. Pode perder, tem uma missão mais complicada do que o Werder Bremen, mas apesar de alguma irregularidade na Bundesliga, é uma equipe mais segura do que a de Bremen. E a possibilidade de um confronto alemão na próxima fase é grande.

Babbel x Hamburgo

Para assumir a liderança da Bundesliga, o Hamburgo necessitava de uma vitória. E a tarefa não seria tão complicada para a equipe comandada pelo técnico Martin Jol, se pela frente não estivesse o Stuttgart, que desde a efetivação naquele momento desconfiada de Marcus Babbel na vaga deixada por Armin Veh, venceu nove partidas, empatou três e saiu derrotada apenas uma vez.

O Hamburgo jogou bem, Olic desperdiçou algumas oportunidades, mas foi Mario Gomez que abriu o placar nos acréscimos. A vitória deixou o Stuttgart na atual 5ª posição, com apenas três pontos da zona de classificação para Liga dos Campeões. Classificar-se para a competição foi a meta proposta por Babbel quando chegou, o que parece próximo de ser alcançado.
 

Mostrar mais

Equipe Trivela

A equipe da redação da Trivela, site especializado em futebol que desde 1998 traz informação e análise. Fale com a equipe ou mande sua sugestão de pauta: [email protected]

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo